F1: Hakkinen acredita que "irritado" Hamilton pode considerar saída da Mercedes

Bicampeão fez uma análise sobre como está o clima na Mercedes, comparando as situações de Russell e do heptacampeão

F1: Hakkinen acredita que "irritado" Hamilton pode considerar saída da Mercedes
Carregar reprodutor de áudio

O bicampeão da Fórmula 1 Mika Hakkinen acredita que os problemas enfrentados pela Mercedes no começo da temporada 2022 podem levar um "irritado" Lewis Hamilton a avaliar uma mudança de equipe na principal categoria do automobilismo mundial.

A Mercedes vive um início de campeonato que não vivia desde o início de sua hegemonia na F1 em 2014, com um carro que não parece encontrar o rendimento para bater de frente com Red Bull e Ferrari.

Leia também:

E esse começo parece ser especialmente difícil para Hamilton em comparação com seu companheiro George Russell, recém-chegado à equipe alemã e que terminou à frente do heptacampeão em duas das três corridas do ano, ocupando a vice-liderança do Mundial contra a quinta posição de Hamilton.

Hakkinen analisou a situação atual que Hamilton vive na Mercedes e o que isso pode significar para o futuro do britânico com a equipe.

"É um lugar difícil para Lewis, obviamente", disse Hakkinen em um vídeo para o site de apostas Unibet. "Russell não chegou ali para ser número dois ou perder. Está ali para dar o melhor de si mesmo e trabalha para ser campeão no futuro. Não vai se dobrar perante um heptacampeão".

"A última corrida, na Austrália, foi muito dura para Lewis, realmente dura. A equipe, naturalmente, quer que os pilotos terminem a corrida. Conseguiram o resultado, não o que esperavam, mas ainda assim foram bons pontos".

"Mas estou seguro de que Lewis segue irritado pela situação. É difícil ser derrotado por George. Temo que será uma temporada realmente difícil para ele".

Lewis Hamilton, Mercedes W13, George Russell, Mercedes W13

Lewis Hamilton, Mercedes W13, George Russell, Mercedes W13

Photo by: Steve Etherington / Motorsport Images

Hakkinen acredita que, tendo em contra que Russell vem de três anos de Williams sem ter um carro que o permitisse lutar por boas posições, tudo que conquistar nesse momento será benéfico para ele, enquanto para Hamilton é diferente, já que ele possui 103 vitórias, 103 poles e 183 pódios na F1.

"Já é difícil para a Mercedes, mas é especialmente difícil para Lewis, George vem de uma equipe com pouco ou nenhum êxito: teve alguns bons resultados na classificação, mas não nas corridas. Todas as conquistas com a Mercedes são novas para ele, tudo faz ele se sentir super bem. Mas para Lewis isso é um desastre. E com George na frente, é ainda pior".

Com a experiência de 11 anos na F1, com vários momentos difíceis apesar dos dois títulos, 20 vitórias e 51 pódios, o finlandês sente curiosidade com relação à atitude que Hamilton possa ter dentro da Mercedes.

"Me pergunto como que Lewis se comporta nas reuniões da equipe. Aposto que esteja irritado. Imagino que seja. Muitas reclamações e lamúrias".

Hamilton chegou à Mercedes em 2013 e no ano passado assinou um novo contrato que o vincula à equipe até o fim de 2023. Mesmo assim, Hakkinen acredita que a situação atual pode levar o heptacampeão a considerar uma mudança de ares.

"Isso inicia o processo natural de pensamento dos pilotos: 'deveria ir para outro lugar?'. É normal. Já está na Mercedes há anos e ganhou múltiplos títulos. Agora que as coisas não estão muito bem, pode começar a pensar em uma mudança de equipe".

POLÍTICA da F1: Os OB$TÁCULO$ para PORSCHE/RED BULL e AUDI virarem REALIDADE em '26; veja BASTIDORES

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #173: Qual tamanho dos problemas de Verstappen e Red Bull?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Marko suspeita que porpoising esteja por trás do abandono de Verstappen na Austrália
Artigo anterior

F1: Marko suspeita que porpoising esteja por trás do abandono de Verstappen na Austrália

Próximo artigo

F1: Líder do Mundial, Leclerc tem relógio de R$1,5 milhão roubado na Itália

F1: Líder do Mundial, Leclerc tem relógio de R$1,5 milhão roubado na Itália