Alfa Romeo fora F1? Entenda como parceria com Haas esfriou

Marca italiana não fez qualquer anúncio sobre o que poderia ser nova parceria na categoria

Valtteri Bottas, Alfa Romeo F1 Team C43

Valtteri Bottas, Alfa Romeo F1 Team C43

Alfa Romeo

Parece cada vez mais provável que a Alfa Romeo não permaneça como patrocinadora na Fórmula 1 a partir de 2024, depois de não ter conseguido encontrar um novo parceiro entre as equipes.

Leia também:

Surgiram rumores na época do GP de Mônaco deste ano de que a Alfa Romeo poderia patrocinar a Haas quando seu contrato com a Sauber expirasse no final de 2023, no entanto, a fabricante não fez um anúncio oficial sobre quais são seus planos futuros.

Mesmo após o GP de Abu Dhabi, que encerrou a temporada, nenhum anúncio foi feito sobre o assunto, e o site RacingNews365, referindo-se a fontes que trabalham na empresa, publicou que a razão para isso são as negociações paralisadas entre Alfa e Haas.

Segundo a publicação, as duas partes não chegaram a um acordo sobre o tipo de patrocínio que a empresa italiana poderia ter na equipe americana.

A Alfa Romeo assinou um contrato com a Sauber em 2019, o que a tornou o patrocinador principal da equipe suíça, e isso acabou sendo uma jogada particularmente boa, pois parecia ao espectador ocasional que se tratava de uma verdadeira equipe de fábrica.

No entanto, a F1 mudou nos últimos anos, a situação financeira das equipes está melhor e o esporte atrai cada vez mais patrocinadores graças à sua crescente popularidade. Como exemplo, a Haas fez da MoneyGram o patrocinador principal. Porém, um dos efeitos colaterais da explosão do esporte é que as equipes hoje exigem mais de seus patrocinadores, e é aí que pode haver uma diferença entre a Haas e a marca que conseguiu seu acordo de patrocínio com a Sauber de forma relativamente barata.

De acordo com o RN365, a Alfa Romeo esperava um acordo semelhante ao que fez com a Sauber, mas este já está abaixo do valor de mercado atual da F1 e, portanto, no final das contas, não deu em nada, o que significa que a lendária marca italiana deixará a F1.

É provável que a fabricante se concentre nas suas operações em outras categorias, e é provável que haja espaço no WEC, em que a Peugeot, que também é de propriedade da Stellantis, competirá nos hipercarros.

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Be part of Motorsport community

Join the conversation
Artigo anterior F1: Masi de volta? "Imbecil que tomou a decisão errada", diz Wolff
Próximo artigo F1: Wolff dá receita contra desinteresse de fãs por causa de domínio da Red Bull

Top Comments

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Sign up for free

  • Get quick access to your favorite articles

  • Manage alerts on breaking news and favorite drivers

  • Make your voice heard with article commenting.

Motorsport prime

Discover premium content
Assinar

Edição

Brasil