Ford: Híbridos na NASCAR é questão de tempo

compartilhar
comentários
Ford: Híbridos na NASCAR é questão de tempo
Por:
Co-autor: Filip Cleeren
3 de jun de 2019 21:59

De acordo com chefe de automobilismo da Ford Performance, Mark Rushbrook, categoria pretende desenvolver motor de próxima geração a partir da temporada de 2022

A NASCAR planeja introduzir uma nova especificação de carro - rotulada como "Gen-7" - para a temporada de 2021, que contará com mais peças padrão, como meio de reduzir custos e ser mais atraente para novos fabricantes.

Assim que o chassi do Gen-7 for finalizado para a temporada de 2021, que deve coincidir com uma reformulação das distâncias das corridas e calendário, a atenção se voltará para o lado da motorização. Quando perguntado se os híbridos estariam na próxima geração, o vice-presidente de desenvolvimento de inovação da NASCAR, John Probst, disse ao Motorsport.com em fevereiro: “Isso está no radar com certeza. Mas estamos no início dessa discussão.”

Leia também:

Falando durante os testes das 24 Horas de Le Mans no fim de semana, Mark Rushbrook, chefe de automobilismo da Ford, sugeriu que a energia híbrida seria usada apenas em pistas adequadas, como mistos e ovais curtos, que gerariam a energia de frenagem necessária para alimentar o sistema.

"Há muita discussão aberta sobre híbridos na NASCAR", disse Rushbrook. “É só uma questão de tempo. Será, provavelmente, em 2022 ou 2023.

"Não precisa estar em todas as pistas. Se você colocar um híbrido na Daytona 500, onde você está acelerando durante toda a volta, não faz sentido. Para um oval curto, como Martinsville, ou misto, como Watkins Glen, o híbrido faz sentido.

Rushbrook também disse que o híbrido daria a potência extra necessária em pistas e ovais curtos, o que significaria que os motores a combustão seriam da mesma especificação em todas as corridas. Os motores da NASCAR atualmente são restritos por espaçadores cônicos de tamanhos diferentes, que reduzem a potência para 550 cavalos em superspeedways e ovais com mais de uma milha, e 750 cavalos para ovais curtos.

"Seria o mesmo motor a combustão com um motor elétrico adicionado", acrescentou. “De muitas maneiras, o híbrido compensaria essa diferença de potência e seria, nesse caso, exatamente o mesmo a combustão de 550 cavalos de potência em todas as pistas, e então a potência adicionada nos ovais.”

No ano passado, o piloto da Ford, Brad Keselowski, escreveu sugeriu em seu blog que a NASCAR deveria abraçar um sistema híbrido no estilo da F1, afirmando que “seria mais relevante para o mundo automotivo.”

Próximo artigo
NASCAR: Kyle Busch demonstra superioridade e vence em Pocono

Artigo anterior

NASCAR: Kyle Busch demonstra superioridade e vence em Pocono

Próximo artigo

NASCAR: Na prorrogação, Logano vence em Michigan em prova adiada pela chuva

NASCAR: Na prorrogação, Logano vence em Michigan em prova adiada pela chuva
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria NASCAR Cup
Autor Charles Bradley
Seja o primeiro a receber as últimas notícias