Para Rossi, 2º no grid é “mais importante que o normal”

Italiano dribla queda no TL4 e contusão sofrida em treino para fazer grande sábado em Mugello

Para Rossi, 2º no grid é “mais importante que o normal”
Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing, with new helmet
Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing
Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing
Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing with new helmet
Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing
Carregar reprodutor de áudio

Valentino Rossi conquistou uma grande segunda posição para o GP da Itália deste domingo. O piloto, além de contundido, ainda caiu no TL4 antes de se classificar para o Q2 após liderar o TL3 desta manhã.

O piloto de 38 anos, que na semana passada passou uma noite no hospital depois de um acidente de motocross, disse que se recuperar da queda para o segundo posto foi um resultado bom.

"De manhã eu tive um bom ritmo com os pneus da corrida, e no final fiz uma boa volta e fiquei no topo", disse Rossi.

"Nesta tarde tive uma boa sensação, mas, infelizmente, no final cometi um erro na Correntaio e saí na sujeira.”

"Felizmente eu danifiquei apenas a segunda moto, ainda tinha a melhor moto pronta. Mas perdi um pouco de sensação. A classificação foi difícil, então este segundo lugar é mais importante do que o normal.”

"De mim para a segunda fila estamos todos muito próximos."

Depois de sofrer com dor no braço na sexta-feira, Rossi disse que já não se sente tão mal, mas fala que a corrida promete ser complicada.

"Estou indo melhor a cada dia, estou tendo uma boa recuperação", acrescentou Rossi. "Eu não tenho nenhuma dor quando estou na moto, isso é muito importante. Eu precisava de mais tempo para me recuperar.”

"Eu acho que amanhã a corrida será mais difícil que o normal, mas espero poder melhorar de hoje para amanhã."

compartilhar
comentários
Rossi lembra Totti e Hayden em capacete para GP da Itália
Artigo anterior

Rossi lembra Totti e Hayden em capacete para GP da Itália

Próximo artigo

Mesmo em 7º, Lorenzo quer “mais que pódio” na Itália

Mesmo em 7º, Lorenzo quer “mais que pódio” na Itália