Nostalgia

F1: Há 40 anos, Senna mostrava sua genialidade na chuva no GP de Mônaco

Uma das provas mais controversas da história da F1, que definiu o título da temporada de 1984, completa 40 anos neste dia 03 de junho

Ayrton Senna, Toleman TG184

Há exatos 40 anos, em 03 de junho de 1984, a Fórmula 1 realizava o GP de Mônaco daquela temporada. A prova destacou dois talentos que ainda eram inexperientes, mas empolgantes. Embora o chefe da McLaren, Alain Prost, tenha vencido a 12ª prova de sua carreira, Ayrton Senna e Stefan Bellof estrelaram enquanto a chuva encharcava a pista do Principado.

As condições climáticas eram péssimas quando Prost, saindo da pole, passou pela Sainte Devote pela primeira vez. René Arnoux, da Ferrari e Derek Warwick, da Renault, se enroscaram atrás dele, e Patrick Tambay, companheiro de equipe de Warwick na equipe francesa, não conseguiu evitá-lo, forçando o abandono duplo. Não foi um bom começo de dia para a França...

Leia também:
Alain Prost, McLaren MP4/2, leads the start

Alain Prost, McLaren MP4/2, leads the start

Photo by: Sutton Images

Elio de Angelis,  Lotus 95T, passes Patrick Tambay,  Renault RE50 and Derek Warwick, Renault RE50

Elio de Angelis, Lotus 95T, passes Patrick Tambay, Renault RE50 and Derek Warwick, Renault RE50

Photo by: Sutton Images

A McLaren de Prost, com pneus Michelin, liderou as dez voltas iniciais, até que a Lotus de Nigel Mansell, calçada com Goodyear, o ultrapassou. Mansell conseguiu uma vantagem de 8s em cinco voltas antes de perder o controle em uma linha branca pintada e bater de traseira nas barreiras.

Nigel Mansell, Lotus 95T

Nigel Mansell, Lotus 95T

Photo by: Sutton Images

Nigel Mansell, Lotus 95T

Nigel Mansell, Lotus 95T

Photo by: Motorsport Images

Isso deu a Prost uma vantagem de quase 30s, e ele a ampliou para 35s128 na volta 21. Mas então algo incrível começou a acontecer...

Senna largou em 13º, tendo se classificado no seco a 2s3 da marca de Prost, mas, nessas condições, sua Toleman (também com Michelins) era muito mais competitiva. As voltas mais rápidas nas voltas 23  e 24  provaram que ele era o homem mais rápido na pista, embora a chuva tenha se intensificado nesse momento e até mesmo ele teve que diminuir o ritmo.

Alain Prost, McLaren MP4/2

Alain Prost, McLaren MP4/2

Photo by: Sutton Images

Ayrton Senna, Toleman TG184-Hart

Ayrton Senna, Toleman TG184-Hart

Photo by: Motorsport Images

Prost havia sofrido uma falha de motor nos estágios iniciais, mas foi um problema de freio que dificultou seu avanço, enquanto Senna ia reduzindo sua vantagem. As condições da pista também foram piorarando progressivamente, com os tempos de volta caindo até 5s.

Foi nesse ponto em que Prost balançava o braço para fora do cockpit várias vezes ao cruzar a linha de chegada. O diretor da corrida, Jacky Ickx, era um homem reconhecidamente duro e sempre se deu bem em condições de pista molhada, mas até mesmo ele podia ver a insensatez de continuar enquanto a chuva caía ainda mais forte.

Ayrton Senna, Toleman TG184-Hart

Ayrton Senna, Toleman TG184-Hart

Photo by: Motorsport Images

Ayrton Senna, Toleman TG184-Hart

Ayrton Senna, Toleman TG184-Hart

Photo by: Motorsport Images

Veja como Senna diminuiu a diferença para Prost nas 10 voltas finais, antes de a corrida receber bandeira vermelha na metade da volta 32. Isso significou que o resultado da corrida foi retroativo à volta 31.

Volta 22 - 34s210

Volta 23 - 31s266

Volta 24 - 28s727

Volta 25 - 26s141

Volta 27 - 21s704

Volta 28 - 18s139

Volta 29 - 15s369

Volta 30 - 11s779

Volta  31 - 7s446

Senna teria vencido? Analisando os tempos de volta e os problemas de freio de Prost, sem dúvida. Mas seu carro sofreu danos quando ele bateu na zebra na chicane do porto, e o projetista da Toleman, Pat Symonds, disse que até ele "nunca saberia" se os danos sofridos na dianteira direita teriam sobrevivido à distância completa.

Stefan Bellof, Tyrrell 012-Ford

Stefan Bellof, Tyrrell 012-Ford

Photo by: Sutton Images

Ayrton Senna, Toleman TG184 Hart

Ayrton Senna, Toleman TG184 Hart

Photo by: Motorsport Images

Outra história que sempre é mencionada sobre essa corrida é que Bellof estava alcançando Senna, enquanto Senna estava alcançando Prost. Observando as diferenças entre eles, Bellof de fato diminuiu significativamente a diferença para Senna entre as voltas 27 e 29, mas não tanto nas duas voltas finais, e ainda estava 13s695 atrasado no final da volta 31.

Lembre-se de que Bellof começou a corrida na última posição e estava guiando o único carro sem turbocompressor do evento. Por um lado, ele estava abrindo mão de possivelmente 250 hp, mas a entrega de potência de seu carro era muito mais previsível e linear nas condições traiçoeiras do que a dos carros turbo com "interruptor de luz".

Independentemente do que você considere os positivos e os negativos daquele equipamento em comparação com o de seus rivais, ele chegou a 10º  nas três primeiras voltas e ganhou muitas outras posições quando os carros foram rodando à sua frente.

Stefan Bellof, Tyrrell 012-Ford

Stefan Bellof, Tyrrell 012-Ford

Photo by: Sutton Images

Tyrrell driver Stefan Bellof with teamboss Ken Tyrrell

Tyrrell driver Stefan Bellof with teamboss Ken Tyrrell

Photo by: Rainer W. Schlegelmilch

O magnífico terceiro lugar de Bellof foi riscado dos registros históricos de qualquer maneira, quando a Tyrrell foi desclassificada do campeonato. Mas foi um grande marco de seu empolgante talento, que foi tristemente extinto um ano depois em uma corrida de carros esportivos em Spa. 

A trágica ironia foi que o carro com o qual ele colidiu, causando seu impacto fatal, era dirigido por Ickx, o homem que decidiu interromper a corrida de Mônaco por motivos de segurança...

MP4/4, 97T, TG183B, FW16... Confira TODOS os carros de AYRTON SENNA na F1

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube

Podcast Motorsport.com debate: Verstappen e RBR ameaçados em 2024?

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Simulação deixa Ferrari otimista para vitória no GP do Canadá
Próximo artigo F1: Quais as opções de Ocon após saída da Alpine

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil