Com plano visionário, novata KTF quer estar entre principais times da Stock Car

compartilhar
comentários
Com plano visionário, novata KTF quer estar entre principais times da Stock Car
Por:
6 de abr de 2019 11:44

Equipe comandada por Enzo Bortoleto chega com proposta de plataforma inovadora para padrão do automobilismo brasileiro.

A Stock Car conta neste ano com a estreia de um time novo. Vindo de um vice-campeonato na Stock Light em 2018, a KTF – comandada por Enzo Bortoleto – está debutando na maior categoria do automobilismo brasileiro neste final de semana no Velopark.

De cara, o time já provou que não veio para fazer número. Seus dois pilotos são muito experientes: o campeão de 2015, Marcos Gomes, e Diego Nunes – que entra neste ano em sua décima temporada na categoria.

Leia também:

A proposta da equipe é fornecer uma academia completa para a formação de pilotos, desde o kart até a Stock Car, ou até a ida para os carros de fórmula.

“Queremos entrar aqui para ficar”, falou Bortoleto ao Motorsport.com.

“KTF significa kart, turismo e fórmula. Porque o cara começa no kart, aí tem a possibilidade de passar para o GT ou fazer os fórmula. Todos aqui fizeram este caminho. Mas nossa ideia é isso. Nós também temos aqui de kart, então a ideia é montar uma academia de pilotos. Vamos pega-lo desde o kart, Stock Light e depois na Stock Car.”

“E isso tudo demanda uma atenção especial com o piloto. Quando eu corrida, tinha que preocupar com tudo, meu assessor, o cara que ia tirar minha foto e com o lado técnico. Então, aqui o cara vai ter tudo no mesmo lugar. Teremos simulador na sede e academia também. Nossos pilotos vão ter cronogramas e horários semanalmente para tornar o cara um profissional. Oferecer uma plataforma para o desenvolvimento.”

Piloto até o ano passado na Stock Light, Bortoleto, de apenas 20 anos, tomou a decisão de se afastar das pistas neste ano para se dedicar somente à administração da KTF pelo tamanho e sucesso até aqui do projeto.

“É, não foi uma decisão fácil”, recordou.

“Quando decidi fazer isso, vi o tamanho que isso estava se tornando. Eu conversei com o meu pai, e veio essa decisão. Nossa ideia é fazer um caminho diferente das outras equipes. As equipes são muito profissionais, mas esse lado empresarial de marketing ainda não é o principal.”

“Se diz aqui que na Stock se vive sabendo que não vai sobreviver ao próximo ano. Nossa ideia é fazer diferente, é trazer o conforto para os mecânicos e engenheiro de que é algo seguro e longo. Como eu criei, se não me afastasse das corridas seria mais difícil seguir essa linha.”

Quanto a resultados, ele não bota uma metade para este ano, mas é bastante positivo quanto ao potencial de seu time, falando em vitórias até o fim de 2019.

“Vamos etapa a etapa trabalhando para cada vez estar melhor, não dá para traçar um objetivo no momento para o ano”, seguiu.

“Resultado final, é difícil falar, mas tenho certeza que neste ano vamos ganhar corridas e fazer poles por aí.”

Próximo artigo
Após 2018 difícil, Camilo é confiante: “pode apostar que estaremos na briga”

Artigo anterior

Após 2018 difícil, Camilo é confiante: “pode apostar que estaremos na briga”

Próximo artigo

De volta ao comando da Stock, Col fala em “responsabilidade redobrada”

De volta ao comando da Stock, Col fala em “responsabilidade redobrada”
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Stock Car Brasil
Evento Velopark
Autor Gabriel Lima