MotoGP promete preliminar com motos 100% elétricas

Promotor do campeonato diz que conversas já estão avançadas para ter grid com 18 motos a partir de 2019

MotoGP promete preliminar com motos 100% elétricas
Carregar reprodutor de áudio

Diferente dos carros, as corridas de motos elétricas ainda não decolaram. Mas, com o início e o rápido crescimento do campeonato da Fórmula E, planos deverão ser colocados em prática em breve para que tenhamos corridas com motos 100% elétricas.

No momento, a Dorna, promotora da MotoGP, tenta organizar um campeonato que esteja com o mundial em até cinco corridas no ano de 2019. Quatro fabricantes já se ofereceram para fornecer as 18 motos do grid.

As motos devem atingir velocidades de cerca de 200 km/h, o que as torna ligeiramente mais lentas que as motos existentes na Moto3. As corridas deverão durar cerca de 10 voltas cada.

Também foi sugerido que as equipes independentes da MotoGP e algumas das equipes líderes da Moto2 tenham garantias no novo campeonato se quiserem participar.

"O projeto está muito avançado", disse Carmelo Ezpeleta, chefe da promotora da MotoGP, ao Motorsport.com. "É muito provável que em 2019 tenhamos várias corridas de apoio para a MotoGP na Europa.”

"Já temos quatro ofertas de marcas na mesa. Será monomarca, com todas as motos iguais e as corridas terão um mínimo de 10 voltas."

Enquanto a Fórmula E depende de geradores para recarregar seus carros entre as sessões, Ezpeleta quer que o novo campeonato use painéis solares.

"Queremos que as baterias sejam recarregadas a partir de painéis solares, não por geradores como em outros campeonatos", acrescentou Ezpeleta.

"Desta forma, podemos deixar algo rentável para os circuitos onde o campeonato compete."

compartilhar
comentários
Crutchlow pede melhorias para "parar de frear feito idiota"
Artigo anterior

Crutchlow pede melhorias para "parar de frear feito idiota"

Próximo artigo

Coluna do Mamola: Rossi pode mesmo bater Viñales e Márquez?

Coluna do Mamola: Rossi pode mesmo bater Viñales e Márquez?