F1: Domenicali se diz surpreso por Hamilton não ser o piloto mais popular da categoria

CEO da F1 comentou resultado da pesquisa encomendada pela Motorsport Network

F1: Domenicali se diz surpreso por Hamilton não ser o piloto mais popular da categoria

O CEO da Fórmula 1, Stefano Domenicali, disse que ficou surpreso que Lewis Hamilton não liderou a recente pesquisa global de fãs, mas entende o apelo de jovens pilotos como Lando Norris.

Os resultados da Pesquisa Global da F1 encomendada pela Motorsport Network em parceria com a F1 e a Nielsen Sports foram divulgados antes do GP dos Estados Unidos, após respostas de mais de 167.000 fãs em 187 países diferentes.

Leia também:

Max Verstappen foi considerado o piloto mais popular da F1, sendo eleito favorito por 14,4% dos fãs, mas o piloto da McLaren, Norris, conseguiu terminar em segundo lugar na classificação geral, à frente do vencedor da votação em 2017, Hamilton.

Hamilton tem sido a figura mais visível e pública da F1 durante grande parte de sua carreira, desfrutando de um status de celebridade que nenhum de seus colegas chega perto.

Mas ele ficou 1,9% abaixo de Verstappen na votação mundial dos fãs, apesar de permanecer como o piloto favorito entre os fãs no Reino Unido, onde venceu Norris por pouco.

Questionado se ele estava surpreso ao ver que Hamilton não estava em primeiro lugar, Domenicali respondeu: “Bem, eu tenho que dizer que sim, de certa forma.

“Mas, por outro lado, se você pensar na demografia das pessoas que estão mais envolvidas nesse tipo de [votos], acho que você entende porque o Lando tem um grande público, nesse aspecto.”

“Está mais ligado ao fato de que ele tem uma abordagem com eles que é nova, de uma forma que está mais próxima das pessoas que o seguem. Essa é a minha opinião pessoal.”

Norris terminou em segundo na geral e ajudou a McLaren a ganhar a votação como time favorito dos fãs, e disse que estava feliz por ter uma influência positiva sobre os jovens fãs por meio de uma forte presença nas redes sociais e atividades no streaming.

Domenicali disse que embora fosse "uma diferença muito, muito pequena" entre os pilotos de topo, ela foi encorajada pelo interesse na geração mais jovem da F1.

“Não quero dar uma magnitude maior do que é, mas com certeza é um sinal de que, como sempre disse, não temos problemas com os pilotos para o futuro”, disse Domenicali.

“Temos um grupo incrível de jovens, muito talentosos e muito bons que são valiosos para a Fórmula 1.”

A pesquisa refletiu um influxo de novos e jovens fãs para a F1, já que a idade média dos votantes foi reduzida de 36 para 32 anos.

Domenicali concordou que a série da Netflix, Drive to Survive, teria desempenhado um grande papel em trazer novos fãs para a F1 desde a última votação em 2017.

“Com certeza, Drive to Survive teve um grande impacto, principalmente para aqueles que não eram fãs tão ávidos da Fórmula 1”, disse Domenicali. “Eles viram narrativas diferentes em relação a esse esporte. Com certeza, teve um impacto positivo.”

RUBENS BARRICHELLO NA BAND: Rubinho será comentarista convidado no GP de São Paulo de F1; saiba mais

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #141 – É o fim da linha para Mercedes e Hamilton após GP dos EUA?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
Milton da Silva, pai de Ayrton Senna, morre aos 94 anos
Artigo anterior

Milton da Silva, pai de Ayrton Senna, morre aos 94 anos

Próximo artigo

F1: A noite em que Schumacher se fez passar por amigo de Villeneuve

F1: A noite em que Schumacher se fez passar por amigo de Villeneuve
Carregar comentários