F1: Batidas podem atrapalhar progresso da Aston Martin com carro de 2022

Chefe da equipe britânica explicou que esforços na fábrica terão que ser divididos entre a produção de peças sobressalentes e novas para os próximos GPs

F1: Batidas podem atrapalhar progresso da Aston Martin com carro de 2022
Carregar reprodutor de áudio

Após um final de semana desastroso na Austrália, o chefe da Aston Martin, Mike Krack, admitiu que o pesadelo vivido durante o GP da Austrália de Fórmula 1 pode atrapalhar a chegada de novas atualizações para o AMR22.

Sebastian Vettel bateu com força no TL3 e na corrida, enquanto seu companheiro de equipe, Lance Stroll, também se envolveu em colisões, uma no TL3 e outra na classificação com Nicholas Latifi. Enquanto o alemão abandonou, o canadense foi o 12º colocado no GP.

Leia também:

Após a corrida, a equipe completou um inventário de componentes de carenagem e suspensão que ainda poderiam ser usadas, que estavam tanto na Austrália quanto na fábrica, e calcularam o quanto que precisa ser produzido para que ambos os carros tenham uma retaguarda para o GP da Emilia Romagna.

Com isso, os recursos da fábrica em Silverstone terão que ser focados na substituição das partes danificadas em vez de produzirem novas especificações para Ímola, apesar da equipe ainda ter a esperança de conseguir manter as atualizações para o carro.

"Tivemos um final de semana difícil porque tivemos muitos danos ao carro", disse Krack. "Os problemas já começaram na sexta, com algo na unidade de potência, que tivemos que mudar. Então não tivemos muito tempo de pista. E obviamente os incidentes de pista que foram visíveis a todos levaram a muito trabalho".

"Acho que, quando chegamos aqui, pensávamos que estaríamos um pouco melhor do que antes".

Sebastian Vettel, Aston Martin AMR22

Sebastian Vettel, Aston Martin AMR22

Photo by: Carl Bingham / Motorsport Images

"Mas, obviamente, não pudemos mostrar muito ao longo do fim de semana, porque tivemos várias disrupções que você não pode ter no fim do dia. Acho que, no final da corrida, ainda estávamos em posição de torcermos pelos pontos, que eventualmente não vieram. No geral, uma etapa bem desapontadora, eu diria".

"Então precisamos coletar todas as peças que temos, porque estamos começando a ficar com poucas para substituição. É algo que precisamos resolver".

Questionado se os danos de Melbourne podem comprometer os planos de trazer atualizações ao carro, Krack admitiu a possibilidade.

"Tenho certeza de que, se você contar a quantidade de incidentes e de asas e suspensões dianteiras que danificamos. Se você calcular corretamente quantas precisaremos para correr em Ímola, sim, a questão existe".

"Teremos a capacidade de desenvolver, ou precisaremos usar nossos recursos para fazer peças sobressalentes? Essa é uma discussão em andamento".

Rádio revela superioridade de Leclerc no GP da Austrália com Ferrari

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST - PÓDIO: Leclerc passeia, Verstappen quebra e Russell é pódio na Austrália

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
Verstappen: F1 precisa acelerar safety car "tartaruga" da Aston Martin
Artigo anterior

Verstappen: F1 precisa acelerar safety car "tartaruga" da Aston Martin

Próximo artigo

F1: Russell diz que desempenho "despencaria" se lutasse contra Pérez

F1: Russell diz que desempenho "despencaria" se lutasse contra Pérez