Revista Time inclui Hamilton na lista de 100 pessoas mais influentes de 2020

compartilhar
comentários
Revista Time inclui Hamilton na lista de 100 pessoas mais influentes de 2020
Por:
, Repórter

Perfil do hexacampeão da F1 foi escrito por Bubba Wallace, piloto da NASCAR

Ao longo dos últimos anos, Lewis Hamilton tem deixado sua influência dentro e fora das pistas da Fórmula 1. Enquanto o piloto busca seu sétimo título mundial e conquistar os principais recordes da categoria, seu ano tem sido marcado pelo ativismo antirracismo e pela igualdade racial além da busca por um mundo mais sustentável. Por isso, a revista americana Time o selecionou para integrar sua prestigiada lista das 100 pessoas mais influentes do mundo.

A lista da Time é publicada desde 1999, como resultado de debates entre acadêmicos, políticos e jornalistas e seleciona pessoas que são vistas como influenciadores, responsáveis por mudanças a nível mundial.

Leia também:

Em 2020, Hamilton vem deixando sua marca em duas áreas: dentro da pista, correndo atrás para igualar duas marcas histórias da F1, os sete títulos e as 91 vitórias de Michael Schumacher, e, ao mesmo tempo, vem usando o Mundial e suas redes sociais como plataforma de conscientização do movimento antirracismo e da luta por igualdade social além da busca por um mundo mais sustentável. Esses três pontos foram centrais em sua escolha.

Como dita a tradição da revista, os 100 escolhidos têm perfis escritos por convidados. No caso de Hamilton, seu texto foi escrito por outro piloto Bubba Wallace, o único negro do grid da NASCAR Cup e que também ganhou notoriedade nos últimos meses por suas manifestações antirracismo na categoria.

"Lewis Hamilton é um ídolo meu", escreveu Bubba. "Ele está próximo de vencer seu sétimo título na F1, igualando o recorde de Michael Schumacher. E sete é um número mágico no automobilismo. Dale Earnhardt Sr., Jimmie Johnson e Richard Petty ganharam sete títulos da NASCAR cada. Lewis, 35, é jovem suficiente para seguir ganhando títulos e marcando novos recordes".

"Eu sou o único piloto negro na principal categoria da NASCAR. Então o exemplo de Lewis - como o único negro da F1 - é muito significativo para mim. Ele mostra que podemos chegar lá. Ver ele conquistando a pista praticamente todos os finais de semana me motiva a buscar o mesmo".

"Seu ativismo também move o mundo. Lewis trouxe atenção internacional ao movimento Vidas Negras Importam, através de seu ativismo nas redes sociais e na F1. A preparação mental de Lewis, sua aura e habilidade de capitalizar cada oportunidade de usar sua plataforma para combater o racismo são mais que apenas um modelo para outros pilotos e atletas. Ele é uma inspiração para todos".

O CEO e editor chefe da revista, Edward Felsenthal, disse que a lista desse ano, que vem em meio à pandemia da Covid e uma luta antirracismo, foi diferente das anteriores.

"A lista Time 100 sempre tem sido um espelho do mundo e daqueles que o moldam. Enquanto você certamente encontrará pessoas que possuem o poder tradicional, como chefes de estado, CEO, titãs do entretenimento, ela também inclui diversos indivíduos extraordinários, menos conhecidos, que aproveitaram o momento para salvar vidas, construir um movimento, elevar o espírito... Seus trabalhos nos desafiam a conquistar nossa própria influência visando um mundo mais saudável, resistente, sustentável e justo".

Essa é a segunda vez que Hamilton foi selecionado na lista da Time. Sua primeira aparição foi em 2016, logo após conquistar seu terceiro título mundial. Na ocasião, seu perfil foi escrito por outro campeão da F1, Mario Andretti, que escreveu à época que era possível notar que Hamilton era especial desde o seu início no Mundial e já o colocava como um dos maiores campeões da história.

Apesar dessa ser a segunda aparição de Hamilton, o mundo do esporte a motor não circula pela lista muito frequentemente, apesar de atletas de diversas modalidades sempre estarem representados.

Antes do hexacampeão, o último piloto a figurar foi Michael Schumacher, eleito em 2005 após conquistar seu sétimo título mundial na F1. Na época, seu perfil foi escrito por Nick Mason, baterista do Pink Floyd, que escreveu: "Tivemos pilotos talentosos, corajosos e comprometidos ao longo da história, mas nenhum conseguiu combinar todos esses talentos como Schumacher conseguiu".

Hamilton tem a companhia de diversos outros atletas na lista de 2020: Giannis Antetokounmpo e Dwayne Wade, do basquete, Patrick Mahomes, do futebol americano, Naomi Osaka, do tênis, Megan Rapinoe, do futebol e Allyson Felix, do atletismo.

A lista da Time ainda conta com dois brasileiros: o presidente Jair Bolsonaro e o YouTuber Felipe Neto. Para conferir a íntegra da publicação, clique aqui.

Raio-X de Hamilton: veja a metamorfose e as histórias inéditas do maior piloto da F1 na atualidade

PODCAST: Qual é o limite de Max Verstappen na Red Bull?

 

Domenicali deve se tornar CEO da F1 no lugar de Carey, diz site

Artigo anterior

Domenicali deve se tornar CEO da F1 no lugar de Carey, diz site

Próximo artigo

F1: Após sucesso em Mugello, chefes de equipes apoiam calendário rotativo

F1: Após sucesso em Mugello, chefes de equipes apoiam calendário rotativo
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Guilherme Longo