Fórmula 1 GP da Hungria

Após "pedido" de Domenicali, FIA insiste que F1 deve seguir processo para mudanças no regulamento

CEO da F1 cobrou a adoção de sanções desportivas em todos os casos de violação do teto orçamentário

The Medical Car at the back of the grid for the start

Nas últimas semanas, vimos um aumento no escrutínio sobre as estruturas da FIA e os regulamentos com os quais a Fórmula 1 deve operar. Nesses debates estão questões como a entrada de novas equipes, aspectos das regras de 2026 e mais. E após um "pedido" do CEO Stefano Domenicali sobre punições, a FIA insistiu que a F1 deve seguir o processo de mudanças no regulamento.

A manifestação mais recente foi a de Domenicali, que disse que, em sua visão, qualquer tipo de violação do teto orçamentário deve ser tratada com sanções desportivas em vez de financeiras.

Leia também:

"Eu gostaria que a penalização fosse desportiva em casos de infração, é algo que pedimos claramente", disse ao Motorsport.com. "Há três regulamentos que devem ser respeitados: desportivo, técnico e financeiro. Qualquer tipo de infração deve ser punido com medidas desportivas. Não podemos seguir em outras direções".

Com o paddock em polvorosa sobre a possibilidade de três equipes terem furado o teto orçamentário de 2022, muitos interpretaram a fala de Domenicali como algo concreto, que seria executado. Porém, assim como a FIA não pode se envolver nas questões comerciais da F1 para não violar leis anti-cartel, é a Federação quem comanda as questões regulatórias.

Então, na última quinta-feira (20), a FIA divulgou um comunicado declarando que não violará os procedimentos sobre potenciais mudanças futuras, seja no regulamento ou sobre sanções.

"A FIA reconhece os comentários feitos sobre o regulamento atual e futuro da F1 que apareceram recentemente na imprensa. A FIA reforça que, enquanto recebe abertamente os comentários, os poderes regulatórios de todos os campeonatos da FIA, incluindo a F1, pertencem à FIA".

"Qualquer mudança e/ou sanções técnicas, desportivas ou financeiras aos regulamentos devem seguir os ritos processuais".

FIA flag

FIA flag

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

A governança da F1 é determinada pelo Pacto de Concórdia, onde um protocolo rígido é delimitado para revisões aos regulamentos do esporte. Estas precisam ser discutas e aprovadas na Comissão da F1, que é composta pelas equipes, FIA e a FOM (Formula One Management).

Mudanças no regulamento desportivo ou técnico para a próxima temporada devem ser feitas antes do fim de abril, precisando de uma maioria simples de cinco equipes a favor, junto com a FIA e a FOM.

Revisões para esta temporada ou a seguinte, feitas após abril, exigem uma super maioria de oito equipes além da FIA e da FOM.

Já no regulamento financeiro, basta uma maioria simples caso seja votado antes de setembro do ano anterior. Se a mudança vier após setembro, é necessária a super maioria. Assim que a Comissão aprova as mudanças, ela ainda precisam ser ratificadas pelo Conselho Mundial do Esporte a Motor para integrarem o regulamento.

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast #239 – O que esperar de Ricciardo em retorno à F1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Russell lidera TL1 na Hungria comprometido pela chuva; Pérez e Sainz batem
Próximo artigo F1: Red Bull faz cinco mudanças importantes para o GP da Hungria

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil