Após 2018 difícil, Camilo é confiante: “pode apostar que estaremos na briga”

compartilhar
comentários
Após 2018 difícil, Camilo é confiante: “pode apostar que estaremos na briga”
Por:
6 de abr de 2019 11:43

Entrando em 16º ano na Stock Car, piloto da equipe de Andreas Mattheis acha que equipe irá recuperar de 2018 frustrante

Longe da briga do título no ano passado, Thiago Camilo entra em 2019 disposto a fazer as pazes com o sucesso na Stock Car. Neste ano ele continua com o patrocínio da Ipiranga e na mesma equipe, do multicampeão Andreas Mattheis.

Segundo ele, a equipe já sabe o que deu errado no ano passado enquanto a acerto dos carros e tem tudo para se recuperar.

Leia também:

“Pode apostar que estaremos na briga mais uma vez”, garantiu ao Motorsport.com.

“No meu 18º ano de Stock eu já vou ter sido campeão, fica tranquilo. É meu 16º. Diria que estou animado para este ano. Talvez até mais animado do que quando iniciei 2017, já pela estrutura do Andreas Mattheis.”

“No ano passado nós tivemos uma temporada ruim, foi muito aquém das expectativas depois de ter brigado pelo título de 2017. Sem uma mudança técnica grande na categoria, a gente esperava brigar pelo título em 2018. Em 2017 nós fizemos um bom ano, mas tecnicamente estivemos um pouco atrás do Daniel Serra.”

“Mas como conseguimos encaixar boas estratégias, conseguimos chegar brigando nos pontos. Na pista, ele esteve sempre um pouco melhor. Em 2018, as coisas foram para o lado contrário. Embora seja cedo para dizer, acho que a nossa equipe conseguiu nesse intervalo reencontrar o caminho. Tenho certeza que vamos voltar a brigar por poles e vitórias neste ano.”

Camilo afirmou que o time entendeu o que tinha de errado em seu desenvolvimento já no ano passado, mas que tentou focar seus esforços neste ano para se preparar da melhor maneira.

“Todo mundo que tem um time aprimorado como temos na Mattheis, sabe os pontos fortes e os fracos”, falou.

“O problema é que a Stock Car quando começa é uma corrida atrás da outra e o time às vezes não tem tempo de parar e analisar a fundo o que está acontecendo. Essas mudanças também precisam de um certo tempo.”

“Então chegou em um momento no ano passado que a gente parou de trabalhar no carro ali e começamos a buscar coisas novas. Acho que 2019 é um momento de colher as experiências de 2018 que deram certo e as que deram errado – no caso, a maioria.”

Próximo artigo
Verstappen brasileiro? Mais novo da história da Stock, Coletta tem aula de Velopark com Cacá

Artigo anterior

Verstappen brasileiro? Mais novo da história da Stock, Coletta tem aula de Velopark com Cacá

Próximo artigo

Com plano visionário, novata KTF quer estar entre principais times da Stock Car

Com plano visionário, novata KTF quer estar entre principais times da Stock Car
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Stock Car Brasil
Evento Velopark
Autor Gabriel Lima