Diretor da Renault exalta "dom de motivar equipe" de Ricciardo

Pat Fry falou sobre atitude produtiva de australiano e também relatou adaptação de Alonso na equipe para 2021

Diretor da Renault exalta "dom de motivar equipe" de Ricciardo

O dom de Daniel Ricciardo em motivar uma equipe de Fórmula 1 é uma de suas qualidades mais marcantes, disse o diretor técnico da Renault, Pat Fry.

Tendo visto de perto como Ricciardo trabalha com seus engenheiros e equipe quando sai do carro, Fry disse que é a atitude do australiano em relação ao trabalho que realmente se destaca - e é um grande benefício.

Leia também:

“Acho que Daniel é excelente”, explicou Fry, que é diretor técnico de chassi. “Ele é claramente muito rápido e muito sensível. Mas acho também, quando você realmente olha para a maneira como ele motiva uma equipe e esse lado, que muitas vezes é esquecido, ele é ótimo.”

“Mesmo quando você tem uma sessão que não é tão boa quanto você esperava ou algo assim, ele ainda é grande o suficiente para ver os benefícios do que aprendemos nisso e que faremos melhor.”

“Essa é realmente uma boa maneira de unir a equipe. Então, acho ele muito notável e realmente excepcional.”

Fry não poderá continuar trabalhando com Ricciardo este ano, com o australiano tendo optado por mudar para a McLaren em 2021.

Seu lugar na Renault será ocupado por Fernando Alonso, que está de volta à F1 após duas temporadas fora.

E tendo se empenhado o máximo possível na Renault no ano passado, Fry diz que o bicampeão mundial está bastante preparado para o que vem pela frente.

“Ele obviamente esteve no simulador, e muitas dessas coisas são sobre tentar se familiarizar com algumas coisas até mesmo as mais simples”, disse Fry.

“Parece simples, mas você precisa reaprender a guiar com essa unidade de potência atualmente. Mesmo sendo a mesma unidade, em um outro carro, é completamente diferente em como configuramos as coisas.”

“Portanto, há muito o que aprender. Ele certamente tem ouvido as instruções e coisas assim durante os vários finais de semana, então tudo tem sido um caso de ele se encaixar na equipe.”

“Quando você olha para o início do ano, com apenas três dias de testes e depois direto para a primeira corrida, você tem que fazer tudo o que puder para tentar incorporar os pilotos à equipe, não apenas termos de como guiar o carro, mas também para entender as pessoas e se acostumar com a forma como trabalhamos.”  

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

DEBATE: O que PÉREZ vai CAUSAR na Red Bull? Mais pontos e VITÓRIAS que VERSTAPPEN ou TRETAS?

PODCAST: Top-3: as corridas mais marcantes da história da F1 em nossas memórias

 

compartilhar
comentários
F1: Jordan diz que já teria mostrado “porta da rua” a Hamilton se fosse da Mercedes

Artigo anterior

F1: Jordan diz que já teria mostrado “porta da rua” a Hamilton se fosse da Mercedes

Próximo artigo

Wolff: aprender a lidar com problemas é chave para crescimento de Russell

Wolff: aprender a lidar com problemas é chave para crescimento de Russell
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Jonathan Noble