MotoGP: Rossi vê Mugello como “fundamental” em discussão sobre futuro, mas abre etapa com problemas

Rossi voltou a dizer que deve decidir seu futuro durante a pausa de verão da MotoGP, entre 27 de junho e 08 de agosto

MotoGP: Rossi vê Mugello como “fundamental” em discussão sobre futuro, mas abre etapa com problemas

Valentino Rossi considera o final de semana em Mugello como o começo de uma sequência de provas “muito importantes” para determinar seu futuro na MotoGP. Mas, após os dois primeiros treinos livres nesta sexta, o italiano admite estar “com problemas”.

Com apenas nove pontos conquistados na temporada até aqui, Rossi é apenas o 20º na classificação do Mundial, bem atrás dos outros três pilotos da Yamaha, Fabio Quartararo (líder, com 80), Maverick Viñales (quinto, com 56) e Franco Morbidelli (oitavo com 33).

Leia também:

E seu final de semana em Mugello não começou da melhor forma possível, sofrendo em ambas as sessões de treino livre e ficando apenas com a 21ª posição no combinado do dia. O italiano disse que está sofrendo com a frenagem e não tem como usar a velocidade de curva da Yamaha.

“Foi um dia difícil para mim, especialmente a tarde, porque começamos com os pneus duros e não foi a escolha certa, porque não havia aderência. No fim, fiz duas ou três voltas com o macio na traseira e melhorei meu tempo, mas a posição seguiu sendo ruim”.

“Não tenho uma boa sensação com a moto, porque estou com problemas na frenagem, para parar a moto, e estou lento na mudança de direção”.

Enfrentando seu pior início de temporada na carreira, Rossi possui um bom histórico nas pistas que vêm a seguir, com sete vitórias em Mugello, sete em Barcelona e oito em Assen.

Com seu acordo atual com a Yamaha e a Petronas SRT chegando ao fim neste ano, e longe de entregar as performances requeridas em seu contrato para discutir uma renovação para 2022, Rossi acredita que essas corridas, além da Alemanha, são fundamentais para seu futuro.

“Agora temos uma sequência importante do campeonato, com quatro corridas em cinco semanas e provas importantes para mim, como Mugello, Barcelona e Assen. E sem a Finlândia, teremos um mês de férias e, neste momento, todos começam a pensar em 2022”.

“Então, como disse no início, neste ponto tomarei minha decisão, que não é apenas minha. Preciso falar com a Petronas e a Yamaha para entender seus planos. Mas, certamente, essas quatro corridas são muito importantes para obter bons resultados”.

Rossi acredita que teve ganhos após o teste feito em Jerez, logo após o GP da Espanha, mas notou que seus problemas em Mugello vêm do uso do mesmo ajuste. Na sexta, a Yamaha introduziu sua versão do holeshot, dispositivo usado na largada.

O italiano ficou feliz com a mudança, mas sentiu que era algo que precisava ser refinado, dizendo que isso é “crítico”.

“Sim, usei o dispositivo e está melhor, foi um bom passo. Mas precisamos trabalhar nele, é algo crítico. Temos ainda alguns problemas mas, com sorte, podemos usá-lo o mais rápido possível”.

CONHEÇA a SAGA da roda de BOTTAS que causou MAIOR 'pit stop' da HISTÓRIA da F1 e envolveu FERRARI

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: O que a liderança inédita de Verstappen representa na F1?

 

compartilhar
comentários
MotoGP: Recuperação de Márquez está "emperrada" por conta de problemas no ombro

Artigo anterior

MotoGP: Recuperação de Márquez está "emperrada" por conta de problemas no ombro

Próximo artigo

MotoGP: Quartararo domina e faz a pole para o GP da Itália, quarta consecutiva em 2021

MotoGP: Quartararo domina e faz a pole para o GP da Itália, quarta consecutiva em 2021
Carregar comentários