F1: Disputa de Verstappen contra Hamilton na 48ª volta do GP de São Paulo será investigada nesta quinta-feira

Movimento do holandês, acusado de fechar o britânico, foi contestado pela Mercedes à FIA, que aceitou o pedido de revisão

F1: Disputa de Verstappen contra Hamilton na 48ª volta do GP de São Paulo será investigada nesta quinta-feira
Carregar reprodutor de áudio

A FIA convocou a Mercedes para uma audiência no Catar nesta quinta-feira (18), depois que a fabricante alemã pediu o direito de revisão do incidente de Max Verstappen com Lewis Hamilton no GP de São Paulo, onde o holandês é acusado de ter fechado o rival quando os dois disputavam posição na curva do lago na volta 48.

Um representante da escuderia deve se apresentar à federação por meio de videoconferência às 11h no horário de Brasília (17h local), conforme documento dos comissários emitido na quarta-feira, antes do início dos trabalhos do etapa no Oriente Médio deste fim de semana.

Leia também:

De acordo com a FIA, a audiência é para determinar se a Mercedes tem o direito de revisar o caso, o que dependeria dela apresentar "um novo elemento significativo e relevante que não estava disponível para as partes que buscavam a revisão no momento da decisão em questão".

Esse poderia ser a filmagem da câmera voltada para a frente do carro de Verstappen, que foi liberada pela F1 na última terça-feira (16), a qual os comissários não tiveram acesso quando optaram por não investigar o incidente entre o piloto da Red Bull e seu rival.

A tecnologia atual da categoria limita apenas uma transmissão ao vivo de cada carro e, no momento da disputa, o carro de Max estava mostrando sua traseira. A visão frontal só estava disponível para download após a prova.

Verstappen pareceu empurrar Hamilton para longe enquanto defendia sua liderança na volta 48, com os dois indo para a área de escape pintada antes de retornar à pista. Mais tarde, o heptacampeão o ultrapassou para vencer a corrida, recuperando-se de uma penalidade de cinco posições no grid por mudança de motor e exclusão da classificação de sexta-feira.

A decisão da Mercedes de prosseguir com o direito de revisão veio na esteira do chefe Toto Wolff admitindo após o GP no Brasil de uma nova atitude 'linha-dura'. Frustrado com a decisão da FIA de excluir Lewis da qualificação por causa de um problema de DRS, ficou irritado por Max nem ter sido investigado.

"Acho que acabamos de receber muitos, muitos socos na cara neste fim de semana, com decisões que poderiam ter afetado qualquer um dos lados, contra nós ou a nosso favor", disse ele. "Quando sempre vão contra você, é algo que me deixa irritado e vou defender minha equipe e meus pilotos para o que vier."

"Sempre fui muito diplomático na maneira como discuto as coisas, mas isso acabou", complementou Wolff.

Caso a FIA aceite que Verstappen infringiu as regras esportivas com sua direção, então é possível que ela o penalize em tempo nos resultados da corrida de São Paulo ou imponha uma punição de grid para a prova no Catar.

F1 2021: O que a Red Bull PRECISA fazer no Catar? Hamilton FAVORITO? | TELEMETRIA

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #146: Hamilton teve a maior exibição da carreira no Brasil?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
Direção de prova da F1 explica multa a Hamilton por soltar cinto em Interlagos
Artigo anterior

Direção de prova da F1 explica multa a Hamilton por soltar cinto em Interlagos

Próximo artigo

F1: Sainz diz que brita resolveria 'polêmica' de disputa entre Verstappen e Hamilton na curva 4 de Interlagos

F1: Sainz diz que brita resolveria 'polêmica' de disputa entre Verstappen e Hamilton na curva 4 de Interlagos
Carregar comentários