Fórmula 1 GP do Azerbaijão

F1 - Ferrari: "Prefiro ter boa performance e resolver confiabilidade do carro do que o contrário"

Binotto ainda minimizou sugestões de que a Ferrari precisa vencer em Montreal para se manter viva na luta pelo título

Charles Leclerc, Ferrari F1-75, limps back to the pit trailing smoke

Após o abandono duplo no GP do Azerbaijão de Fórmula 1, com Charles Leclerc sofrendo uma falha no motor enquanto Carlos Sainz teve problemas hidráulicos, o chefe da Ferrari, Mattia Binotto, diz preferir o desafio de consertar um carro pouco confiável, mas que possui um pacote competitivo, do que o contrário.

Esse foi o terceiro abandono do time italiano em 2022 por questões de confiabilidade, com Leclerc tendo problemas com o motor em Barcelona. Em Baku, as equipes clientes da Ferrari também sofreram, com Kevin Magnussen e Zhou Guanyu não completando a prova também por causa da unidade de potência.

Leia também:

Binotto disse que não ficou surpreso por ver os problemas de confiabilidade após o esforço da montadora em melhorar a unidade de potência para esta temporada, em busca de reduzir a diferença para Mercedes e Red Bull / Honda.

"Não estou surpreso. Certamente estou preocupado e desapontado. Porque é algo que temos que tentar resolver e que ainda não tínhamos visto. Mas não posso culpar a equipe, porque sei do esforço que eles tiveram para resolver a questão da performance no passado. Sei que foi uma jornada longa e o entusiasmo não bateu antes do início do campeonato".

"Como disse, é uma jornada, e ainda há outro passo para agora. Como equipe, temos que nos manter unidos, dar nosso melhor. Conseguimos fazer um bom trabalho até aqui, e ele ainda não acabou. Eu prefiro ter uma boa performance e tentar resolver a confiabilidade do que o contrário".

Mattia Binotto, Team Principal, Ferrari, in a press conference

Mattia Binotto, Team Principal, Ferrari, in a press conference

Photo by: Carl Bingham / Motorsport Images

Binotto admitiu que a maior preocupação da equipe é não ter uma solução definitiva para os problemas recentes de confiabilidade no motor.

"É uma preocupação. É uma preocupação ainda maior porque não temos resposta, e gostaria de ter uma agora, saber o que é o problema. Apenas o fato de que precisaremos de um novo motor, ainda muito cedo na temporada... Algumas vezes os problemas podem não ter uma solução rápida".

"Então não sei qual será a estratégia que adotaremos, se é simplesmente uma quilometragem menor ou outro tipo de uso. É algo que precisamos entender nos próximos dias e, com sorte, teremos uma resposta mais clara para o Canadá".

Mas Binotto minimiza a sugestão de que é preciso vencer em Montreal para que a Ferrari volte à luta pelo título.

"Não acho que seja uma obrigação. Vamos focar corrida a corrida, tentando otimizar nosso potencial. Hoje certamente houve algo de errado, e não é apenas a confiabilidade, temos que olhar para os detalhes".

"Mas na fábrica acho que, assim como sempre, é uma lição aprendida, tentando aprender e evoluir, o mais rápido possível, tentando tornar nosso produto cada vez mais forte".

VÍDEO: Como explicar carro de Mick Schumacher partido ao meio em Mônaco?

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #181 – O que novo carro da F1 tem de melhor e pior até agora?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Artigo anterior F1: Red Bull diz que troca de posição entre Verstappen e Pérez em Baku não foi ordem de equipe
Próximo artigo GP do Canadá de F1: Horários e como assistir ao retorno da etapa de Montreal

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil