Fórmula 1
02 jul
-
05 jul
Evento encerrado
09 jul
-
12 jul
Evento em andamento . . .
16 jul
-
19 jul
Próximo evento em
6 dias
R
GP de 70º aniversário
06 ago
-
09 ago
Próximo evento em
27 dias
27 ago
-
30 ago
Próximo evento em
48 dias
03 set
-
06 set
Próximo evento em
55 dias
R
GP de Singapura
17 set
-
20 set
Canceled
24 set
-
27 set
Próximo evento em
76 dias
08 out
-
11 out
Canceled
R
GP dos Estados Unidos
22 out
-
25 out
Próximo evento em
104 dias
29 out
-
01 nov
Próximo evento em
111 dias
12 nov
-
15 nov
Próximo evento em
125 dias
R
GP de Abu Dhabi
26 nov
-
29 nov
Próximo evento em
139 dias
Análise técnica de Giorgio Piola
Assunto

Análise técnica de Giorgio Piola

Análise técnica: por que as mudanças da F1 para os assoalhos podem causar consequências inesperadas

compartilhar
comentários
Análise técnica: por que as mudanças da F1 para os assoalhos podem causar consequências inesperadas
Por:
Co-autor: Giorgio Piola, Especialista
11 de jun de 2020 16:23

A mudança, que veio na esteira do corte de gastos, pode iniciar uma guerra de desenvolvimento inesperada

A FIA optou, de maneira pragmática, por congelar o desenvolvimento de certas áreas dos carros da Fórmula 1 até 2021, como forma de reduzir os custos para todas as equipes. O desenvolvimento aerodinâmico, porém, não será congelado, com os carros podendo ser muito diferentes a cada corrida, na busca incansável dos projetistas pelo melhor desempenho.

Mas um aspecto do design do carro que se destacará em 2021 é o novo formato do assoalho, que a FIA introduziu para tentar reduzir o downforce em cerca de 10%.

Leia também:

A motivação por trás dessa mudança é ajudar a Pirelli, fornecedora de pneus da F1, que planeja continuar usando o mesmo tipo de pneus pela terceira temporada consecutiva.

Sem essa intervenção da Federação, esperava-se que as equipes continuassem aumentando o downforce nessa área e isso poderia criar uma situação em que os pneus não seriam capazes de lidar com a força aplicada.

O resultado é uma alteração dupla nas regras, com a primeira tentando resolver um problema no regulamento que permitiu que um furo "totalmente fechado" seja colocado nos 100mm exteriores do assoalho desde 2017.

2021 floor rules

2021 floor rules

Photo by: Giorgio Piola

A segunda retira uma fatia diagonal do piso e lida com os problemas enfrentados pelos projetistas ao tentar proteger o assoalho e o difusor da turbulência criada pelas rodas.

Buracos no assoalho

A proliferação de buracos que vimos sendo adicionados paralelamente à borda do assoalho e que se inclinam à frente do pneu traseiro nos últimos anos têm objetivos semelhantes, mas diferentes.

Haas-Ferrari VF-20 floor detail

Haas-Ferrari VF-20 floor detail

Photo by: Giorgio Piola

Os furos adicionados paralelamente à borda do assoalho criam um amortecedor aerodinâmico, como uma saia de ar, que protege o fluxo de ar na parte inferior do carro da turbulência criada pelas rodas dianteiras. 

Haas F1 Team VF-20 diffuser

Haas F1 Team VF-20 diffuser

Photo by: Giorgio Piola

Enquanto isso, os orifícios angulares, logo à frente dos pneus traseiros, ajudam a mitigar o impacto do 'esguicho do pneu' - um fenômeno causado pela deformação do pneu traseiro e do fluxo de ar que é esguichado lateralmente no caminho do difusor.

Retirar completamente esses aspectos do design significa que os projetistas partirão em busca de maneiras de recuperar essas perdas em outros lugares, e é aí que a inovação das equipes pode causar dores de cabeça para a Federação, na esperança de reduzir o downforce.

Pois, ao remover um mecanismo óbvio e visível para criar o efeito, ele efetivamente o substitui por diversas possibilidades de desenvolvimento que não são cobertas pelo regulamento.

Como resultado, sem dúvida veremos mudanças substanciais na borda principal do assoalho, nos bargeboards e em toda uma série de outras superfícies apenas para impedir essa perda. Espera-se que eles já superem a perda de 10% de downforce já na primeira corrida de 2021.

Obviamente, esse desenvolvimento implica em gastos e ele vem em um momento no qual a F1 irá adotar um inédito limite de custos.

Talvez seja necessário buscar uma solução provisória melhor, visto que estamos falando de apenas um ano de desenvolvimento. Possivelmente diminuir o que poderia ser feito nas áreas periféricas do assoalho.

Isso poderia não levar à meta de redução de 10%, mas poderia levar a uma corrida de desenvolvimento menos dispendiosa para recuperar essas perdas através da adaptação de outras partes e estruturas ligadas ao fluxo do carro.

A outra questão é que mesmo que seja amplamente aceito que isso criará inicialmente uma queda no downforce, não é garantido que não haverá outras consequências não intencionais que realmente levem à descoberta de ainda mais downforce.

2020-2021 floor comparison

2020-2021 floor comparison

Photo by: Camille De Bastiani

VÍDEO: Veja como a Williams chegou até o 'buraco' da venda na F1

PODCAST Motorsport.com debate a influência de Lewis Hamilton para além das pistas

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Próximo artigo
Alesi vende Ferrari F40 para financiar temporada de filho na F2

Artigo anterior

Alesi vende Ferrari F40 para financiar temporada de filho na F2

Próximo artigo

F1: Entrega da nova fábrica da Aston Martin é atrasada em um ano, para 2022

F1: Entrega da nova fábrica da Aston Martin é atrasada em um ano, para 2022
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Matt Somerfield