ANÁLISE: Acertos e sinais de alerta da primeira corrida sprint da Fórmula 1

Novo modelo movimentou os primeiros dias do fim de semana do GP da Grã-Bretanha, mas o quanto isso pode tirar a emoção de um treino classificatório?

ANÁLISE: Acertos e sinais de alerta da primeira corrida sprint da Fórmula 1

A Fórmula 1 estreou sua corrida sprint de qualificação experimental neste sábado (17), no GP da Grã-Bretanha, com uma recepção mista de fãs e pilotos. No final das contas, é difícil tirar conclusões depois de apenas uma etapa, mas haverão alguns aspectos positivos e lições para aprender no futuro.

Certamente seria difícil para a primeira prova de classificação da categoria fazer jus ao hype que vinha sendo criado em torno dela por semanas.

Leia também:

Esperanças de 100 km de corrida a céu aberto, com os pilotos batendo roda em sua batalha pelas primeiras posições, agora que estavam livres da preocupação com a degradação dos pneus e o combustível, provavelmente nunca se concretizariam.

No entanto, a primeira sprint de Silverstone pode ser vista como um primeiro teste digno de crédito, mesmo que tenha oferecido alguns sinais de alerta de potenciais problemas no horizonte, caso se torne regular.

Do lado positivo, houve boa ação na circuito e foi uma prova onde os pilotos não estavam apenas sentados esperando por um pit stop para lhes oferecer uma chance de ultrapassagem.

Na frente, claro, virou o que Carlos Sainz previu que seria antes do fim de semana: diversão brilhante por sete curvas e depois se transformando em procissão.

Os ataques agressivos de Max Verstappen na volta de abertura e a tentativa ousada de Lewis Hamilton de tentar dar o troco no rival da Red Bull na Copse foram brilhantes de se ver - e provavelmente algo que não seria esperado em um GP regular de duas horas.

O espetáculo foi certamente salvo pelo brilhantismo de Fernando Alonso ao usar pneus macios na largada e sair do 11º lugar do grid para chegar à quinta posição após a primeira volta.

Fernando Alonso, Alpine A521, Lando Norris, McLaren MCL35M, and Sergio Perez, Red Bull Racing RB16B

Fernando Alonso, Alpine A521, Lando Norris, McLaren MCL35M, and Sergio Perez, Red Bull Racing RB16B

Photo by: Charles Coates / Motorsport Images

Com a luta pelas quatro primeiras colocações praticamente estabilizada a partir de então, todas as atenções estavam voltadas para o espanhol enquanto ele tentava bravamente segurar os pilotos de médios que vinham atrás.

Era o tipo de diferença de estratégia raramente vista na F1 regular, porque as corridas são normalmente muito mais longas do que as 17 voltas que foram disputadas na sprint. Alonso nunca teria feito uma aposta como a de hoje porque ele teria parado cedo e arruinado suas chances.

O que será especialmente fascinante de ver é se o ritmo muito próximo entre os macios e médios será correspondido em outros locais.

Pois se o vermelho não fosse uma opção (e lembre-se de que Valtteri Bottas não pôde se beneficiar muito com isso), o evento certamente teria sido muito menos emocionante.

A chegada do modelo não foi apenas sobre a esperança de entregar um espetáculo brilhante de 30 minutos em uma tarde de sábado.

Como o diretor da categoria Ross Brawn repetidamente disse nas últimas semanas, a mudança de formato foi sobre como melhorar todo o fim de semana, com um ponto principal em cada dia. Isso é, uma qualificação na sexta-feira, uma sprint no sábado e a corrida no domingo.

O GP da Grã-Bretanha, sem dúvida, mostrou que a mudança apimentou o primeiro dia de treinos.

Lewis Hamilton, Mercedes, waves to fans

Lewis Hamilton, Mercedes, waves to fans

Photo by: Steven Tee / Motorsport Images

O deleite das multidões em ver Hamilton pegar uma pole (que não foi uma de fato) era evidente. Em termos de engajamento, os olhos no esporte certamente eram maiores em uma sexta-feira do que quando as equipes estão focadas em seus dados de longo prazo.

Deve ser levado em consideração o fator novidade em Silverstone. O primeiro lugar do heptacampeão e o esforço de George Russell no Q3 foram destaques porque trouxeram algo novo em uma corrida onde a multidão lotada estava de olho nos heróis de casa.

O que não podemos dizer ainda é se a intensidade e a repercussão da qualificação de sexta-feira podem diminuir enormemente no futuro caso as equipes percebam que as posições do grid para a sprint não importam muito.

Se a principal diferença competitiva entre as equipes agora é fazer boas largadas e primeiras voltas fortes, os pilotos podem rapidamente deixar de se preocupar muito com o que acontece em uma sexta-feira.

E assim que eles disserem: "Não importa, eu me classifiquei em quarto lugar, sei que a sprint muda tudo", então os fãs rapidamente levarão essa mensagem e desligarão eles próprios à ação do dia anterior.

Um certo benefício da mudança, no entanto, é que a falta de tempo de prática significa que há uma chance maior das equipes errarem na configuração.

As regras do parque fechado determinam que os pilotos deverão manter seus acertos a partir da tarde de sexta. Ou seja, há apenas uma única sessão para decidir sua abordagem no fim de semana.

Max Verstappen, Red Bull Racing RB16B

Max Verstappen, Red Bull Racing RB16B

Photo by: Charles Coates / Motorsport Images

No caso da Red Bull, sua forma dominante no TL1 a convenceu a escolher uma configuração de alto downforce, com a rival Mercedes optando por decolar e ir para a velocidade em linha reta. Verstappen está preso a algo que ele sabe que não é o ideal. Esse risco pode ser bom para proporcionar entretenimento.

As regras do parque fechado, como o holandês temia, desencadearam a consequência de tornar a última sessão de treinos livres da manhã de sábado um pouco redundante. Não pode ser usada para fazer alterações na configuração do carro. Portanto, é simplesmente uma oportunidade para verificar a vida útil do pneu.

Em Silverstone, as margens finas entre macios e médios significavam que havia sentido para as equipes colocarem seus carros lá fora e verificarem qual era o melhor caminho a seguir, com o chefe de desempenho da Williams, Dave Robson, admitindo que estava "impressionado em como as equipes andaram no TL2". No entanto, em pistas onde o composto mais macio pode facilmente durar por toda a sprint, qual será a vantagem ao colocar quilometragem extra nos motores e no carro?

O que ainda não sabemos totalmente é o impacto que o espetáculo do formato terá no GP principal. Com as regras do parque fechado em vigor e os pilotos parecendo prontos para começar com os mesmos pneus médios, há poucas razões para acreditar que em termos de ritmo as coisas serão diferentes.

Os fãs já sabem que a Red Bull parece rápida demais nas curvas para que Hamilton consiga segui-la de perto, então a única esperança de uma reviravolta no domingo é que a estratégia entre em jogo. Isso torna as coisas mais ou menos emocionantes do que se tivéssemos entrado na corrida completa hoje?

Uma olhada na ordem de chegada mostra que não houve muito abalo, com apenas Alonso e Kimi Raikkonen ganhando terreno.

Posição na qualificação Piloto Posição na sprint Diferença
2 Max Verstappen 1 +1
1 Lewis Hamilton 2 -1
3 Valtteri Bottas 3 =
4 Charles Leclerc 4 =
6 Lando Norris 5 +1
7 Daniel Ricciardo 6 +1
11 Fernando Alonso 7 +4
10 Sebastian Vettel 8 +2
8 George Russell 9 -1
13 Esteban Ocon 10 +3
9 Carlos Sainz 11 -2
12 Pierre Gasly 12 =
17 Kimi Raikkonen 13 +4
15 Lance Stroll 14 +1
14 Antonio Giovinazzi 15 -1
16 Yuki Tsunoda 16 =
18 Nicholas Latifi 17 +1
19 Mick Schumacher 18 +1
20 Nikita Mazepin 19 +1
5 Sergio Perez 20 -15
Sergio Perez, Red Bull Racing RB16B

Sergio Perez, Red Bull Racing RB16B

Photo by: Glenn Dunbar / Motorsport Images

O maior perdedor foi Sergio Pérez, que rodou e foi parar no fundo do pelotão. Ele agora parece pronto para partir dos boxes no domingo, com a equipe sendo capaz de fazer alterações na configuração do carro para ajudá-lo a ganhar ritmo.

É difícil julgar a relevância das corridas de curta distância com base em pilotos com derrotas acachapantes. Será que a F1 estaria realmente melhor se, por exemplo, fosse Verstappen ou Hamilton começando na parte de trás no domingo e com pouca esperança de desafiar o rival na frente?

Um dos grandes debates nas mídias sociais no fim de semana foi sobre mensagens e nomes. A categoria está especialmente ansiosa para não chamar a corrida sprint de "corrida". No livro de regras da FIA, é conhecida como "qualificação de sprint". A Liberty Media está rotulando como "F1 Sprint". Para os fãs, isso é o tipo de conversa de marketing sem sentido.

Foi como o entrevistador pós-corrida Jenson Button disse com bastante razão a Verstappen, enquanto ele tropeçava em si mesmo para não dizer a palavra com R: "Não quero chamar de corrida, mas foi uma corrida..."

Então, os argumentos sobre para quem a pole position do GP da Grã-Bretanha de 2021 deve ser creditada irão durar para sempre.

Em termos da FIA, é o holandês quem leva depois de vencer a prova de sábado e devidamente largando da ponta na corrida de domingo. Para muitos fãs (incluindo o próprio Max e Sebastian Vettel), deve ser dado a Hamilton o mérito pelo o que fez na sexta-feira na qualificação.

"A pole deve ser merecida em uma volta rápida, isso para mim é adequado", disse o ganhador de hoje.

Afinal, você pode argumentar que a sprint é efetivamente apenas a primeira parte, mas com uma bandeira vermelha automática após 17 voltas e um reinício no dia seguinte.

Max Verstappen, Red Bull Racing, 1st position, and Valtteri Bottas, Mercedes, 3rd position, tour the circuit in the victory lap truck after Sprint Qualifying

Max Verstappen, Red Bull Racing, 1st position, and Valtteri Bottas, Mercedes, 3rd position, tour the circuit in the victory lap truck after Sprint Qualifying

Photo by: Charles Coates / Motorsport Images

Se são ou não o futuro da F1, ainda é incerto, mas o que está claro é que o esporte fez a coisa certa ao pelo menos experimentar e tentar algo novo. Os fãs e a mídia têm muito o que falar. Isso só pode ser uma vitória, como disse o CEO da McLaren, Zak Brown, pela manhã: “O que funcionou bem é que as pessoas falam sobre o fim de semana e o formato."

“Em última análise, isso atrai o interesse, e sejam essas pessoas profissionais, é dado um motivo para talvez sintonizar na sexta-feira, algo que não poderiam fazer antes. Acho que todo mundo vai assistir à sprint. Você nunca vai ter uma visão unânime de qual é a resposta certa, mas até agora eu gostei do que vi, porque criou motivos para conversas.”

Max Verstappen, Red Bull Racing, 1st position, and Lewis Hamilton, Mercedes, 2nd position, congratulate each after Sprint Qualifying

Max Verstappen, Red Bull Racing, 1st position, and Lewis Hamilton, Mercedes, 2nd position, congratulate each after Sprint Qualifying

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

F1 2021: VERSTAPPEN aproveita largada RUIM de HAMILTON e domina SPRINT em SILVERSTONE | Q4

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #119 - TELEMETRIA: Qual é o impacto da 'Sprint' na F1? Rico Penteado responde

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
Há seis anos, F1 perdia Jules Bianchi, um dos pilotos mais promissores da categoria
Artigo anterior

Há seis anos, F1 perdia Jules Bianchi, um dos pilotos mais promissores da categoria

Próximo artigo

F1: Pérez largará do pitlane após modificações da Red Bull no carro

F1: Pérez largará do pitlane após modificações da Red Bull no carro
Carregar comentários