Cortes de Javier Milei colocam em dúvida o GP da Argentina de MotoGP de 2024

Os cortes governamentais impostos na Argentina pelo presidente colocaram em séria dúvida a realização da etapa em Termas de Rio Hondo em 2024

Franco Morbidelli, Yamaha Factory Racing, largada da corrida

Franco Morbidelli, Yamaha Factory Racing, largada da corrida

Gold and Goose / Motorsport Images

Faltando apenas um mês e meio para o início da temporada 2024 da MotoGP, em 10 de março, no Catar, o Motorsport.com apurou que a terceira etapa do calendário, programada para o fim de semana de 5 a 7 de abril, na Argentina, corre sério risco de não ser realizada.

Leia também:

Desde o início de sua presidência, que começou em 10 de dezembro do ano passado, Javier Milei implementou na Argentina uma política de cortes de gastos em todas as áreas do estado nacional, visando a redução pela metade dos ministérios do governo, que passaram de 18 para nove imediatamente após a chegada do novo mandato.

Dentro da estrutura desse programa de cortes orçamentários, a inclusão das despesas diretas do GP da Argentina é praticamente injustificável, uma vez que o evento recebe uma quantia significativa de dinheiro do governo nacional - um fator fundamental junto com o governo provincial de Santiago del Estero e o promotor privado para a realização da corrida.

Alex Marquez, Gresini Racing

Foto de: Gold and Goose / Motorsport Images

Alex Marquez, Gresini Racing

A maioria das equipes ainda não foi informada pela IRTA, a associação que as representa, mas várias delas suspeitam que o evento em Termas de Rio Hondo não será realizado. Se a corrida for cancelada, o campeonato terá três semanas entre a corrida em Portugal, em 24 de março, e o GP das Américas em Austin, em 14 de abril.

Apesar do fato de o circuito de Balaton Park aparecer como reserva no calendário anunciado no final de setembro, a margem limitada até a data marcada torna difícil imaginar que o local húngaro possa preencher a lacuna deixada pela Argentina.

Na verdade, as equipes consultadas pelo Motorsport.com não ficariam surpresas se o GP do Cazaquistão, programado para meados de junho e já cancelado na temporada passada, não fizesse sua estreia novamente em 2024. O calendário de 2024 está atualmente definido para ser o mais longo da história da MotoGP, com 22 eventos.

O GP da Argentina passou por alguns anos difíceis, com as edições de 2020 e 2021 canceladas por causa da pandemia de COVID-19, enquanto um grande incêndio destruiu o complexo de construção dos boxes em 2021.

Em 2022, o evento foi colocado em dúvida devido a atrasos no frete enquanto o paddock tentava ir de Lombok, na Indonésia, para Termas de Rio Honda, com o fim de semana sendo reduzido a apenas dois dias quando o treino de sexta-feira foi cancelado.

Com exceção dos anos de pandemia, a Argentina tem sido um elemento básico do calendário da MotoGP desde que voltou ao cronograma em 2014.

DRUGOVICH e BORTOLETO na mesma equipe de F1? Brasileiros falam sobre 2024 e ALÉM na ASTON e McLAREN

Sai Barcelona, entra Madri: F1 muda DNA e pode perder GPs clássicos

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Be part of Motorsport community

Join the conversation
Artigo anterior Substituta da RNF na MotoGP, Trackhouse revela pintura para 2024
Próximo artigo F1 e MotoGP planejam fim de semana em conjunto

Top Comments

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Sign up for free

  • Get quick access to your favorite articles

  • Manage alerts on breaking news and favorite drivers

  • Make your voice heard with article commenting.

Motorsport prime

Discover premium content
Assinar

Edição

Brasil