F1: Após sucesso em Mugello, chefes de equipes apoiam calendário rotativo

compartilhar
comentários
F1: Após sucesso em Mugello, chefes de equipes apoiam calendário rotativo
Por:
, NobleF1

Além de Christian Horner da Red Bull, Toto Wolff da Mecedes e Gunther Steiner da Haas se mostram favoráveis à chegada de pistas novas na F1 todos os anos

Os chefes de equipes da Fórmula 1 apoiaram a ideia de um calendário rotativo no futuro, de modo que a programação seja recheada com alguns novos eventos a cada ano.

O sucesso do GP da Toscana em Mugello destacou os benefícios da F1 ao visitar novos locais, ao invés de se ater rigidamente às mesmas pistas a cada ano.

Leia também:

O chefe da Red Bull, Christian Horner, apresentou a ideia de ter GPs "convidados". O comandante da Mercedes, Toto Wolff, disse que acha que mudar o calendário a cada ano seria ótimo para a F1.

Questionado se a rotatividade do calendário era algo que deveria ser adotado, ele disse: "Sim, acho que é um conceito novo e interessante que nasceu da necessidade de ter mais corridas nesta era da Covid-19, e é interessante.”

“Você certamente pode ver mais vulnerabilidade. As equipes aparecem sem muito conhecimento dessas pistas, e você pode ver que os desempenhos são muito diferentes de uma pista onde já estivemos muitas vezes.”

“Você vai para Nurburgring ou para Silverstone, e nós temos estado lá todos os anos, então não há muito que você possa otimizar sendo apenas criativo ou flexível no pensamento, porque já estivemos lá muitas vezes.”

O chefe da Haas, Gunther Steiner, disse que o exemplo de Mugello era a prova de como as novas instalações da F1 são boas.

“Não sei se é porque era novo ou se poderia ser emocionante todos os anos”, disse ele. “Se você alternasse, poderia haver algo dessa novidade toda vez que fizermos isso. Eu sou totalmente a favor disso.”

“Eu gosto de mudanças, se você está sempre fazendo a mesma coisa, você sempre sabe o resultado disso - é muito mais previsível quando você faz mais do mesmo.”

“Acho que seria ótimo se pudéssemos rodar, se for possível comercialmente, e isso cabe à Fórmula 1 analisar. Vendo o que aconteceu em Mugello, agora estou realmente ansioso para Nurburgring, Portimão e Ímola.”

Entenda como Lawrence Stroll passou de 'papai de piloto pagante' a homem-forte na Fórmula 1

PODCAST: Qual é o limite de Max Verstappen na Red Bull?

 

Revista Time inclui Hamilton na lista de 100 pessoas mais influentes de 2020

Artigo anterior

Revista Time inclui Hamilton na lista de 100 pessoas mais influentes de 2020

Próximo artigo

Vettel se afasta de comparações com Schumacher sobre ida à Aston Martin: "Não ajudam"

Vettel se afasta de comparações com Schumacher sobre ida à Aston Martin: "Não ajudam"
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Jonathan Noble