Piloto argentino ex-F1 recupera capacete roubado há 23 anos

Norberto Fontana teve sua casa roubada enquanto estava na Europa negociando uma vaga para o grid de 1998 da F1

Piloto argentino ex-F1 recupera capacete roubado há 23 anos

O argentino Norberto Fontana, que competiu em quatro GPs na temporada de 1997 da Fórmula 1 com a Sauber, voltou às manchetes nos últimos dias por uma história curiosa, ao recuperar o capacete que usava 23 anos após ele ter sido roubado da casa de sua família, em 1998.

Fontana recebeu o capacete no final de semana, após um outro piloto vê-lo sendo usado por alguém em uma moto na rua.

Leia também:

O capacete havia sido roubado em Arrecifes, a cidade natal de Fontana, localizada a 180 quilômetros de Buenos Aires. Os ladrões invadiram a casa e roubaram pertences da família durante o verão de 1998, enquanto ele negociava com a Tyrell por uma vaga na temporada da F1.

Entre os itens roubados estava um capacete Arai que Fontana havia usado enquanto pilotava pela Sauber em Mugello e Estoril em 1996, enquanto era piloto de testes da equipe de Hinwil.

Na última sexta, o também piloto argentino Christian Bodrato Mionetto viu uma mulher sentada em uma moto na frente de um banco em Tortuguitas, uma cidade situada na província de Buenos Aires, usando um capacete com as características do design de Fontana e carregando seu nome. Isso levantou suspeitas, e ele tirou uma foto, enviando-a para Fontana.

Quando viu a foto, Norberto imediatamente reconheceu seu capacete roubado em 1998. Mionetto abordou a pessoa que estava usando o capacete e após pagar uma quantia em dinheiro, recuperou a peça, devolvendo-a a seu verdadeiro dono. A mulher insistiu que não tinha conexão alguma com o roubo do capacete.

"Sabia que algum dia eu conseguiria encontrar o capacete porque quando as pessoas veem aquelas cores, sabem que são minhas", disse Fontana em sua conta no Instagram.

 

Apesar de ter sido roubado há quase 24 anos, o capacete ainda estava em boas condições, e apenas o sistema de comunicação de rádio havia desaparecido.

Fontana correu com a Sauber em quatro GPs de 1997, inicialmente substituindo o lesionado Gianni Morbidelli, que havia fraturado o braço durante um teste em Magny Cours, obtendo dois nonos lugares em Silverstone e Hockenheim como seus melhores resultados.

A vaga da Tyrell para 1998 acabou ficando com o brasileiro Ricardo Rosset. Quando soube com certeza que não teria lugar no grid da F1, Fontana foi correr na Fórmula Nippon e na Fórmula 3000, além de uma breve passagem pela CART em 2000 antes de voltar para a Argentina.

Ele venceu campeonatos na TC2000 (2002 e 2010) e na Turismo Carretera (2006), onde corre até hoje, aos 46 anos.

RETA FINAL: Verstappen vai trocar motor na Arábia? Tributo a Sir Frank Williams

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #148: O jogo virou a favor da Mercedes? Quem é o favorito ao título?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: "Vi Frank Williams chorar várias vezes ao falar de Senna, era uma ferida aberta", diz Pastor Maldonado
Artigo anterior

F1: "Vi Frank Williams chorar várias vezes ao falar de Senna, era uma ferida aberta", diz Pastor Maldonado

Próximo artigo

Seidl: F1 não precisa de comissários permanentes para ter decisões consistentes

Seidl: F1 não precisa de comissários permanentes para ter decisões consistentes
Carregar comentários