ANÁLISE: Pilotos de F1 continuarão se ajoelhando em 2021?

Domenicali deseja discutir no Bahrein questões que envolvem a mensagem pré-corrida contra o racismo e destaque de questões sociais em todo o mundo

ANÁLISE: Pilotos de F1 continuarão se ajoelhando em 2021?

Os testes de pré-temporada da Fórmula 1 esta semana no Bahrein não apenas marcam a primeira ação em pista de 2021, mas também reúnem os pilotos da categoria pela primeira vez desde Abu Dhabi.

Os pilotos terão uma série de questões importantes para discutir antes da nova temporada. Será a primeira reunião do grupo desde que Stefano Domenicali se tornou o novo CEO da F1, dando ao italiano a chance de falar sobre ideias e planos para 2021.

Leia também:

Um assunto que Domenicali deseja discutir envolve a mensagem pré-corrida contra o racismo e o destaque de questões sociais em todo o mundo, que foi introduzida no início da temporada de 2020 na Áustria.

“Eu os convidei para uma reunião que precisamos ter fisicamente o mais rápido possível”, disse Domenicali no mês passado. “A meta será no Bahrein, se possível, para realmente discutir e compartilhar esta oportunidade.”

“Nunca tivemos, eu diria na F1, tantos pilotos fantásticos, jovens, talentosos, muito fortes, e não podemos perder a oportunidade de fazer com que eles entendam que são mais do que pilotos.”

“Eles têm uma grande responsabilidade porque são a cara do esporte. Eles têm que entender (a importância de) seu comportamento, suas palavras, e (que) lideramos pelo exemplo, é a abordagem que eu espero compartilhar.”

A F1 já anunciou ajustes em sua mensagem 'We Race As One' (“Nós Corremos como Um" em português) para 2021, retirando o logotipo do arco-íris. A categoria confirmou que iria “planejar incluir um momento antes do início de cada corrida nesta temporada para mostrar o apoio unido em questões importantes”, como fez no ano passado.

We Race As One banner, Formula 1 Silverstone 2020

We Race As One banner, Formula 1 Silverstone 2020

Photo by: Motorsport Images

A parte mais notável das mensagens pré-corrida do ano passado era o momento em que os pilotos se ajoelhavam no grid. O gesto dividiu opinião, seis dos 20 pilotos - Charles Leclerc, Carlos Sainz Jr, Max Verstappen, Daniil Kvyat, Antonio Giovinazzi e Kimi Raikkonen - não se ajoelharam em nenhuma corrida, enquanto Kevin Magnussen, da Haas, apenas se ajoelhou nas duas primeiras etapas.

Todos os sete pilotos reiteraram seu apoio à campanha ‘Fim do Racismo’ da F1, mas sentiram que havia outras maneiras de transmitir isso. Magnussen, em particular, expressou preocupações sobre as ligações entre o ato de ajoelhar e a organização Black Lives Matter (Vidas Negras Importam, em português), dizendo que queria se separar do movimento político. 

Perguntas sobre a importância de se ajoelhar no esporte têm se repetido nos últimos meses. Os jogadores se ajoelharam antes de cada jogo da Premier League desde a retomada do futebol no ano passado, e continuaram ao longo da temporada 2020-21.

O jogador do Crystal Palace, Wilfried Zaha, disse durante um evento do Financial Times no mês passado que não se ajoelharia mais antes dos jogos, chamando isso de "degradante".

“Quando cresci, meus pais me disseram que eu deveria ter orgulho de ser negro, não importa o que aconteça, e sinto que devemos apenas permanecer firmes”, disse Zaha.

"Tentar entender o significado por trás disso é algo que acabamos de fazer e isso não é o suficiente para mim. Não vou me ajoelhar."

Lewis Hamilton, Formula 1 Mugello 2020

Lewis Hamilton, Formula 1 Mugello 2020

Photo by: Motorsport Images

Lewis Hamilton vem dizendo ao longo de sua campanha nos últimos 12 meses que todas as ações da F1 não podem ser performativas: elas devem ter um significado. O próprio Hamilton lançou a Comissão Hamilton, que trabalhará para melhorar a diversidade em todo o automobilismo, e também está criando uma instituição de caridade com a Mercedes para atingir o mesmo objetivo.

Questionado no lançamento do novo carro da equipe alemã se Hamilton continuaria se ajoelhando, o britânico reconheceu que embora ajoelhar fosse, em última análise, simbólico, ele sentiu que poderia ser “realmente impactante”.

Mas ele novamente destacou a importância da real ação e mudanças de amplo alcance ocorrendo nos bastidores da F1 e do automobilismo.

“Estamos entrando em mais um ano, no momento não está decidido o que faremos”, disse Hamilton.

“Mas todos irão se encontrar quando chegarmos no Bahrein, então tenho certeza de que isso fará parte da discussão com Stefano, por exemplo.”

“As coisas passam e morrem. É importante que continue a ser um problema que afeta meu dia a dia e de muitas pessoas lá fora.”

Lewis Hamilton, Formula 1 2020

Lewis Hamilton, Formula 1 2020

Photo by: Motorsport Images

“Eu acho que é muito importante continuar a ter essa conversa. Isso remete à responsabilidade e à continuação de conversas desagradáveis com as pessoas, porque a mudança é possível e necessária.”

A criação, junto à Mercedes, de uma nova ONG foi uma parte importante no anúncio da equipe do novo contrato de Hamilton para 2021.

“Estou muito orgulhoso da Mercedes por ter a mente aberta para mudanças, e não apenas dar os menores passos, realmente dar um passo e voltar e ver o que podemos fazer”, disse Hamilton.

“Fizemos um mergulho profundo, não apenas na fábrica, mas também na Mercedes-Benz. Para eles estarem abertos para criar uma base e realmente colocar dinheiro para impulsionar uma mudança real e sistemática em nossa organização, eu acho que é fantástico.”

“Se realmente fizermos o que planejamos fazer, acho realmente que vamos criar e abrir caminhos para que jovens minorias entrem nas categorias STEM (Ciência, tecnologia, engenharia e matemática).”

“Tenho muita esperança de que, no futuro, vamos ver isso sendo mais diversificado. Porque funciona melhor para todos.”

Lewis Hamilton, Styrian Grand Prix Formula 1 2020

Lewis Hamilton, Styrian Grand Prix Formula 1 2020

Photo by: Motorsport Images

A F1 também está empenhada em promover mudanças semelhantes. A categoria principal do automobilismo já destacou a diversidade e a inclusão como um dos pilares fundamentais para o We Race as One este ano.

A categoria disse que se concentraria este ano na “implantação de estágios e aprendizagens dentro da Fórmula 1 para grupos sub-representados para fornecer acesso a uma carreira promissora no esporte” e “bolsas de estudo para talentosos estudantes de engenharia de origens diversas e carentes com oportunidades de experiência de trabalho na F1 e nas equipes durante os estudos.”

As discussões no Bahrain em torno dos planos para 2021 e suas mensagens serão importantes, com Hamilton definido para ser mais uma vez uma voz fundamental para a categoria. Se ajoelhar continua sendo impactante, mas como o piloto da Mercedes destacou, o impulso para mudanças tanto na F1 quanto no automobilismo deve ir mais longe.

Formula 1 2020

Formula 1 2020

Photo by: Motorpsort images

Parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

FERRARI 2021: Prestes a "IMITAR" motor da MERCEDES, equipe APRESENTA carro de 2021 de olho em 2022

Podcast #092 – Pré-temporada de 2021 da F1 será a mais crucial da era híbrida?

 

compartilhar
comentários
F1: Veja por que novo carro da Ferrari tem a cor verde na pintura

Artigo anterior

F1: Veja por que novo carro da Ferrari tem a cor verde na pintura

Próximo artigo

F1 e Amazon não descartam negócio em direitos de transmissão

F1 e Amazon não descartam negócio em direitos de transmissão
Carregar comentários