ANÁLISE: Cinco coisas que aprendemos na apresentação da equipe da Ferrari para 2021

O que deu para notar durante a apresentação da escuderia italiana nas palavras do chefe da equipe e dos pilotos

ANÁLISE: Cinco coisas que aprendemos na apresentação da equipe da Ferrari para 2021

A Ferrari deu início aos preparativos formais para a temporada de Fórmula 1 de 2021 com a apresentação da equipe na sexta-feira em seu famoso museu em Maranello.

Embora o evento não tenha nos dado uma primeira visão do novo SF21 - o lançamento será em 10 de março - houve muitas informações do chefe da equipe, Mattia Binotto, e dos pilotos Charles Leclerc e Carlos Sainz, sobre como o inverno foi e o que está por vir.

Leia também:

Aqui estão as cinco principais conclusões do evento antes de uma temporada em que a Ferrari sabe que deve fazer mais.

Charles Leclerc, Ferrari SF1000

Charles Leclerc, Ferrari SF1000

Photo by: Andy Hone / Motorsport Images

O SF21 não será tão lento nas retas em 2021

A temporada de 2020 da Ferrari foi prejudicada por um golpe duplo de um motor de baixa potência e um design de carro muito arrastado. A combinação puniu muito Charles Leclerc e Sebastian Vettel.

Não só eles foram lentos nas retas, como o déficit foi tal que os forçou a reduzir o downforce para não ficarem completamente vulneráveis ​​- e isso os prejudicou também nas curvas.

A Ferrari soube imediatamente na temporada passada que precisava fazer as coisas de forma diferente para 2021, e é por isso que houve um empurrão duplo. Um motor totalmente novo fará sua estreia nesta temporada para resolver a falta de potência, e o pacote aerodinâmico do SF21 foi revisado para torná-lo mais eficiente.

O chefe da equipe Mattia Binotto expressou alguma confiança sobre onde a Ferrari estava saindo do trabalho de inverno.

“Com base em nossas simulações hoje, com base no que podemos ver em termos de saída de potência do dinamômetro e a resistência do carro no túnel de vento, acho que recuperamos bastante velocidade nas retas”, disse ele.

“Portanto, espero que a velocidade não seja um problema como era. Esperamos ser competitivos, mas saberemos disso apenas quando estivermos no Bahrein, porque é sempre relativo ao que os outros estão fazendo.”

Lando Norris, McLaren MCL35, Pierre Gasly, AlphaTauri AT01, Sebastian Vettel, Ferrari SF1000, Charles Leclerc, Ferrari SF1000, Lance Stroll, Racing Point RP20, and Kimi Raikkonen, Alfa Romeo Racing C39, at the restart

Lando Norris, McLaren MCL35, Pierre Gasly, AlphaTauri AT01, Sebastian Vettel, Ferrari SF1000, Charles Leclerc, Ferrari SF1000, Lance Stroll, Racing Point RP20, and Kimi Raikkonen, Alfa Romeo Racing C39, at the restart

Photo by: Zak Mauger / Motorsport Images

O início será muito importante

Embora a Ferrari saiba que não pode se dar ao luxo de repetir a temporada passada, quando terminou em um modesto sexto lugar no campeonato de construtores, a próxima campanha não será aquela em que ela pode jogar tudo.

A iminente chegada da revisão das regras da F1 para 2022 significa que as equipes precisam concentrar o máximo de recursos possível nos carros do futuro.

Todas as equipes terão que dividir recursos entre os carros atuais e seus projetos de 2022, e a Ferrari decidiu trocar seus esforços mais cedo.

Isso significa que ela não pode esperar avançar durante a campanha de 2021, portanto, a forma como começa o ano vai definir muito bem como o resto da temporada se desenvolverá.

“O carro de 2022 é uma mudança muito grande que há pelo menos uma quantidade mínima de exercício e design e projetos que precisam ser desenvolvidos. Portanto, a maior parte do esforço estará lá”, disse Binotto. “É por isso que o comportamento do carro logo no início da temporada é muito importante, porque é de alguma forma o equilíbrio de desempenho que podemos ver no resto da temporada.”

Todos os olhos estão voltados para Bahrain, pois muito depende de como serão as primeiras sessões em Sakhir.

Carlos Sainz Jr., Ferrari

Carlos Sainz Jr., Ferrari

Photo by: Ferrari

Sainz enfrentará uma difícil tarefa desde a primeira corrida

Carlos Sainz garantiu o sonho de conseguir um assento na Ferrari, mas isso acontece em meio a tempos difíceis para qualquer piloto que troque de equipe.

Novas medidas de corte de custos significam que os testes de pré-temporada foram reduzidos para apenas três dias no total este ano - isso é metade do que foi oferecido no ano passado. Significa apenas um dia e meio para cada piloto se preparar para a temporada.

Os meandros de fazer um piloto totalmente em sintonia com as novas equipes são complexos, e as coisas não foram ajudadas pelo fato de Sainz ter sido impedido de participar do teste de jovens pilotos em Abu Dhabi no ano passado. A Ferrari tentou ajudá-lo em seu caminho, colocando-o em um carro de 2018 em Fiorano no início deste ano, e ele também fez alguns testes de pneus Pirelli em um carro mula.

No entanto, ele e a equipe estão certos de que enfrentam um desafio difícil para chegar tão rápido quanto gostaria na primeira corrida.

“A minha intenção é obviamente estar 100% pronto para a corrida um, mas realisticamente, falando da minha experiência de mudança de equipe durante todos estes anos, algo me diz que é muito difícil de conseguir”, explicou o espanhol. “Sempre há experiências e sentimentos que você precisa passar corrida após corrida. [E coisas] que você sempre acaba aprendendo durante as corridas ao invés de testes.”

“Quer dizer, um dia e meio de teste por piloto não vai ajudar com certeza, mas ao mesmo tempo vou tentar e contar com a minha experiência de trocas de equipe e tentar chegar a uma corrida no meu máximo nível."

Binotto acrescentou: “Vai demorar ainda mais algum tempo. Portanto, não esperamos que ele esteja 100% totalmente integrado no início da temporada, mas, novamente, cada dia será importante. Acredito que ele estará pronto para o início da temporada, senão 100%, muito próximo.”

“Porque no final, ele não é um novato. Ele é um piloto profissional, ele tem algumas temporadas de F1 nas costas. Portanto, tenho quase certeza de que ele administrará muito bem a situação e estará pronto.”

Charles Leclerc, Ferrari

Charles Leclerc, Ferrari

Photo by: Ferrari

A Covid-19 não ajudou Leclerc

Tendo evitado pegar o coronavírus durante a temporada, Charles Leclerc teve seus preparativos de inverno descarrilados quando testou positivo em janeiro.

Isso significou um período de completo isolamento enquanto se recuperava e uma grande incerteza sobre o quanto seria afetado. Afinal, Lewis Hamilton não parecia muito bom depois de pegar a doença entre o Bahrein e Abu Dhabi.

Embora a situação tenha se mostrado um aborrecimento para Leclerc, a boa notícia é que não teve um impacto duradouro. E de fato, como ele revelou no lançamento, ele está mais perto da Ferrari e de Maranello neste inverno do que nunca.

“Não me atingiu tão mal, felizmente, então me sinto completamente bem”, disse ele. “Fiz alguns testes físicos após a Covid para ter certeza de que tudo voltou ao normal, e este é o caso. Então, tudo bem nisso.”

“Acho que nunca estive na Ferrari tanto quanto nesta temporada, antes do início real da temporada. Também temos feito vários testes com o carro antigo, etc., então me sinto muito pronto.”

Charles Leclerc, Carlos Sainz Jr., Ferrari

Charles Leclerc, Carlos Sainz Jr., Ferrari

Photo by: Ferrari

Sainz e Leclerc não irão para a guerra um com o outro

A Ferrari teve suas dores de cabeça nos últimos anos graças a alguns problemas com companheiros de equipe - especialmente as colisões envolvendo Leclerc e Sebastian Vettel.

Em meio a uma luta pela supremacia entre dois pilotos em fases diferentes de suas carreiras, talvez fosse inevitável que a rivalidade entre eles às vezes esquentasse. Com a saída de Vettel e a entrada de Sainz em seu lugar, será uma folha em branco para a equipe - e os primeiros indícios são de uma melhor harmonia dentro das paredes da garagem.

Com a Ferrari em desvantagem após uma decepcionante 2020, e Sainz não sobrecarregado pela expectativa que Vettel enfrentava de nada menos do que o título mundial ser um fracasso, a mensagem é muito mais do que a atual formação da Ferrari ajudando a equipe em primeiro lugar.

Leclerc disse: “Acho que o mais importante é que conseguimos fazer a separação do que acontece na pista e fora dela, e cada vez que estamos fora do carro, precisamos trabalhar juntos para tentar empurrar a equipe para frente .”

Mattia Binotto, Team Principal Ferrari with Charles Leclerc and Carlos Sainz Jr., Ferrari

Mattia Binotto, Team Principal Ferrari with Charles Leclerc and Carlos Sainz Jr., Ferrari
1/8

Foto de: Ferrari

Charles Leclerc, Ferrari

Charles Leclerc, Ferrari
2/8

Foto de: Ferrari

Carlos Sainz Jr., Ferrari

Carlos Sainz Jr., Ferrari
3/8

Foto de: Ferrari

Mattia Binotto, Team Principal Ferrari

Mattia Binotto, Team Principal Ferrari
4/8

Foto de: Ferrari

Mattia Binotto, Team Principal Ferrari with Charles Leclerc and Carlos Sainz Jr., Ferrari

Mattia Binotto, Team Principal Ferrari with Charles Leclerc and Carlos Sainz Jr., Ferrari
5/8

Foto de: Ferrari

Charles Leclerc, Ferrari

Charles Leclerc, Ferrari
6/8

Foto de: Ferrari

Carlos Sainz Jr., Ferrari

Carlos Sainz Jr., Ferrari
7/8

Foto de: Ferrari

Charles Leclerc, Carlos Sainz Jr., Ferrari

Charles Leclerc, Carlos Sainz Jr., Ferrari
8/8

Foto de: Ferrari

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

BAND fecha com COMENTARISTAS da F1 e STOCK; VEJA os nomes

PODCAST: Corridas aos sábados e tetos: revolução imposta pela Liberty pode tirar DNA da F1?

 

compartilhar
comentários
F1: Sainz despista boato de batida no teste em Jerez; entenda

Artigo anterior

F1: Sainz despista boato de batida no teste em Jerez; entenda

Próximo artigo

F1: GP da Arábia Saudita deve estar no calendário por pelo menos uma década

F1: GP da Arábia Saudita deve estar no calendário por pelo menos uma década
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Ferrari
Autor Jonathan Noble