Últimas notícias

F1: Agilidade na tomada de decisões está sendo peça-chave para recuperação da Aston Martin

A Aston Martin acha que a abordagem rápida que ajudou a tirar Fernando Alonso da Alpine pode acelerar seu avanço para a frente do grid da Fórmula 1

Sebastian Vettel, Aston Martin AMR22

A equipe de Silverstone está se recuperando de um começo de ano ruim, onde seguiu o caminho errado do conceito com seu AMR22, antes de mudar de abordagem a partir do GP da Espanha de Fórmula 1. Embora ainda pareça que vá terminar em nono lugar no campeonato de construtores este ano, aparentemente a Aston Martin fez um progresso considerável nos bastidores para estar confiante em dar passos na direção certa para 2023.

Leia também:

A equipe mostrou suas ambições ao contratar Alonso para a próxima temporada, tendo perdido pouco tempo no Grande Prêmio da Hungria, após o anúncio de aposentadoria de Sebastian Vettel, para atrair o espanhol para longe da Alpine.

Foi essa capacidade de reagir rapidamente na frente do piloto que destacou uma força central que sua equipe de engenharia acredita que tem para entregar com seu carro. O diretor de desempenho da Aston Martin, Tom McCullough, disse: “Acho que a equipe sempre foi muito ágil. Tem sido uma pequena equipe de corrida e, em sua essência, há algumas pessoas-chave tomando as decisões. Não é uma grande empresa burocrática.

“Volto do fim de semana de corrida, meu trabalho é me reportar a Andrew Green [diretor técnico] e Dan Fallows, que também se juntou a nós recentemente como diretor técnico. Isso muda um pouco a estrutura, mas estamos tentando manter as boas partes de como costumávamos trabalhar, mas também adicionamos o que precisamos fazer para elevar o nível.”

Fernando Alonso, Alpine F1 Team

Fernando Alonso, Alpine F1 Team

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

McCullough acredita que o exemplo da equipe que não perdeu tempo em fazer uma mudança muito necessária de conceito no meio da temporada mostra como a Aston Martin é capaz de ser decisiva e fazer as coisas.

“Enquanto nos estabilizamos, estávamos tentando durante os testes de inverno e nas primeiras corridas trazer peças para eliminar o porpoising, e dar uma janela operacional maior para o carro”, disse ele.

“Mas você chega a um ponto em que, mesmo com suas ferramentas de desenvolvimento, túnel de vento, simulações de CFD e testes de pista, não estávamos fazendo o progresso que queríamos.

“Então você tem que, em algum momento, dizer 'ok, precisamos fazer alguma coisa'. Durante a fase de desenvolvimento do carro, tínhamos duas rotas diferentes. Nós até projetamos o chassi para aceitar os radiadores para duas rotas diferentes, todo esse tipo de coisa.

“Dissemos, tudo bem, essa primeira rota parecia boa, mas depois subestimamos o problema do porpoising, então vamos tentar a outra filosofia.

“Voltamos aos dados que tínhamos, começamos a trabalhar com isso no túnel de vento novamente e, bang! Trouxemos para o carro o mais rápido que pudemos. Houve um grande esforço por parte da fabricação e da produção para levá-lo à Espanha.

“Quando foi anunciado, houve uma quantidade fenomenal de trabalho para fazer isso. Eu não acho que havia qualquer chance de conseguir dois carros lá. Não tínhamos peças sobressalentes, mas aparecemos e foi isso.”

Enquanto o Aston Martin está passando por uma expansão sob comando do proprietário Lawrence Stroll, McCullough acredita que pode se tornar maior sem perder suas qualidades de tomada de decisão.

"Acho que isso sempre foi um ponto forte da equipe", disse ele. “Temos que manter isso na F1. Porque toda corrida importa. Se você pode ser competitivo e marcar pontos, então siga adiante.”

Embora o AMR22 não tenha se mostrado rápido em todas as pistas e tenha sido complicado tirar o máximo proveito durante a classificação, o carro tem alguns pontos fortes claros.

Os rastreamentos de GPS mostraram que ele é tão melhor que a Red Bull em curvas de baixa velocidade, algo que pode beneficiá-lo no GP de Singapura deste fim de semana.

Questionado pelo Motorsport.com se essa excelência em baixa velocidade mostrava que havia qualidades ocultas no AMR22, McCullough disse: “O carro realmente tem um bom desempenho nas curvas de circuitos de rua e vimos isso na análise em comparação com outros carros.

“Nosso grande foco tem sido também melhorar o carro nas curvas de alta velocidade, o que temos feito ultimamente. Do lado da Red Bull, o carro deles é muito eficiente e muito rápido em linha reta, e não somos tão fortes quanto eles. Mas nem a maior parte do grid.”

BEBEDEIRA e ZOEIRA: Rubinho e Massa citam Kimi, Schumi e Alonso como PARÇAS. Mas quem são os CHATOS?

Podcast #197 - Na berlinda, qual será o futuro de Ricciardo e Schumacher?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Artigo anterior F1: Andretti 'protesta' alegando que FIA deve dar à Indy mais pontos de superlicença
Próximo artigo Fittipaldi pede mais equipes no grid: "Haverá muito mais chances de jovens pilotos entrarem na F1"
Assinar