Fórmula 1
23 out
Próximo evento em
11 Horas
:
30 Minutos
:
51 Segundos
IndyCar
12 set
Evento encerrado
NASCAR Cup
18 out
Evento encerrado
R
Texas II
25 out
Próximo evento em
2 dias
Stock Car Brasil
03 out
Evento encerrado
R
06 nov
Próximo evento em
14 dias
MotoGP
16 out
Evento encerrado
R
GP da Austrália
23 out
Canceled

Sistema de tokens e classe de 10MJ entram na LMP1 em 2018

compartilhar
comentários
Sistema de tokens e classe de 10MJ entram na LMP1 em 2018
Por:

Aumento de nível máximo na classe híbrida e sistema de fichas para desenvolvimento dos motores estão no pacote de regras para a classe LMP1 a partir de 2018

#2 Porsche Team Porsche 919 Hybrid: Romain Dumas, Neel Jani, Marc Lieb
#5 Toyota Racing Toyota TS050 Hybrid
#6 Toyota Racing Toyota TS050 Hybrid
#5 Toyota Racing Toyota TS050 Hybrid
#7 Audi Sport Team Joest Audi R18
#7 Audi Sport Team Joest Audi R18
Pit stop practice for #1 Porsche Team Porsche 919 Hybrid: Timo Bernhard, Mark Webber, Brendon Hartley

O regulamento do Mundial de Endurance para o período entre 2018 e 2021 está perto da conclusão e deve ser anunciado em breve, com novidades significativas para a classe LMP1, a principal do certame. Entre as novidades estão a inclusão do sistema de tokens - que será abandonado pela Fórmula 1 na próxima temporada - e o aumento do limite da classe híbrida de 8MJ para 10MJ.

As conversas entre a organização do campeonato e as fabricantes têm se estendido por mais de um ano e o sistema de tokens, proposto pela Toyota, tem como objetivo reduzir os custos na LMP1 e servir de motivação para outras montadoras entrarem no WEC.

“Temos trabalhado bem em cima do novo regulamento e queremos continuar o desenvolvimento de performance. Creio que um sistema de tokens ajudaria o campeonato e o regulamento a ser mais estável e previsível, focando em partes elementares. Será benéfico para todos", disse Rob Leupen, diretor da Toyota no WEC, ao Motosport.com.

Entende-se que a Toyota possui um orçamento inferior a Audi e Porsche e quer o sistema de tokens para controlar os custos do carro e da unidade de potência. "Sempre queremos inovar e ser livres, mas também queremos controlar os custos. Então propusemos este princípio para podermos definir quais elementos devem ter tokens e quantos seriam estes tokens", disse o diretor-técnico do time japonês, Pascal Vasselon, ao Motorsport.com.

“Acreditamos que este é um modo elegante de reduzir o nível de desenvolvimento por temporada, mas ainda permitir desenvolvimento e inovação sem que precisemos produzir um carro diferente todo ano", afirmou.

Segundo o Motorsport.com apurou, a resistência inicial de Audi e Toyota ao sistema de tokens arrefeceu nos últimos meses e um anúncio sobre partes do regulamento de 2018 deve ser feito em breve.

Enquanto a Toyota parece comprometida em seguir na LMP1 nos próximos anos, a Audi ainda não anunciou publicamente se permanecerá no WEC após 2017.

Entende-se que a decisão dos alemães já foi tomada e eles seguem no Mundial de Endurance desde que a organização do campeonato mude algumas regras em relação à equivalência dos motores movidos a gasolina e os movidos a diesel - caso do time de Ingolstadt.

Reportagem adicional por Erwin Jaeggi

Kobayashi: “a Fórmula 1 subestima o Mundial de Endurance"

Artigo anterior

Kobayashi: “a Fórmula 1 subestima o Mundial de Endurance"

Próximo artigo

WEC quer introduzir DRS nos carros privados da LMP1 em 2018

WEC quer introduzir DRS nos carros privados da LMP1 em 2018
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria WEC
Equipes Team Joest , Porsche Team , Gazoo Racing
Autor Sam Smith