F1: Chefe da Mercedes diz que Ferrari deve questionar decisões de "certos membros"

Em meio ao mau desempenho da Ferrari no ano, Toto Wolff também afirmou que equipe italiana “deveria estar correndo na frente”

F1: Chefe da Mercedes diz que Ferrari deve questionar decisões de "certos membros"
Carregar reprodutor de áudio

O chefe da Mercedes, Toto Wolff, acredita que as dificuldades atuais da Ferrari "não são boas para a Fórmula 1", mas crê que ela deve questionar as decisões tomadas por "certos membros" da equipe.

A Ferrari teve seu pior desempenho em classificatórios da temporada na Bélgica no último sábado, com Charles Leclerc e Sebastian Vettel terminando em 13º e 14º, respectivamente. Na corrida realizada neste domingo (30), em Spa-Francorchamps, as posições dos pilotos apenas se inverteram, finalizando um final de semana desastroso para a equipe italiana.

Leia também:

A Ferrari conseguiu largar com os dois carros na primeira fila do grid em Spa no ano passado e bateu o piloto da Mercedes, Lewis Hamilton, para a vitória com Leclerc. Falando sobre seus pensamentos sobre as lutas atuais da Ferrari e se ele sentia falta da competição com a equipe, Wolff chamou a Ferrari de "uma marca icônica" e disse que ela "deveria estar correndo bem na frente".

“Não é bom para a Fórmula 1”, disse Wolff. “Não é bom para a competição na frente. Sinto muito com todos os tifosi e funcionários da Ferrari por essa falta de desempenho”.

No entanto, Wolff disse que a Ferrari precisava “questionar as prioridades que foram definidas nos últimos tempos e de onde vem a falta de desempenho”.

Wolff acrescentou: “Ninguém, dos fãs e do pessoal da Ferrari, merecem tal resultado”.

Solicitado a esclarecer o que ele quis dizer com as prioridades da Ferrari, Wolff corrigiu seu comentário em relação a toda a equipe e disse que as decisões tomadas por membros individuais deveriam ser questionadas.

“Na verdade, é errado dizer as prioridades da Ferrari, porque isso arrasta a Ferrari e todos na Ferrari para isso”, disse Wolff. “Talvez sejam as decisões que foram tomadas dentro da equipe, de certos membros da equipe”.

A Ferrari sofreu uma grande queda na velocidade em linha reta e no desempenho da unidade de potência entre 2019 e 2020, algo também encontrado por outras equipes com motores Ferrari.

Isso surgiu após um acordo privado entre a Ferrari e a FIA, após uma investigação de sua unidade de potência, depois que preocupações foram levantadas sobre sua legalidade. Mattia Binotto, chefe da equipe Ferrari, reconheceu no mês passado que a subsequente repressão da FIA às unidades de potência custou seu desempenho este ano.

Wolff observou no início deste ano como a Mercedes se esforçou para "esgotar" ao tentar igualar o desempenho da unidade de potência da Ferrari no ano passado, resultando em um "salto substancial" em seus próprios níveis de potência durante o inverno.

PÓDIO: Hamilton 'deita e rola' em dia de vexame da Ferrari na F1; Cesar Ramos e Motorsport comentam

PODCAST: Na guerra de bastidores dos circuitos, qual é o calendário dos sonhos da F1?

 

 

compartilhar
comentários

Related video

Hamilton diz que ficou nervoso e temeu problemas de pneus como em Silverstone
Artigo anterior

Hamilton diz que ficou nervoso e temeu problemas de pneus como em Silverstone

Próximo artigo

F1: Russell se diz grato por segurança após impacto "assustador" com o pneu de Giovinazzi

F1: Russell se diz grato por segurança após impacto "assustador" com o pneu de Giovinazzi