F1: Diretor de Provas diz que seria "inapropriado" manter punição de pontos a Hamilton

compartilhar
comentários
F1: Diretor de Provas diz que seria "inapropriado" manter punição de pontos a Hamilton
Por:

Michael Masi disse que não faria sentido manter a punição já que foi determinado que a fonte da culpa era a equipe

Além das duas punições de cinco segundos no GP da Rússia de Fórmula 1, Lewis Hamilton também havia sido penalizado com dois pontos em sua superlicença, o que foi retirado depois pelos comissários, ao analisar os áudios do rádio do piloto com a Mercedes. E o diretor de provas da FIA, Michael Masi, explicou as razões por trás da mudança.

Hamilton largou sob investigação por conduzir dois testes de largada em locais inapropriados, recebendo, inicialmente um ponto por cada teste. Isso o colocou muito próximo do limite de 12 que, caso seja atingido, um piloto é automaticamente suspenso da corrida seguinte.

Leia também:

Porém, após conversas com Hamilton e a Mercedes depois da corrida, eles voltaram atrás e retiraram os pontos do piloto, trocando por uma multa de 25 mil euros à Mercedes, julgando que o britânico recebeu a orientação de fazer o teste os locais indicados.

"Os comissários falaram com a equipe e o piloto após a prova", disse Michael Masi, diretor de provas da FIA. "Então Lewis, e a Mercedes explicaram que foi uma instrução da equipe sobre os locais para fazer o teste".

"E com base nisso, os comissários retiraram a punição do piloto porque acharam que seria inapropriado. Como resultado, multaram a equipe em 25 mil euros pela instrução".

"Efetivamente, sim, ele estava pilotando o carro. Porém, um fator que contribuiu foi a instrução de sua equipe para fazer aquilo, portanto, eles acharam justo revisar a decisão".

Masi disse que os pilotos entenderam onde era a zona de testes de largada.

"O local para os testes é obviamente um circuito muito específico, e detalho isso nas notas do evento. E todas as outras provas, Lewis e os demais pilotos seguiram o regulamento sobre onde podem fazer testes de largada".

"Eu diria que a razão para determinarmos esses locais é a segurança de todos os pilotos. Todos estão cientes do que está acontecendo. Então determinamos o local por uma razão. Eu acredito que houve um problema de comunicação entre a equipe e o piloto porque, obviamente, Valtteri e os outros pilotos fizeram no local certo, logo após as linhas de saída do pit".

"Geralmente, não pintamos o local, apenas especificamos o local, e isso é feito assim mesmo antes do meu tempo. É um elemento muito específico do circuito. Acho que esse foi apenas um erro simples".

Apesar dos pontos terem sido retirados, Masi reforçou que o caso ainda é visto como uma ofensa que deu a Hamilton uma vantagem.

"Você precisa olhar a tudo em seus próprios méritos e, na visão padrão, fazer o teste naqueles locais representa uma vantagem esportiva. E, portanto, foi dada uma punição apropriada".

"O espectro é enorme em termos de punição e, obviamente, os comissários têm a habilidade de aplicar quaisquer punições no regulamento esportivo e no Código Desportivo Internacional. Então é por isso que temos os comissários, para que eles determinem a punição ideal dentro de cada circunstância".

"Houve uma quebra de dois elementos do regulamento, um sendo o artigo das notas do evento do diretor e outro o Artigo 36.1 do Regulamento Desportivo, que determina que você deve manter uma velocidade constante na saída dos pits".

PÓDIO: Hamilton é punido e Bottas vence na Rússia, com Verstappen em segundo

PODCAST: Qual é o limite de Max Verstappen na Red Bull?

 

F1: Pilotos cobram mudanças na Curva 2 de Sochi, "uma das piores do calendário"

Artigo anterior

F1: Pilotos cobram mudanças na Curva 2 de Sochi, "uma das piores do calendário"

Próximo artigo

F1: Red Bull explica mensagem a Verstappen sobre perda de seis décimos nas retas

F1: Red Bull explica mensagem a Verstappen sobre perda de seis décimos nas retas
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP da Rússia
Pilotos Lewis Hamilton
Autor Adam Cooper