Fórmula 1
R
GP de Portugal
30 abr
Próximo evento em
16 dias
06 mai
Próximo evento em
22 dias
20 mai
Próximo evento em
36 dias
R
GP do Azerbaijão
03 jun
Próximo evento em
50 dias
10 jun
Próximo evento em
57 dias
24 jun
Próximo evento em
71 dias
R
GP da Áustria
01 jul
Próximo evento em
78 dias
29 jul
Próximo evento em
106 dias
R
GP da Bélgica
26 ago
Próximo evento em
134 dias
02 set
Próximo evento em
141 dias
09 set
Próximo evento em
148 dias
23 set
Próximo evento em
162 dias
R
GP de Singapura
30 set
Próximo evento em
169 dias
07 out
Próximo evento em
176 dias
21 out
Próximo evento em
190 dias
28 out
Próximo evento em
197 dias
R
GP de Abu Dhabi
12 dez
Próximo evento em
242 dias

Análise técnica: oscilação da Mercedes na F1 destaca problema com baixo rake

Mudanças de desempenho mostradas na abertura da temporada no Bahrein foram bastante dramáticas

Análise técnica: oscilação da Mercedes na F1 destaca problema com baixo rake

As novas regras aerodinâmicas da Fórmula 1 sempre tiveram potencial de abalar a ordem competitiva dos carros, mas poucos esperavam a influência que teve em 2021.

Em um ano que corria o risco de ser uma repetição obsoleta de 2020, com as equipes utilizando seus chassis, as oscilações de desempenho mostradas na abertura da temporada no Bahrein foram bastante dramáticas.

Leia também:

Todas as escuderias foram retardadas pelas mudanças nos regulamentos no assoalho, dutos de freio e difusor, mas algumas sofreram muito mais do que outras.

Ao dar uma olhada nas comparações de tempo de classificação do GP do Bahrein do ano passado para este ano, é possível notar algumas tendências interessantes.

Déficits entre 2020 e 2021:

Ferrari - 0s541
Alfa Romeo - 1s217
Red Bull - 1s319
AlphaTauri - 1s361
McLaren - 1s385
Alpine - 1s832
Williams - 2s022
Mercedes - 2s121
Aston Martin - 2s279
Haas - 2s338

Parece haver duas mensagens que se destacam dessa comparação.

Uma delas é que a Ferrari é de longe a equipe que mais se aprimorou neste ano, com seu novo motor e um conceito aerodinâmico menos resistente, claramente eliminando os problemas que teve em 2020.

Mas o mais importante para a briga geral pelo título é o fato da Mercedes ter tido uma queda brusca.

Enquanto os principais rivais da montadora alemã perderam cerca de 1s3 de desempenho, a Mercedes se juntou aos times clientes Williams e Aston Martin na perda de mais de 2s durante o inverno europeu.

Algumas das explicações para esse déficit vêm dos problemas de redução de potência do motor que a equipe de Toto Wolff mencionou no sábado, mas parece haver pouca dúvida agora que os temores de que os modelos com baixo rake poderiam ter sido atingidos mais duramente pelas novas regras se materializaram.

O conceito usado pela Mercedes e Aston Martin não funciona tão bem quanto antes desta temporada.

A Aston Martin acredita que a mudança no desempenho entre os carros com rake alto e baixo é de um segundo, o que pode ser confirmado pelas estatísticas de desempenho.

Sebastian Vettel, Aston Martin AMR21

Sebastian Vettel, Aston Martin AMR21

Photo by: Charles Coates / Motorsport Images

O chefe da equipe britânica, Otmar Szafnauer, disse: "Se você olhar para por aí, se você nos comparar com a Mercedes, por exemplo, acho que somos um décimo mais rápido do que éramos no ano passado aqui. Mas quando você nos compara a todos de alto rake, eles ganharam sete e oito décimos, até um segundo por volta. "

Questionado se ele achava que era um problema fundamental para o ano todo de 2021 ou se poderia ser recuperado, Szafnauer disse: "Bem, é fundamental hoje, mas vamos trabalhar muito para recuperar."

"Os carros da Mercedes também são de baixo rake e são mais rápidos do que nós. Portanto, há desempenho lá fora, só temos que encontrá-lo e colocá-lo em nosso carro o mais rápido possível."

Apesar das indicações óbvias das planilhas de horas, no entanto, ainda é um pouco prematuro sugerir que toda a explicação do déficit se deve à mudança no assoalho.

O chefe da Mercedes, Toto Wolff, acredita que o Bahrein oferece outros fatores - como temperatura e uma superfície de pista com alta aderência - que também podem influenciar as coisas.

“Este é um traçado de pista e asfalto que a Red Bull parece dominar melhor do que nós. Mas esta não é uma explicação aceitável", disse.

"Só precisamos fazer o que fizemos nos últimos anos, entender o carro e os pneus e otimizar cada detalhe, e então estaremos de volta à luta."

As próximas etapas nos darão um panorama melhor sobre o que vimos no Bahrein, se é a regra ou a exceção.

Mas mesmo que os dados para as próximas corridas sugiram que as novas regras atingiram definitivamente a Mercedes e a Aston Martin com mais força, não há opção de voltar atrás no que foi introduzido para este ano.

Além disso, como o conceito de rake é muito intrínseco ao pacote geral do carro, significa que mudar para uma versão de rake alto é quase impossível a curto prazo.

Tanto a fabricante alemã quanto a escuderia britânica estão, portanto, cientes de que precisam se concentrar em sair da situação em que se encontram.

Wolff disse: “Se dissermos: 'bem, fomos apenas penalizados pelo regulamento, é isso', não seríamos pilotos e não seríamos lutadores."

"Precisamos apenas colocar esse carro em seu ponto ideal para que ele possa lutar com nossos rivais", concluiu. 

Parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

F1 2021: Verstappen DESTRÓI Mercedes de Hamilton e Bottas na CLASSIFICAÇÃO do GP do BAHREIN | Q4

PODCAST – Temporada 2021 marca nova era na cobertura do esporte a motor na TV?

 

compartilhar
comentários
F1: Mercedes acredita que não possui "pontos fortes" em comparação à Red Bull em 2021

Artigo anterior

F1: Mercedes acredita que não possui "pontos fortes" em comparação à Red Bull em 2021

Próximo artigo

F1: Novas regras custaram um segundo por volta a carros de baixo rake, como Mercedes e Aston Martin

F1: Novas regras custaram um segundo por volta a carros de baixo rake, como Mercedes e Aston Martin
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Jonathan Noble