F1: FIA volta atrás e adia introdução de novas regras sobre porpoising até o GP da França

Com isso, introdução da polêmica segunda haste metálica de fixação fica suspensa por mais algum tempo

F1: FIA volta atrás e adia introdução de novas regras sobre porpoising até o GP da França
Carregar reprodutor de áudio

Após toda a polêmica surgida durante o GP do Canadá de Fórmula 1, com a divulgação de uma diretiva técnica com o objetivo de limitar o porpoising, a FIA deu um passo atrás, afirmando que quer obter mais dados sobre o comportamento dos carros antes de considerar a introdução de novas regras.

Um dos objetivos da FIA era criar uma Métrica de Oscilação Aerodinâmica (MOA), que ajudaria a definir um limite para as quicadas dos carros. Assim que a métrica fosse introduzida, qualquer equipe que ultrapassasse o limite terá que aumentar a altura do carro para reduzir o porpoising.

Leia também:

Qualquer equipe que se recusar a seguir as normas, com o carro ainda quicando, corre o risco de ser excluído de um GP porque seu modelo será considerado "construção perigosa". A FIA iniciou a coleta de dados no Canadá, usando um acelerômetro dentro do carro para ter uma compreensão melhor do comportamento dos carros.

Após a análise dos dados de Montreal, e as discussões com os diretores técnicos sobre a situação, foi apurado que a FIA quer obter mais informações antes de ponderar sobre os próximos passos, informando as equipes que os planos devem ser efetivados no GP da França.

Em uma diretiva técnica atualizada que foi divulgada nesta quinta, a FIA diz que as equipes terão duas corridas para analisar a situação antes das restrições.

"Definimos uma métrica para monitorarmos isso, a atualização foi enviada às equipes para permitir que elas conduzam suas próprias análises ao longo dos próximos dois GPs para entender o que, ou se é preciso fazer mudanças para cumprir o regulamento quando a Diretiva Técnica for efetivada a partir do GP da França".

A FIA também determinou alguns parâmetros atualizados sobre desgaste da prancha e rigidez da derrapagem, que andam juntas com a métrica.

Fim da segunda haste metálica

Lewis Hamilton, Mercedes W13

Lewis Hamilton, Mercedes W13

Photo by: Andrew Ferraro / Motorsport Images

Um dos aspectos mais polêmicos da diretiva foi a liberação para as equipes de adicionarem uma segunda haste metálica de fixação para reforçar o assoalho. Isso levou a reclamações de alguns times de que o documento representava uma quebra de protocolos da FIA, já que as diretivas não têm autoridade para modificar o regulamento.

Além disso, o fato da Mercedes ter conseguido adicionar tão rapidamente a segunda haste levou a alegações de que o time alemão poderia ter recebido informações de antemão sobre as intenções da FIA.

Para o sábado em Montreal, a Mercedes removeu a segunda haste, acreditando que a peça não havia entregue a melhora esperada, além da ameaça de protesto das rivais.

Enquanto houve a possibilidade da FIA acelerar a permissão da segunda haste, incluindo-a no regulamento já para este fim de semana, acabou voltando atrás. Com isso, as equipes não terão nenhum tipo de ajuda para se livrarem do porpoising.

Vale lembrar que nem todas as equipes acreditam que a FIA deveria se envolver na erradicação do problema do porpoising.

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #184 - Felipe Kieling, da Band, revela como foi substituir Mariana Becker na cobertura da F1

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
F1: Um ano depois, Verstappen diz não ter ressentimento sobre acidente com Hamilton em Silverstone
Artigo anterior

F1: Um ano depois, Verstappen diz não ter ressentimento sobre acidente com Hamilton em Silverstone

Próximo artigo

F1: Equipes ganham oportunidade extra para corrigir problemas de confiabilidade

F1: Equipes ganham oportunidade extra para corrigir problemas de confiabilidade