F1: Alonso está tão azarado em 2021 como ele mesmo afirma?

Será que o que é visto na pista coincide com discurso de piloto espanhol?

F1: Alonso está tão azarado em 2021 como ele mesmo afirma?

Fernando Alonso disse que a boa sorte "parece continuar evitando-o" depois de perder uma chance de marcar muitos pontos no GP da Turquia de Fórmula 1. Mas quão azarado ele realmente está em 2021?

No Istanbul Park, Alonso se destacou na classificação e conseguiu largar em quinto, mas durante um início molhado ele foi tirado da pista por Pierre Gasly da AlphaTauri.

Leia também:

Tentando se recuperar, Alonso então tocou em Mick Schumacher, atitude pela qual o espanhol recebeu uma penalidade de cinco segundos.

Em um dia em que as condições mistas ofereciam oportunidades para uma grande pontuação, os incidentes de Alonso o impediram de terminar abaixo do 16º lugar. Isso o levou a dizer que "a sorte parece continuar nos evitando muito este ano.”

"Acho que estamos acumulando muito para o próximo ano."

Os comentários de Alonso talvez soem estranhos, depois de ele estar aproveitando uma sólida temporada de retorno com a reconstrução da Alpine, na qual ele está superando o companheiro de equipe, Esteban Ocon, e a Alpine está à frente de AlphaTauri e Aston Martin pelo quinto lugar.

Mas não é tanto a classificação do campeonato que parece estar em jogo na mente de Alonso, mas sim uma série de oportunidades perdidas de vencer em sua volta ou pelo menos voltar ao pódio, e isso reforça sua afirmação de que aos 40 anos ele é um piloto melhor do que quando conquistou seus dois títulos mundiais em 2005 e 2006.

Na corrida louca da Hungria, Alonso teve a sorte de escapar da confusão da curva 1, que eliminou vários competidores, mas ele acreditava que tinha ritmo para vencer.

Tendo perdido a posição na pista para Ocon, no entanto, relegou-o a um papel de ala, que ele executou de forma brilhante enquanto segurava a Mercedes mais rápida de Lewis Hamilton enquanto Ocon garantia sua primeira vitória.

Após a confusão de Spa, as duas corridas seguintes com chuva forneceram novas oportunidades para Alonso se beneficiar do caos.

No GP da Rússia, ele segurava o sexto lugar quando a chuva caiu e, nas condições desafiadoras, ele subiu para o terceiro lugar.

Mas, como Lando Norris, Alonso atrasou sua parada para pneus intermediários em uma volta e perdeu outra chance ao pódio, caindo para sexto lugar.

Depois, veio o GP da Turquia, que acabou efetivamente para Alonso antes de começar.

De qualquer forma, Istambul teria sido a chance de pódio mais improvável de todas, visto que todos os quatro carros da Mercedes e da Red Bull terminaram entre os cinco primeiros.

Curiosamente, a frustração de Alonso não vem do fato de que ele não conseguiu se aproveitar das chuvas em fins de semana não competitivos, que é o mantra de todo piloto de meio de grid na F1.

Ele explica que é porque as corridas no molhado tendem a cair precisamente nos fins de semana em que Alpine estava mais forte, mas as circunstâncias o impediram de tirar o máximo proveito delas, enquanto os fins de semana menos competitivos da Alpine produziram um resultado mais previsível.

"É frustrante que, quando não somos competitivos, tenhamos uma corrida muito agitada", disse ao Motorsport.com, após a corrida na Turquia.

"E quando somos competitivos, temos um clima louco, coisas loucas acontecendo."

Isso ecoou seus comentários de Sochi, em que ele afirmou "nunca temos sorte" e que "cada ponto que conquistamos este ano é por mérito, nunca tivemos nenhum presente este ano. Portanto, estou orgulhoso de cada ponto que consegui neste ano.”

Se ele está azarado ou não é algo em debate, mas Alonso pode encontrar consolo no fato de que sua equipe está começando a se reerguer e parecer competitiva por dois finais de semana consecutivos, o que realmente não havia conseguido no início deste ano.

Longe de coincidir com a tendência de crescimento de sua rival McLaren em 2020, a Alpine está mais estagnada e aposta na revisão das regras de 2022 para dar o próximo passo.

Quanto ao próprio Alonso, ele afirma que está quase de volta ao seu melhor depois de garantir sua melhor posição no grid desde seu retorno.

"Eu diria que neste fim de semana, sim. Em Sochi, novamente, foi um pouco para cima e para baixo com o tempo e os pneus de seco no final", disse ele.

"Acho que ainda há um pouco mais por vir, mas estou definitivamente mais confiante agora."

F1: Entenda como CALENDÁRIO de 2022 se tornou o mais INSANO e DESAFIADOR para equipes e pilotos

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #138 – Red Bull não sabe o que fazer contra Mercedes após GP da Turquia?

 

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 

compartilhar
comentários
F1 e MotoGP terão menos datas conflitantes em 2022; saiba quais
Artigo anterior

F1 e MotoGP terão menos datas conflitantes em 2022; saiba quais

Próximo artigo

ESPECIAL: Entenda como F1 atual mudou papel do engenheiro de corrida

ESPECIAL: Entenda como F1 atual mudou papel do engenheiro de corrida
Carregar comentários