Últimas notícias

F1: Após perder vaga na Haas, Schumacher quer "provar que estão errados"

Piloto alemão disse que vai tirar um tempo para analisar as possibilidades que estão na mesa antes de anunciar seu futuro

Mick Schumacher, Haas F1 Team

Após perder a vaga da Haas para Nico Hulkenberg para a temporada 2023 da Fórmula 1, Mick Schumacher não estará no grid do próximo ano. Mas isso não desanima o alemão, que quer provar àqueles que não acreditaram nele que estão errados.

Depois de uma estreia difícil em 2021 com uma Haas que ocupava o fundo do grid, Schumacher mostrou mais promessa com a Haas este ano ao lado de Kevin Magnussen, mas vários incidentes na primeira metade do ano minaram suas chances de seguir com a equipe americana.

Leia também:

Após longas discussões, Gunther Steiner, chefe da equipe, e Gene Haas, dono, decidiram substituir Schumacher pelo experiente Nico Hulkenberg, que volta a ser titular na F1 após três anos, participando de cinco corridas nesse período como reserva.

Steiner explicou que queria "consertar algumas coisas na equipe", que seriam mais facilmente obtidas com um piloto experiente como Hulkenberg, que já guiou por várias equipes ao longo de sua carreira.

Um desapontado Schumacher reagiu primeiramente à notícia nas mídias sociais, encerrando seu comunicado com a sigla PTW que, traduzindo para o português, significa "prove que estão errados".

Na coletiva de imprensa pré-GP de Abu Dhabi, Schumacher explicou que quer provar que todos estão errados, e não somente a Haas, ao duvidarem de suas capacidades ao longo dos últimos dois anos.

"PTW é o que eu venho dizendo na maior parte deste ano", respondeu quando perguntado pelo Motorsport.com. "Achei que deveria dizer, porque quero provar que todos que não acreditam em mim estão errados, porque sei o que posso fazer. Provei isso nas categorias de base e não vejo motivos para não fazer isso".

Schumacher reconheceu seus altos e baixos na Haas, mas sente que sua curva de performance tinha uma tendência positiva na segunda metade de 2022 comparado a Magnussen. Após a pausa de verão, o alemão superou o dinamarquês em três classificações, além de ficar bem próximo em outras três ocasiões.

A Haas vem sofrendo para manter sua posição no pelotão do meio, e Magnussen foi responsável pelos únicos três pontos obtidos pela equipe desde o GP da Áustria.

"Obviamente é desapontador de vários modos, porque eu sinto que venho fazendo um bom trabalho até agora. Tivemos nossos altos e baixos, certamente. Mas eu penso que a tendência era positiva. E eu acho que isso é o mais importante, por estar em apenas meu segundo ano".

"Isso definitivamente foi algo que eu precisei me acostumar, estar no pelotão do meio lutando, e eu sinto que, ao longo do ano, conseguimos fazer isso. E eu sinto que estava extraindo o máximo de cada situação. A tendência está aí".

Em meio a sugestões de que poderá assumir um papel de reserva em outra equipe, Schumacher disse que tirará um tempo para considerar suas opções, já que a da Haas era a última de titular do grid de 2023.

"Quero me colocar em uma posição em que saberei o que é certo pra mim. Seja como reserva, seja pilotando, será discutido e analisado. Tenho as pessoas que confio ao meu redor, e que irei consultar antes de trazer mais notícias, com sorte logo".

TELEMETRIA: RICO PENTEADO comenta TRETA na Red Bull e fala de FAVORITOS em Abu Dhabi

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast Motorsport.com debate 'treta' entre Verstappen e Pérez no GP de São Paulo

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Artigo anterior F1: Pérez nega 'consipiração' na Red Bull levantada após GP no Brasil
Próximo artigo F1: Leclerc e Binotto não se falam desde GP da Grã-Bretanha, diz jornal
Assinar