F1: Andretti 'protesta' alegando que FIA deve dar à Indy mais pontos de superlicença

O ex-campeão mundial acredita que categoria deve ser mais valorizada e 'apoia' decisão de Colton Herta

Colton Herta, Andretti Autosport w/ Curb-Agajanian Honda celebrates winning

Na última sexta-feira, a FIA anunciou formalmente que Colton Herta não receberá uma superlicença para a temporada 2023 da Fórmula 1. AlphaTauri queria trazer talento  norte-americano como substituto de Pierre Gasly, que é do interesse da Alpine.

Leia também:

No entanto, Herta possui apenas 32 pontos de superlicença, enquanto são necessários 40 para obtê-lo. A FIA anunciou que um pedido de força maior estava sendo estudado para concedê-lo, mas o pedido foi negado. Antes disso, a Red Bull já havia engavetado os planos, enquanto Herta já tinha indicado que não quer entrar na Fórmula 1 com "exceção" e isso é algo que Mario Andretti entende.

"O próprio Colton explicou muito claramente por que ele tomou suas decisões. Ele não quer tratamento especial, quer passar pelo processo ele mesmo, seja o que for. Se o processo mudar, tudo bem, mas ele disse claramente", disse o campeão mundial de F1 de 1978 ao PlanetF1

"No entanto, acho que talvez eles devam revisar até que ponto os pilotos da Indy podem ganhar pontos para sua superlicença, assim como na Fórmula 2 e na Fórmula 3. Acho que a Indy merece. Existem alguns jovens talentos que, se tivessem a oportunidade, eles gostariam de fazer a mudança para a Fórmula 1”.

“Isso é saudável para o esporte, mas não é o caso da situação da superlicença, que está indo para o outro lado. Eu entendo que a FIA está protegendo seu próprio sistema de escada até o topo, mas ao mesmo tempo, é um mundo pequeno hoje. Você não pode descartar a Indy quando se trata de pontos de superlicença”.

Então, por enquanto, uma estreia na F1 não está nos planos de Herta, mas Andretti não acha que o sonho da categoria rainha acabou.

"Tenho certeza de que mais cedo ou mais tarde ele vai querer ter a oportunidade de chegar à F1. Acho que esse era o objetivo dele desde o início, quando foi para a Europa ainda jovem. Ele é muito bom nos circuitos regulares, é alguém que tem muito a oferecer. Tenho certeza que sua hora chegará. Muitas vezes se ouve que 'os americanos não podem fazer isso, eles não podem correr' e isso é injusto. Mas tudo tem que ser testado e quando isso acontecer muitas opiniões vão mudar.

BEBEDEIRA e ZOEIRA: Rubinho e Massa citam Kimi, Schumi e Alonso como PARÇAS. Mas quem são os CHATOS?

Podcast #197 - Na berlinda, qual será o futuro de Ricciardo e Schumacher?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 
 
 

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior TELEMETRIA: Rico Penteado analisa favoritos e todos os ângulos da F1 em Singapura
Próximo artigo F1: Agilidade na tomada de decisões está sendo peça-chave para recuperação da Aston Martin

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil