F1: Ex-engenheiro da Mercedes explica tinta fluorescente usada nos carros durante treinos

Recurso é utilizado para deixarem visíveis os aspectos aerodinâmicos dos veículos e assim coletar dados importantes

F1: Ex-engenheiro da Mercedes explica tinta fluorescente usada nos carros durante treinos

Os fãs da Fórmula 1 podem estar familiarizados com a imagem que a pintura cria ao redor do carro, mas muitos novatos podem se surpreender ao ver as equipes cobrindo seus veículos com um líquido, geralmente verde ou amarelo fluorescente. O fluido é chamado FloViz e é usado pelas escuderias para tornar os fluxos aerodinâmicos visíveis em seus respectivos bólidos, mas isso é tudo que a maioria dos fãs sabe sobre ele.

Philipp Brändle, que trabalhou como engenheiro de Lewis Hamilton na Mercedes até o final de 2019, ofereceu uma visão sobre como esse elemento funciona. Essa pintura é aplicada apenas um pouco antes do carro entrar na pista durante os testes ou treinos, e há uma razão para isso.

Leia também:

Quando o veículo vai ao circuito, a corrente arrasta as partículas líquidas ao longo da superfície pintada. "E em algum ponto, que é relativamente cedo, mas nem sempre conhecido exatamente, esse fluido seca e então permanece ou adere à superfície neste estado", disse Brändle à emissora austríaca ServusTV.

De volta aos boxes, os engenheiros aerodinâmicos tiram fotos de todos os ângulos possíveis e com iluminação diferenciada e salvam no servidor, para depois analisá-las.

"Você realmente tem que olhar para as condições de fluxo detalhadas. Que tipo de estruturas de vórtice nós temos? Temos destacamentos em uma asa?" comentou ele. "E então você compara com medições comparáveis ​​do túnel de vento ou CFDs (em inglês: Dinâmica de Fluidos Computacional)."

No entanto, toda vantagem também traz uma desvantagem e, neste caso, é que a concorrência também pode fotografar de carros em movimento e possivelmente tirar conclusões, mas é um sacrifício que deve ser feito, de acordo com Brändle: "Do contrário, não tem os dados. Como espião, você só vê o resultado, mas qual era exatamente a configuração é algo que os outros não podem saber."

Em vez disso, as próprias equipes veem exatamente qual componente mediram e de que maneira. Além disso, muitas vezes elas deixam o outro carro andar em um ambiente diferente e, em seguida, comparam os resultados.

Segundo Brändle, o FloViz é usado principalmente nos treinos de sexta-feira, no sábado eles tentam evitá-lo, embora ainda haja uma sessão antes da classificação. Só em caso de emergência, por exemplo, caso as fotos não derem certo ou o teste não ser positivo, voltam a usar a tinta no dia.

"É absolutamente necessário evitar fazer isso no TL3. É quando você prefere deixar a avaliação para a próxima pista. A razão é simples: é realmente uma confusão incrível."

EXCLUSIVO: JU CERASOLI revela detalhes em TRETAS de Hamilton e Verstappen que não são vistos na TV

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #135: Vitória 100 de Hamilton na F1 chega em momento mais pressionado na carreira?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
Comentarista da F1 diz que Bottas é melhor segundo piloto que Pérez
Artigo anterior

Comentarista da F1 diz que Bottas é melhor segundo piloto que Pérez

Próximo artigo

F1: Norris diz que carro de 2022 "não é tão legal" de pilotar quanto o atual

F1: Norris diz que carro de 2022 "não é tão legal" de pilotar quanto o atual
Carregar comentários