F1 - Horner critica inchaço do calendário: "Se depender dos promotores, logo teremos 35 corridas"

Chefe da Red Bull pede equilíbrio à categoria, citando logística e desgaste dos funcionários

F1 - Horner critica inchaço do calendário: "Se depender dos promotores, logo teremos 35 corridas"

A Fórmula 1 se prepara para o maior calendário de sua história em 2022, com 23 GPs mais sete ou oito corridas sprint. Mas o chefe da Red Bull, Christian Horner, não é a favor desse aumento no número de corridas, afirmando que, se o esporte olhar unicamente para o interesse dos promotores, logo teremos 35 provas por ano.

O Pacto de Concórdia, assinado pelas equipes no ano passado com validade até 2025, afirma que o Mundial não pode exceder o total de 25 corridas por ano.

Leia também:

Após a aquisição da Liberty Media no final de 2016, o calendário teve um leve aumento no número de corridas, indo de 20 / 21 para 23. Desde a saída de Bernie Ecclestone, alguns palcos surgiram ou voltaram ao esporte: Vietnã (apenas no papel), Arábia Saudita, Holanda e Catar em 2021 e Miami já confirmado para 2022.

Nos últimos anos, o termo "rodada tripla" também passou a fazer parte do vocabulário comum do esporte, algo que antes era visto como impensável. As equipes já se manifestaram várias vezes contra isso, mas o formato deve estar novamente presente em 2022.

"É um calendário muito cansativo. Como em todos os outros esportes, a demanda pela F1 determina a duração da temporada", disse Horner em entrevista ao RacingNews365.

"Procuramos manter o equilíbrio. Se dependesse apenas dos promotores, certamente teríamos 35 corridas em breve. Temos permissão para puxar a corda para que a temporada seja concluída com apenas uma equipe de mecânicos".

"A tensão é enorme, principalmente na era da Covid-19, com o calendário mudando com frequência e criando várias rodadas triplas. Vamos para o México, depois o Brasil e o Oriente Médio, o que exige uma logística séria".

No último final de semana, um engenheiro da Red Bull revelou como é o cronograma de trabalho médio dos funcionários de uma equipe em um GP, destacando o congestionamento do calendário. Mas Horner não acha que sua equipe esteja a ponto de esgotamento hoje.

"É muito difícil, mas é impressionante como a equipe consegue lidar com isso. Claro, ninguém na equipe diz que não quer competir".

"Em comparação com 15-20 anos atrás, passamos muito mais tempo em locais de competição, enquanto gastamos muito menos em testes. No que diz respeito ao calendário, precisamos manter um equilíbrio geográfico".

RETA FINAL: Red Bull tem revés contra Mercedes e Hamilton pode trocar motor na Turquia

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #136 – Ju Cerasoli faz raio-X da rivalidade Hamilton X Verstappen de quem acompanha direto do paddock

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Piastri surge como opção para Alfa Romeo em 2022, diz jornal
Artigo anterior

F1: Piastri surge como opção para Alfa Romeo em 2022, diz jornal

Próximo artigo

F1 - Wolff: "Experiência ajudará a evitar rivalidade entre Hamilton e Russell"

F1 - Wolff: "Experiência ajudará a evitar rivalidade entre Hamilton e Russell"
Carregar comentários