Análise

Rossi fica na MotoGP? Confira como está o mercado da categoria

Heptacampeão, piloto italiano será substituído por Quartararo na Yamaha em 2021

Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing

Em meio à paralisação da MotoGP em função da pandemia de coronavírus, muito se discute se Valentino Rossi continuará na categoria em 2021. O italiano tem contrato com a Yamaha até o fim de 2020 e será substituído pelo francês Fabio Quartararo no ano que vem.

Leia também:

O italiano pretendia decidir se segue na MotoGP depois de disputar algumas provas na temporada 2020, mas o calendário reduzido pela Covid-19 pode atrapalhar os planos do 'Doutor'. Tendo isso em vista, a Yamaha Petronas já confirmou que as portas estão abertas para Rossi.

GALERIA: Relembre a incrível trajetória do 'Doutor' Valentino Rossi na MotoGP

1996: Rossi estreia nas 125cc
1997: Primeiro título mundial, com a Aprilia, nas 125cc
1999: Segundo ano de Rossi nas 250cc
2000: Vai para as 500cc com a Honda
2001: Conquista o primeiro título na categoria rainha
2002: Segundo título, já na MotoGP
2003: Rossi de cabelo vermelho
2004: Primeiro ano na Yamaha
2005: Ao lado do brasileiro Alex Barros no ano do pentacampeonato consecutivo do italiano
2006: Ao lado da Yamaha M1
2007: Mais uma foto na Yamaha
2008: Depois de dois anos sem título, Rossi voltou a ser campeão, tendo Jorge Lorenzo como companheiro
2010: Rossi exibe capacete personalizado para etapa italiana da MotoGP
2010: Rossi estuda traçado de circuito de Mugello
2011: 'Doutor' barbudo em seu ano de estreia na Ducati
2012: Mais um ano com a Ducati
2013: Volta à Yamaha
2015: Italiano volta ao pódio com regularidade
2016: Mais um ano com a Yamaha
2017: Quase nos quarenta, Rossi voltou ao visual 'careca'
2019: Rossi completa quatro décadas neste ano
21

De todo modo, o heptacampeão da categoria rainha da motovelocidade segue focado em 2020, declarando que espera um 2020 melhor que 2019. O motivo? Uma 'troca de comando' na Yamaha que favoreceria o italiano de 41 anos.

Enquanto a lenda da MotoGP define seu futuro, o Motorsport.com analisa como está o mercado da elite do motociclismo mundial. Na tabela abaixo, você confere até quando vão os contratos da categoria rainha:

Equipe

Piloto

Idade 

Fim de contrato

Repsol Honda

Honda RC213V

Spain Marc Márquez 

Spain Álex Márquez

27

24

Final de 2024

Final de 2020

Ducati 

Ducati Desmosedici GP19

Italy Andrea Dovizioso

Italy Danilo Petrucci

34

29

Final de 2020

Final de 2020

Yamaha 

Yamaha YZR-M1

Spain Maverick Viñales

Italy Valentino Rossi

25

41

Final de 2022

Final de 2020

Suzuki 

Suzuki GSX-RR

Spain Álex Rins

Spain Joan Mir

25

22

Final de 2022

Final de 2022

KTM 

KTM RC16

Spain Pol Espargaró

South Africa Brad Binder

28

24

Final de 2020

Final de 2020

Aprilia

Aprilia RS-GP

Spain Aleix Espargaró

Italy Andrea Iannone*

30

30

Final de 2020

Final de 2020

Pramac Ducati

Ducati Desmosedici

Australia Jack Miller

Italy Pecco Bagnaia

25

23

Final de 2020

Final de 2020

Tech3 KTM 

KTM RC16

Portugal Miguel Oliveira

Spain Iker Lecuona

25

20

Final de 2020

Final de 2020

Petronas Yamaha 

Yamaha YZR-M1

France Fabio Quartararo

Italy Franco Morbidelli

21

25

Final de 2022**

Final de 2020

Avintia Ducati

Ducati Desmosedici

Spain Tito Rabat

France Johann Zarco

30

29

Final de 2021

Final de 2020

LCR Honda

Honda RC213V

United Kingdom Cal Crutchlow

Japan Takaaki Nakagami

34

28

Final de 2020

Final de 2020

* Iannone está cumprindo atualmente uma suspensão de 18 meses devido ao teste de doping feito no ano passado. Caso o piloto não consiga reverter sua decisão, deve ficar fora da MotoGP até o meio de 2021, o que o CEO da Aprilia afirmou que pode levar ao fim de seu contrato com o piloto

** Quartararo tem contrato com a Yamaha Petronas até o fim de 2020 e com a equipe oficial da Yamaha até o final de 2021

GALERIA: Relembre todas as motos da carreira de Valentino Rossi na motovelocidade

1996 (125cc) - 9º no mundial (1 vitória), 111 pontos
1997 (125cc) - Campeão (11 vitórias), 321 pontos
1998 (250cc) - Vice-campeão (5 vitórias), 201 pontos
1998, GP de Imola (250cc)
1999 (250cc) - Campeão (9 vitórias), 309 pontos
1999, GP da Itália (250cc)
1999, GP de Imola (250cc)
2000 - Vice-campeão (2 vitórias), 209 pontos
2001 - Campeão (11 vitórias), 325 pontos
2001, GP da Itália
2002 - Campeão (11 vitórias), 355 pontos
2003 - Campeão (9 vitórias), 357 pontos
2003, GP de Valência
2004 - Campeão (9 vitórias), 304 pontos
2005 - Campeão (11 vitórias), 367 pontos
2005, GP dos EUA
2005, GP de Valência
2006 - Vice-campeão (5 vitórias), 247 pontos
2007 - 3º no mundial (4 vitórias), 241 pontos
2007, GP da Holanda
2007, GP da Austrália
2008 - Campeão (9 vitórias), 373 pontos
2008, GP da Catalunha
2009 - Campeão (6 vitórias), 306 pontos
2009, GP de Portugal
2010 - 3º no mundial (2 vitórias), 233 pontos
2010, GP dos EUA e de Indianápolis
2011 - 7º no mundial (0 vitórias), 139 pontos
2012 - 6º no mundial (0 vitórias), 163 pontos
2013 - 4º no mundial (1 vitória), 237 pontos
2014 - Vice-campeão (2 vitórias), 295 pontos
2015 - Vice-campeão (4 vitórias), 325 pontos
2016 - Vice-campeão (2 vitórias), 249 pontos
2017 - 5º no mundial (1 vitória), 208 pontos
2018 - 3º no mundial (0 vitórias), 198 pontos
2019 - 6º no mundial (em andamento)
36

VÍDEO: Luis Roberto revela convite para ver corpo de Senna após morte do tricampeão

PODCAST Motorsport.com: Senna foi o melhor esportista do Brasil?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior MotoGP: Veja por que Rossi crê que se sairá melhor do que em 2019
Próximo artigo MotoGP: Petronas foca em renovação de Morbidelli e coloca dupla Rossi/Lorenzo como improvável para 2021

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil