Análise

ANÁLISE: Quanto os carros da F1 evoluíram entre 2022 e 2023?

Comparamos também a performance dos carros do último ano com os de 2020, os mais rápidos da história da F1

Max Verstappen, Red Bull Racing RB19

Max Verstappen, Red Bull Racing RB19

Zak Mauger / Motorsport Images

O regulamento técnico da Fórmula 1 em 2023 foi mais estável em comparação a 2022, por mais que ainda não haviam descoberto o efeito preciso da mudança no assoalho dos carros, que voltaram a chamar a atenção no ano passado. Com condições relativamente similares, era de se esperar que, com a convergência começando, o rendimento melhorasse.

Leia também:

Comparaçao nos tempos de classificação da F1 entre 2022 e 2023

Esta comparação é feita com base nos melhores tempos registrados no Q3 durante as sessões de classificação. Também levamos em conta as sessões disputadas com a distribuição alternativa de pneus, um teste feito neste ano na Hungria e na Itália, considerando que o Q3 é suficientemente representativo para esta pesquisa.

Quanto às condições, tentamos, na medida do possível, limitar a comparação a sessões disputadas em pista seca e em circuitos pouco ou nada modificados. 

Mas, é claro, isso não é uma ciência exata, e outros fatores, como a própria qualidade da volta, podem distorcer a comparação e maior ou menor medida. Do mesmo modo, a comparação em termos absolutos entre as diferenças observadas ao longo do ano devem estar condicionadas às particularidades dos circuitos.

Levando em conta essas precauções, está claro que, na mostra representativa, os carros da F1 2023 são, como era de se esperar, mais rápidos que seus antecessores. É interessante notar que Jeddah e Monza são os únicos com tempos piores: já havíamos sinalizado no final da temporada passada que os circuitos com retas muito grandes eram aqueles nas quais os carros de 2022 ficavam atrás em relação aos modelos de 2019 e 2021.

Esse estancamento entre 2022 e 2023 parece demonstrar que o potencial de melhora em tal tipo de circuito é muito limitado, especialmente com as equipes focadas em aumentar a carga aerodinâmica.

Enquanto a diferença média é de 0s457, Albert Park, na Austrália, se destaca com uma mudança de mais de 1s em uma pista que já é rápida. Por mais que ambas as sessões tenham acontecido com pista seca, em 2022 tivemos sol e, em 2023, tempo nublado, o que pode influenciar os pneus.

As linhas amarelas da tabela mostram situações específicas onde foram cumpridos a maioria dos critérios da avaliação, mas, nos três casos, não pudemos utilizá-los na matemática final. Em Baku, o primeiro problema foi o quali na sexta-feira, em uma pista bem diferente do sábado a tarde; além disso, ela foi recapeada, o que explica uma diferença tão ampla de tempos.

Em Miami também tivemos o recapeamento, enquanto em Austin foi uma mescla de trabalhos feitos na pista desde 2022 e a sessão acontecendo na sexta-feira.

Circuito Melhor tempo no Q3 em
2022

Melhor tempo no Q3 em

2023 (diferença)

Bahrain Sakhir

1'30"558 1'29"708 (-0"850)
Saudi Arabia Jeddah 1'28"200 1'28"265 (+0"065)
Australia Austrália
1'17"868 1'16"732 (-1"136)
Azerbaijan Baku 1'41"359 1'40"203* (-1"156)
United States Miami
1'28"796 1'26"841 (-1"945)
Mônaco 1'11"376 1'11"365 (-0"011)

Austria Red Bull Ring

1'04"984* 1'04"391* (-0"593)
Hungary Hungaroring** 1'17"377 1'16"609 (-0"768)
Italy Monza** 1'20"161 1'20"294 (+0"133)
Japan Japão
1'29"304 1'28"877 (-0"427)
United States Austin 1'34"356 1'34"723* (+0"367)
México 1'17"775 1'17"166 (-0"609)
United Arab Emirates Yas Marina 1'23"824 1'23"445 (-0"379)

Diferença média entre 2022 e 2023

(Excluindo linhas amarelas) -0"457

* Sessão feita na sexta-feira devido à sprint
** GP disputado com alocação de pneus diferentes em 2023

Comparação de tempos nas classificações entre 2020 e 2023

Os carros de 2020 foram a referência para a geração anterior de monopostos e, no geral, foram os mais rápidos da história do esporte nos circuitos visitados, antes de sofrerem uma 'freada' em 2021 devido a uma série de medidas que visavam reduzir seu potencial aerodinâmico.

O ano de 2020 também foi o segundo após a introdução em 2019 de uma série de modificações técnicas, incluindo uma simplificação das asas dianteiras. Por isso, a comparação entre 2020 e 2023 é interessante para medir não somente a diferença como também os progressos realizados pelos carros no regulamento atual.

No ano passado, a diferença média entre os carros de 2020 e 2022 era de 2,6 segundos. Um ano depois, ela caiu para abaixo de 2,2s, o que é coerente com o progresso médio calculado na tabela anterior, mesmo tendo uma amostra muito pequena de circuitos.

Como era de se esperar, a diferença de tempo segue sendo maior em circuitos onde a carga aerodinâmica necessária é maior.

  Melhores tempos no Q3 em 2020 Melhores tempos no Q3 em 2023 (diferença)
Bahrain Sakhir 1'27"264 1'29"708 (+2"444)
Austria Red Bull Ring 1'02"939 1'04"391 (+1"452)
United Kingdom Silverstone
1'24"303 1'26"720 (+2"417)
Hungary Hungaroring 1'13"447 1'16"609 (+3"162)
Italy Monza 1'18"887 1'20"294 (+1"407)
Diferença média entre 2020 e 2023   +2"176

DRUGOVICH e BORTOLETO na mesma equipe de F1? Brasileiros falam sobre 2024 e ALÉM na ASTON e MCLAREN

Podcast #263 – Max mais incomodado? Briga pela P2 acirrada? O que esperar da F1 2024?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Be part of Motorsport community

Join the conversation
Artigo anterior F1: "Sei que tenho potencial para vencer novamente", diz Ricciardo
Próximo artigo F1: Aston Martin escolhe data de lançamento do AMR24, carro da temporada 2024

Top Comments

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Sign up for free

  • Get quick access to your favorite articles

  • Manage alerts on breaking news and favorite drivers

  • Make your voice heard with article commenting.

Motorsport prime

Discover premium content
Assinar

Edição

Brasil