F1: FIA estende isenção de uso de joias para pilotos até o fim de junho

Isso permite novas rodadas de conversas entre pilotos e direção de prova

F1: FIA estende isenção de uso de joias para pilotos até o fim de junho
Carregar reprodutor de áudio

A FIA estendeu a isenção de uso de joias para os pilotos dentro dos carros de Fórmula 1 até o fim de junho, permitindo que novas rodadas de discussão sobre o assunto aconteçam.

Sob a tutela do novo diretor de provas, Niels Wittich, vários elementos do Código Desportivo Internacional da FIA foram aplicados de forma mais rígida no começo da temporada 2022, incluindo artigos sobre o uso de joias dentro dos carros.

Leia também:

Após um lembrete inicial divulgado na Austrália sobre o uso de piercings ou correntes dentro do carro, a norma foi oficializada em Miami, quando checagens para confirmar o cumprimento da regra passaram a integrar a declaração de escrutínio pré-corrida.

Lewis Hamilton chamou a manobra de "desnecessária" e "um passo atrás", dizendo que não planejava remover todos seus piercings, com destaque para o do nariz, que não tem como ser retirado manualmente. Por isso, ele recebeu uma isenção de duas corridas, que valeria até este fim de semana, em Mônaco.

Mas agora o britânico e o resto do grid ganham mais tempo para isso, até o fim de junho, o que inclui mais três corridas: Mônaco, Azerbaijão e Canadá. A manobra tem como intenção permitir um diálogo maior entre os pilotos e a comissão médica da FIA, que buscam chegar a um meio termo ideal para todos.

As primeiras discussões aconteceram na Espanha, com a FIA destacando as questões de segurança que podem existir com o uso de joias no carro.

Lewis Hamilton, Mercedes

Lewis Hamilton, Mercedes

Photo by: Steve Etherington / Motorsport Images

O acidente de Romain Grosjean no GP do Bahrein de 2020 é citado como um acidente onde qualquer interferência do uso de joias no carro poderiam causar problemas na extração de pilotos do cockpit do carro. Mas o próprio ex-Haas revelou que correu naquela ocasião com aliança e relógio, afirmando que não gostaria de ter que remover o anel.

A incerteza segue para alguns pilotos sobre o que é permitido ou não, incluindo alianças. Kevin Magnussen disse que irá conversar com a FIA sobre o tópico.

"Eu aceito um pouco mais de queimado na mão para correr com minha aliança", disse. "E se algo acontecer, algo ruim, quero estar com minha aliança. Me sinto mal em remover. Com algo assim, a aliança, nos deixe assumir a responsabilidade. Tem que ter um modo de tirar a responsabilidade deles".

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST #179: O que Hamilton e Russell podem conseguir com melhora da Mercedes?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: McLaren passa a carregar o nome de Senna no halo do carro
Artigo anterior

F1: McLaren passa a carregar o nome de Senna no halo do carro

Próximo artigo

F1: Leclerc não quer depender de ordens de equipe para lutar pelo título

F1: Leclerc não quer depender de ordens de equipe para lutar pelo título