Fórmula 1 GP do Canadá

F1: Ferrari terá reunião em Maranello sobre erro de estratégia na classificação do Canadá

Leclerc criticou publicamente a equipe após a eliminação no Q2 durante a classificação do sábado

Charles Leclerc, Ferrari SF-23

Mesmo acertando no domingo com a decisão de manter Charles Leclerc e Carlos Sainz na pista durante o safety car do GP do Canadá de Fórmula 1, a Ferrari não passou ilesa por Montreal, sendo criticada pelo monegasco pelos pneus durante o Q2 da classificação, levando à eliminação do piloto. Por isso, o time planeja uma reunião em Maranello nesta terça-feira (20) para discutir os erros recentes.

No Q2, Leclerc pediu para trocar os pneus de chuva pelos slicks ainda nos primeiros minutos, sendo negado pela equipe, que preferiu mantê-lo na pista para fazer uma volta com intermediários por garantia.

Leia também:

Mas, no momento na qual ele completou sua primeira saída, voltando aos boxes para colocar os slicks, a chuva havia voltado, fazendo com que Leclerc perdesse a chance de melhorar seu tempo, sendo eliminado.

Apesar de Leclerc ter deixado clara sua frustração em entrevistas após a sessão, a equipe disse que o monegasco mudou sua visão após ouvir a explicação dos estrategistas. Mesmo assim, Fréderic Vasseur disse que é vital para sua equipe conduzir uma análise profunda sobre o que aconteceu e como repetir os problemas no futuro.

"Temos que pensar sobre o que ocorreu. Teremos uma reunião na terça-feira para discutir como resolver isso".

Frederic Vasseur

Frederic Vasseur

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

Vasseur disse que enquanto as críticas de Leclerc após a classificação possam ter chamado a atenção, a situação era bem mais calma na noite de sábado.

"É sempre possível fazer um trabalho melhor. Mas também é verdade que a impressão que você tem 10 segundos após a classificação nem sempre é a melhor. Tivemos boas discussões com ele. Demos a ele a imagem global da situação, o que aconteceu, e foi bem mais calmo".

Vasseur sente que o que Leclerc não entendeu no momento é que a demora em uma mudança do tipo causaria outros tipos de riscos.

"Naquele momento, a chuva estava vindo, e queríamos colocar um tempo na tabela o mais rápido possível. Se você parar no fim da volta um para colocar macios, aí você precisaria de duas voltas de aquecimento, adiando sua primeira volta rápida por cinco minutos. Não era a estratégia correta naquele ponto".

VÍDEO: Rico Penteado abre o jogo sobre Michael Schumacher

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast #234 – Aston, Ferrari ou Mercedes? Quem se garante como segunda força da F1 em 2023?

 
 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Verstappen disputou GP do Canadá com pássaro preso no duto de freio
Próximo artigo F1: Mercedes revela planos de grande atualização para GP da Grã-Bretanha

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil