Fórmula 1
06 mai
Próximo evento em
61 dias
20 mai
Próximo evento em
75 dias
R
GP do Azerbaijão
03 jun
Próximo evento em
89 dias
10 jun
Próximo evento em
96 dias
24 jun
Próximo evento em
110 dias
R
GP da Áustria
01 jul
Próximo evento em
117 dias
R
GP da Grã-Bretanha
15 jul
Próximo evento em
131 dias
29 jul
Próximo evento em
145 dias
R
GP da Bélgica
26 ago
Próximo evento em
173 dias
02 set
Próximo evento em
180 dias
09 set
Próximo evento em
187 dias
23 set
Próximo evento em
201 dias
R
GP de Singapura
30 set
Próximo evento em
208 dias
07 out
Próximo evento em
215 dias
21 out
Próximo evento em
229 dias
28 out
Próximo evento em
236 dias
R
GP da Arábia Saudita
03 dez
Próximo evento em
272 dias
R
GP de Abu Dhabi
12 dez
Próximo evento em
281 dias

Para evitar demissões, Mercedes manda funcionários para trabalho em campeonato de vela

Equipe alemã e Ferrari são as que mais enfrentam dificuldades para realocar pessoal diante de novo teto orçamentário

compartilhar
comentários
Para evitar demissões, Mercedes manda funcionários para trabalho em campeonato de vela

A Fórmula 1 entra este ano com um teto orçamentário estabelecido em US$ 145 milhões (cerca de R$ 765 milhões), um regulamento que obrigou as equipes a rever completamente seu modelo organizacional.

As principais: Mercedes, Ferrari e Red Bull, são as mais afetadas por este regulamento devido ao quadro de pessoal que têm há anos, embora isso também inclua a Renault e McLaren em menor grau.

Leia também:

Uma das questões mais importantes das novas regras está relacionada ao pessoal, área que varia muito, dependendo da equipe, já que uma força de trabalho pode ir de quase mil funcionários, como é o caso da Mercedes e Ferrari, a cerca de 650 na Renault.

Planos alternativos foram confirmados pelas equipes para garantir empregos do pessoal que for afastado da Fórmula 1. Algumas das soluções incluem a transferência desses trabalhadores para as equipes associadas, como no caso da Ferrari.

Mercedes e Ferrari são os times que devem implementar uma redução maior de pessoal, porém um aspecto foi priorizado: manter o máximo de conhecimento possível dentro da equipe.

As regras de limite de orçamento são rígidas para quem trabalha no programa de F1, mas se o pessoal for deslocado para atividades alternativas, mesmo estando ligado à empresa, não estão sujeitos a quaisquer restrições.

No caso da Mercedes, decidiram que uma parte do staff que não poderá mais trabalhar no projeto da F1 em Brackley deve ser enviado para a America's Cup, competição de vela em que a INEOS, a nova acionista da equipe alemã, está presente. Outro grupo de trabalhadores foi dividido em outros departamentos que terão que atender a Aston Martin, Williams e McLaren.

Por exemplo, a Mercedes encaminhou pessoal para o departamento responsável pelas caixas de câmbio, em que além da Aston Martin, a Williams também será cliente a partir de 2022. A Mercedes também tem ordens de serviço de empresas externas que, além de lucro operacional, ajudarão a manter funcionários da sede do projeto da F1.

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

DEBATE: O que PÉREZ vai CAUSAR na Red Bull? Mais pontos e VITÓRIAS que VERSTAPPEN ou TRETAS?

PODCAST: Top-3: as corridas mais marcantes da história da F1 em nossas memórias

 

F1 registra queda de média de ultrapassagens na temporada 2020

Artigo anterior

F1 registra queda de média de ultrapassagens na temporada 2020

Próximo artigo

Chefe da Williams garante que equipe manterá espírito familiar em retomada

Chefe da Williams garante que equipe manterá espírito familiar em retomada
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Franco Nugnes