Não corri na Mercedes, diz Ricciardo sobre 'só' 8 vitórias na F1

"Não olho para as 8 [vitórias] e [penso]: ‘Cara, deveriam ser 15 ou algo assim’. Se isso dissesse algo sobre um título, aí eu olharia para essa estatística"

Não corri na Mercedes, diz Ricciardo sobre 'só' 8 vitórias na F1
Carregar reprodutor de áudio

Em má fase na McLaren, o piloto australiano Daniel Ricciardo respondeu a questionamentos sobre ter 'apenas' oito vitórias na Fórmula 1 de forma bem-humorada. "Acho que é por não ter estado na Mercedes de 2014 a 2020, provavelmente!", afirmou o ex-Renault, Red Bull, Toro Rosso e Hispania.

O editor recomenda:

A declaração foi dada em entrevista ao RacingNews365.com. “Talvez eu tivesse talento para vencer mais umas 20 corridas, que fosse... É uma opinião, apenas. Mas há muito mais no esporte [do que números]", afirmou o australiano da categoria máxima do automobilismo mundial.

Ricciardo, aliás, virou o representante do país da Oceania com mais corridas disputadas na F1 após o GP da Espanha de 2022. Com a largada em Barcelona e a seguinte em Mônaco, já são 217 provas na categoria, 'contra' 215 de Mark Webber, seu antecessor na Red Bull.

Questionado sobre a dificuldade de vencer a competição, Ricciardo respondeu que há vários fatores que podem levar a um triunfo na elite global do esporte a motor: "É sobre acertar tudo no dia: ter a estratégia, ter sorte ou qualquer outra coisa."

"Não olho para as oito [vitórias] e [penso]: ‘Cara, deveriam ser 15 ou algo assim’. Se isso dissesse algo sobre um título mundial, aí eu olharia para essa estatística. Mas não gosto muito de números”, seguiu Daniel, que triunfou pela última vez no GP da Itália de 2021, em Monza.

“Alguns pilotos nem chegaram ao pódio, como [Nico] Hülkenberg”, ponderou Ricciardo, que foi companheiro do alemão na Renault em 2019, sua primeira temporada fora da Red Bull após cinco campeonatos pelo time de energéticos, no qual conquistou suas primeiras sete vitórias.

“Você sempre pode escolher dizer: ‘Cara, olhe para [Lewis] Hamilton’. Também pode olhar para trás e [pensar]: ‘Bem, olhe para Hülkenberg’. É assim que as coisas são. Já fiz o suficiente na F1 para que as pessoas saibam que sou um piloto capaz e tal...”, argumentou.

Questionado sobre seu futuro na F1 em meio ao mau momento na McLaren, especialmente em 2022, o piloto de 32 anos respondeu de forma sincera: “Quero continuar por mais alguns anos, mas não há garantia."

"Não tenho dez contratos sobre a mesa, então é algo que também está em minhas mãos, e não apenas pelo meu desejo, mas, claro, pela minha competitividade”, completou Ricciardo, que vem sendo batido pelo companheiro britânico Lando Norris no time de Woking.

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #180 – ‘Autossabotagem’ da Ferrari pode fazê-la perder título da F1 em 2022?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 

 

compartilhar
comentários
Marko: não há opção melhor que a AlphaTauri para Gasly após renovação de Pérez com Red Bull
Artigo anterior

Marko: não há opção melhor que a AlphaTauri para Gasly após renovação de Pérez com Red Bull

Próximo artigo

F1: O grande risco que a Ferrari corre com a Red Bull em 2022

F1: O grande risco que a Ferrari corre com a Red Bull em 2022