Fórmula 1 GP do Japão

Até o octa? Hamilton abre o jogo sobre seu futuro na F1; confira

Lewis Hamilton diz que "não planeja ir embora tão cedo" depois que o chefe da Mercedes na Fórmula 1, Toto Wolff, sugeriu que o heptacampeão poderia correr por mais cinco anos

Lewis Hamilton, Mercedes AMG

Aos 37 anos, Hamilton é o segundo piloto mais velho do grid da F1 atrás de Fernando Alonso, tendo feito sua estreia em 2007. O contrato de Hamilton com a Mercedes expira no final da temporada de 2023, mas vem mostrando sinais de que esse não será seu último ano na Fórmula 1.

Leia também:

O chefe da equipe Mercedes, Toto Wolff, disse em entrevista ao Channel 4 antes da corrida do fim de semana passado em Singapura que não tinha dúvidas de que Hamilton estenderia seu contrato, revelando que o britânico sugeriu recentemente que ele pensava poder ficar na categorias por "mais cinco anos".

Hamilton falou sobre seu futuro na quinta-feira em Suzuka, dizendo que, embora "ainda não possa dizer" que poderia continuar por mais cinco anos, ele estava "se sentindo bem" e curtindo suas corridas.

"Eu amo o que estou fazendo", disse Hamilton. "Temos muito trabalho a fazer e muito a alcançar ainda. Não estou planejando ir embora tão cedo."

Hamilton foi claro em sua intenção de ver não apenas o restante de seu tempo correndo na F1 com a Mercedes, mas também manter vínculos com a fabricante por mais tempo, enquanto trabalha para aumentar a diversidade e a inclusão na empresa e no automobilismo como indústria.

Hamilton disse que “não está definido” por quanto tempo ele continuará correndo, mas que as conversas sobre o futuro são “mais para descobrir o que vamos fazer”.

“Acho que há muito que a Mercedes pode fazer, não apenas como fabricante de carros”, disse Hamilton.

"Ele oferece tantos empregos para tantas pessoas, tem uma plataforma tão poderosa para mudar narrativas, está em um lugar para ter um impacto realmente positivo no meio ambiente olhando para o futuro.

“Há muitas coisas diferentes e quero fazer parte dessa mudança e processo de trabalho com a Mercedes muito além de vencer corridas e campeonatos.

"Mas, por enquanto, queremos ganhar mais campeonatos. Então esse é o foco imediato."

Hamilton está empatado com Michael Schumacher no recorde de sete campeonatos mundiais de F1, tendo perdido o oitavo título no ano passado para Max Verstappen na final em Abu Dhabi.

Mas Hamilton disse que era "mais onde estou na vida" que influenciaria sua decisão sobre quanto tempo mais ele continuaria correndo na F1, em vez de seus níveis de sucesso, acreditando que há muito trabalho a ser feito para promover mudanças na categoria.

“Não posso me aposentar agora porque estou apenas começando a ajudar a mudar e criar um ambiente mais aberto e inclusivo aqui no esporte”, disse Hamilton.

"Tenho que ficar e ajudar a continuar. Também estou me sentindo mais saudável do que nunca, em termos de alimentação, como me preparo e adoro correr.

"Faço isso desde que me lembro, desde os cinco anos de idade, e isso não vai desaparecer.

"Se eu ainda estou em forma e capaz de me concentrar, por que eu iria parar? E ainda capaz de fazer outras coisas ao mesmo tempo?", finalizou Hamilton.

Que punições RBR e Aston podem tomar caso tenham violado teto de gastos da F1?

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Chefe da Haas critica Schumacher e alimenta rumor de saída de Mick
Próximo artigo O que aprendemos com os treinos de sexta-feira no GP do Japão de 2022 da F1

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil