Análise técnica de Giorgio Piola
Assunto

Análise técnica de Giorgio Piola

Análise técnica: entenda como as equipes de F1 responderam ao desafio do assoalho de 2021

Mudanças no assoalho, dutos de freio e difusor visavam originalmente reduzir o downforce em 10%

Análise técnica: entenda como as equipes de F1 responderam ao desafio do assoalho de 2021

As mudanças nas regras da Fórmula 1 para reduzir o downforce nos carros provaram ser uma grande dor de cabeça para as equipes no inverno europeu - e se tornaram um grande ponto de discussão no Bahrein no último final de semana.

As mudanças no assoalho, dutos de freio e difusor visavam originalmente reduzir o downforce em 10%, embora as indicações sugiram que as escuderias já recuperaram metade disso.

Leia também:

Mas o mais intrigante no Bahrein foi como os ajustes de assoalho em particular favoreceram alguns times em relação a outros, com os monopostos com baixo rake em particular parecendo ter perdido mais.

Não foi à toa que muitos dos principais desenvolvimentos que foram desencadeados para a primeira corrida se concentraram no assoalho, já que as equipes agem rapidamente para tentar compensar as perdas.

A Aston Martin, assim como a Mercedes, parece ter sido muito mais agressiva com o design de seu assoalho e os apêndices aerodinâmicos associados, provavelmente vinculados a sua configuração de inclinação inferior quando comparada com o resto do pelotão.

A Aston Martin aumentou ainda mais seus esforços para o GP do Bahrein, ao introduzir um pacote totalmente revisado, que inclui uma mudança na largura do assoalho.

Aston Martin AMR21 floor

Aston Martin AMR21 floor

Photo by: Giorgio Piola

A equipe britânica essencialmente cedeu parte do assoalho que estava disponível, optando por um assoalho em forma de Z em vez da opção totalmente cônica.

Para a Aston Martin e os outros que executaram uma solução semelhante, a perda de espaço no assoalho é compensada pelos ganhos aerodinâmicos que podem ser alavancados.

Emparelhado com isso, a equipe baseada em Silverstone adicionou uma barbatana no primeiro grupo de barbatanas, aumentando sua contagem para seis, em vez de cinco, e acrescentou outro trio de barbatanas logo atrás (seta azul).

Enquanto isso, o conjunto de barbatanas que antes ficava na beirada do assoalho logo à frente do pneu traseiro também deu lugar a algo mais complexo (seta vermelha).

Esta estrutura é dividida em dois elementos principais, com a estrutura primária compreendendo várias aletas outwash, todas alojadas dentro de um grande recinto, enquanto a estrutura secundária fica mais abaixo do assoalho.

Red Bull RB16B floor fin

Red Bull RB16B floor fin

Photo by: Uncredited

A Red Bull já havia feito algumas alterações em seu assoalho durante o teste de pré-temporada, adicionando uma barbatana no meio do caminho e duas barbatanas de outwash mais curtas à frente da externa principal.

No entanto, no Bahrein, a equipe adicionou outra barbatana curvada na seção central do assoalho para melhorar o fluxo de ar ao redor do pneu e reduzir a influência que a turbulência que ele cria no desempenho do difusor.

Williams FW43B floor detail
Alpine A521 floor detail

A Williams tem uma abordagem mais simplista para esta região do carro, mas chegou com algumas peças novas para o GP do Bahrein, instalando um trio de aletas para ajudar a conduzir o fluxo de ar ao redor do pneu traseiro (seta vermelha).

A Alpine também tinha várias peças novas disponíveis, com duas novas configurações de assoalho entre elas.

A primeira deles (foto à direita) apresentava uma aleta adicional no meio do caminho (seta vermelha) e duas aletas adicionais em forma triangular um pouco mais abaixo.

A outra opção de assoalho testada viu as aletas à frente dos pneus traseiros unidas a ranhuras mais curtas na seção superior, em vez das de comprimento total que são normalmente usadas.

Mas, assim como a carenagem de halo em forma de boomerang adicional vista no carro de Esteban Ocon durante os treinos livres (abaixo), nenhuma das peças foi utilizada pela Alpine, indicando que precisa de mais tempo para entender se eles estão oferecendo o aumento de desempenho esperado que suas ferramentas de simulação sugeririam.

Esteban Ocon, Alpine A521

Esteban Ocon, Alpine A521

Photo by: Charles Coates / Motorsport Images

A Ferrari não ofereceu muitas peças novas para a primeira corrida, mas ainda vale a pena dar uma olhada em uma nova solução que foi descoberta no SF21 durante os testes de pré-temporada.

Montados na borda do difusor estão três aletas altas que estão sendo usadas para redirecionar o fluxo de ar e a turbulência naquela região para que não colidam com as estruturas de fluxo mais importantes criadas para melhorar o desempenho geral do carro.

Ferarri SF21 floor

Ferarri SF21 floor

Photo by: Giorgio Piola

Alfa Romeo

No entanto, nem todas as equipes se concentraram nas mudanças de assoalho. A Alfa Romeo optou por uma nova solução em sua asa dianteira nesta temporada, pois adicionou uma ranhura na placa de pé que permite que o fluxo de ar migre para a parte inferior da asa.

Mas, embora seja interessante, não é uma solução nova, já que AlphaTauri introduziu algo semelhante no final da temporada passada e continuou em 2021.

Alfa Romeo Racing C41 front wing end plate
Alpha Tauri AT01 front wing footplate detail

Embora com formas e posições diferentes, as soluções parecem estar desempenhando funções muito semelhantes: fazer com que o ar a se desvie de seu caminho normal na superfície superior da plataforma e influenciar o fluxo de ar com o qual converge abaixo.

O fluxo de ar que continua a atingir a última fase da placa de pé é desviado para fora tanto pela faixa triangular quanto pela aba de Gurney da borda de fuga, ambas desempenhando um papel na criação da saída de água que os designers estão procurando para reduzir a turbulência do pneu atrás.

Mercedes W12 extra cooling detail

Mercedes W12 extra cooling detail

Photo by: Giorgio Piola

As equipes de F1 sempre estão no limite absoluto quando se trata de refrigeração, pois abrir a carroceria reduz a eficiência aerodinâmica do carro.

No entanto, é um preço que deve ser pago em circuitos com climas mais quentes. Mas ao invés de sacrificar o desempenho na parte traseira do carro e abrir a saída de refrigeração, a Mercedes optou por usar a saída de refrigeração máxima no painel ao lado do cockpit.

Localizado na junta entre o halo e o sidepod, este painel intercambiável terá diferentes configurações ao longo do ano, a fim de encontrar o equilíbrio certo entre as demandas de refrigeração prevalecentes e o desempenho aerodinâmico.

Falou-se muito sobre o difusor da McLaren durante os testes de pré-temporada, com a equipe de Woking tendo tomado uma direção diferente de seus rivais. A animação se dá ao fator básico sobre o que foi feito e como.

Parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

EXCLUSIVO: Nelson Piquet crê que Verstappen ENGOLIRIA Hamilton na Mercedes; Nelsinho compara pilotos

PODCAST – Temporada 2021 marca nova era na cobertura do esporte a motor na TV?

 

compartilhar
comentários
Band se pronuncia após "Globolixo" de Piquet ao vivo e elogia "qualidade técnica e jornalística" da Globo na F1

Artigo anterior

Band se pronuncia após "Globolixo" de Piquet ao vivo e elogia "qualidade técnica e jornalística" da Globo na F1

Próximo artigo

F1 - Wolff rebate reclamação de "estratégia de defesa" de Bottas: "Não havia outra opção"

F1 - Wolff rebate reclamação de "estratégia de defesa" de Bottas: "Não havia outra opção"
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Giorgio Piola