Felipe Massa
Assunto

Felipe Massa

Coluna do Massa: GP especial e a tática que não deu certo

Em sua coluna para o Motorsport.com, Felipe Massa fala dos problemas enfrentados na etapa de Cingapura

Coluna do Massa: GP especial e a tática que não deu certo
Felipe Massa, Williams on the grid
Felipe Massa, Williams FW38 Mercedes
Felipe Massa, Williams FW38 Mercedes
Valtteri Bottas, Williams FW38 Mercedes
Felipe Massa, Williams FW38 Mercedes
Felipe Massa, Williams FW38 Mercedes, leads Kevin Magnussen, Renault Sport F1 Team RS16 and Marcus Ericsson, Sauber C35 Ferrari
Felipe Massa, Williams FW38 Mercedes
Felipe Massa, Williams FW38 Mercedes, leads Kevin Magnussen, Renault Sport F1 Team RS16 Valtteri Bottas, Williams FW38 Mercedes and Marcus Ericsson, Sauber C35 Ferrari
Felipe Massa, Williams Martini Racing, signs autographs for fans
Felipe Massa, Williams FW38 Mercedes, leaves the garage

Existem várias razões para que o GP de Cingapura seja um fim de semana muito especial. A mais óbvia naturalmente é que é uma corrida noturna no meio de uma cidade, com uma grande atmosfera para o público na pista e os espectadores em casa.

Mas há também muitos outros aspectos muito específicos deste evento. Trabalhando lá, todos nós vivemos no fuso horário europeu – o que significa sair da pista por volta das 3h da manhã e ir para a cama às 5h.

Definimos o despertador para às 14h e chegamos ao paddock para o nosso dia de trabalho quando está começando a anoitecer. Depois de alguns dias você se acostumar com isso, mas no início é sempre um pouco estranho.

Adicionadas a esta peculiaridade do evento, estavam as expectativas que a Williams Martini Racing tinha antes chegarmos lá. Nós sabíamos que poderia ser uma luta difícil para nós, mas, na prática, as coisas funcionaram e na classificação e poderíamos chegar ao Q3.

Nós erramos nosso alvo por um triz, mas pela punição imposta a Sergio Perez por não respeitar as regras de bandeira amarela, Valtteri e eu ainda largamos de 10º e 11º no grid – o que foi positivo.

O início da corrida foi bom, graças a uma largada que me permitiu chegar até a nona posição. Pensei que era uma possibilidade real terminar a corrida nos pontos, o que teria sido um grande sucesso, considerando que é uma pista que nosso carro não se adequa.

Infelizmente dois fatores trabalharam contra nós: a estratégia e o pit stop. No início, nós nos concentramos em uma corrida com três paradas, sabendo que deveríamos tentar recuperar posições para chegarmos aos pontos.

Mas depois de uma largada tão boa, com o benefício de estarmos falando de algo que já passou, teria sido melhor termos mudado a estratégia para duas paradas com um stint longo nos pneus macios, porque a necessidade inicial de atacar não existia mais e precisávamos nos defender.

Nós ficamos na estratégia de três paradas e isso infelizmente significou que a cada vez que voltava para a pista era forçado a lutar por posições com o tráfego. Isso é algo que não é particularmente fácil no circuito de Marina Bay.

Além disso – e esta foi a primeira vez que isso aconteceu nesta temporada – os nossos pit stops também não foram os melhores. Acho que me acostumei a ter um trabalho tão bom no box que acho que foi quase notícia o fato de não termos sido os mais rápidos neste GP.

Na última parada eu perdi alguns segundos, e isso me fez ficar preso atrás de carros mais lentos no final da corrida, o que me custou a chance de alguns pontos.

Mas pelo menos agora podemos colocar atrás de nós uma das pistas que mais temíamos. Os próximos circuitos devem se adequar bem ao nosso carro.

A batalha com a Force India vai ser difícil, porque o trabalho de desenvolvimento deles durante a temporada foi muito bom. Mas acho que vamos lutar até a última corrida pelo quarto lugar no campeonato de construtores.

Em Monza, ganhamos cinco pontos sobre eles, enquanto que em Cingapura eles recuperaram quatro. Mas eu acho que nas próximas corridas vamos jogar em condições de igualdade.

compartilhar
comentários
Alonso vê McLaren em posição “impensável” em 2016

Artigo anterior

Alonso vê McLaren em posição “impensável” em 2016

Próximo artigo

Vettel confia em atualizações da Ferrari para últimos GPs

Vettel confia em atualizações da Ferrari para últimos GPs
Carregar comentários