Renault está disposta a fornecer motores para Red Bull na F1 2022

Antiga parceria pode ser reeditada por força do regulamento da categoria

Renault está disposta a fornecer motores para Red Bull na F1 2022

Depois de a Honda anunciar que deixará a Fórmula 1 no fim da temporada 2021, a Renault declarou que está disposta a fornecer motores para Red Bull e AlphaTauri a partir do campeonato de 2022.

Ambas as equipes estão começando a busca por um novo fornecedor de unidades de potência para 2022 depois que a Honda anunciou nesta sexta-feira que encerrará seu programa de F1 no final da próxima temporada.

O editor recomenda:

A Renault já forneceu motores para a Red Bull de 2007 a 2018, em parceria que rendeu quatro títulos para a equipe austríaca e a montadora francesa entre 2010 e 2013, no tetracampeonato do alemão Sebastian Vettel.

No entanto, o relacionamento entre as famosas marcas acabou mal em meio à animosidade pessoal entre o chefe da Renault, Cyril Abiteboul, e o comandante da equipe Red Bull, Christian Horner.

De todo modo, o apêndice 9 dos regulamentos esportivos da F1 obriga a fabricante com o menor número de equipes clientes a fornecer motores para uma escuderia que está sem unidades de potência.

A partir do ano que vem, a Mercedes terá três equipes clientes (McLaren, Aston Martin e Williams) e a Ferrari duas (Alfa Romeo e Haas), enquanto a Renault terá suas máquinas apenas em seu time de fábrica, que passará a se chamar Alpine.

Ao Motorsport.com, Abiteboul disse que a montadora francesa não foi contatada pela Red Bull até então, mas está disposta a cumprir a obrigação de fornecimento prevista pela em regulamento.

“Posso confirmar que não houve absolutamente nenhuma conversa até este ponto,” disse Abiteboul. “Estando no esporte, estamos cientes do regulamento e temos toda a intenção de cumpri-lo e cumprir nossas obrigações.”

“Obviamente, precisamos ser solicitados e ainda não fomos. Em segundo lugar, existem circunstâncias muito específicas para que isso aconteça. E ainda estamos muito longe dessa janela, que não é antes do segundo semestre do próximo ano.”

“Sabemos que na F1 muitas coisas podem acontecer em um período de tempo muito limitado e tudo ainda está muito longe. Todo tipo de coisa pode acontecer. Como disse, cumpriremos qualquer obrigação que possa surgir desta circunstância. ”

Questionado sobre se um ‘reencontro’ com a Red Bull seria estranho, dada a história recente, Abiteboul disse: “Acho que sim, mas obviamente precisamos olhar para o esporte. E acho que ainda estamos muito longe de ter que cruzar essa ponte.”

“Não consigo imaginar que a Red Bull não tenha algum plano B. É claro que eles deveriam estar cientes disso, e Helmut [Marko] e Christian estão cheios de movimentos e soluções. Não espero que sejamos o Plano A deles!”, ponderou.

Abiteboul ainda disse que a decisão da Honda não foi uma surpresa total. “Sabemos que é sempre algo que pode acontecer. Eu sabia que eles tinham que confirmar sua permanência para além de 2021, e agora era a hora de fazer isso - talvez a falta de confirmação já fosse uma indicação”, completou o chefe da Renault, que terá o bicampeão mundial Fernando Alonso, da Espanha, como piloto a partir de 2021.

Honda anuncia saída da F1 ao final da temporada 2021; veja detalhes

PODCAST Motorsport.com debate a carreira e o legado de Kimi Raikkonen; ouça

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
VÍDEO: Piquet 'esculacha' Galvão e Globo em homenagem a Reginaldo Leme

Artigo anterior

VÍDEO: Piquet 'esculacha' Galvão e Globo em homenagem a Reginaldo Leme

Próximo artigo

Alonso é taxativo sobre Hamilton vs Schumacher e ‘se compara’ a Vettel

Alonso é taxativo sobre Hamilton vs Schumacher e ‘se compara’ a Vettel
Carregar comentários