F1: Williams confirma que Latifi está fora da equipe em 2023

Canadense compete somente até o fim de 2022 após três anos com o time

Nicholas Latifi, Williams Racing

A Williams anunciou que Nicholas Latifi deixará a equipe de Fórmula 1 no final da temporada de 2022.

Latifi estreou na F1 com a Williams no início de 2020 em um contrato de três anos, mas lutou para igualar os companheiros de equipe George Russell e Alex Albon durante seu tempo na equipe. A saída do canadense é amplamente esperada há vários meses, mas Williams confirmou a notícia nesta sexta-feira, revelando que seu contrato não será prorrogado.

Leia também:

Williams disse que anunciará um substituto para Latifi “no devido tempo”.

“Gostaria de aproveitar esta oportunidade para agradecer a todos na Williams Racing – todas as pessoas na fábrica e aquelas com quem trabalho na pista – pelos últimos três anos”, disse Latifi em comunicado.

“Minha estreia inicial na F1 foi adiada devido à pandemia, mas finalmente começamos na Áustria e, embora não tenhamos alcançado os resultados juntos que esperávamos, ainda assim foi uma jornada fantástica.

“Conseguir os primeiros pontos na Hungria no ano passado foi um momento que nunca esquecerei e passarei para o próximo capítulo da minha carreira com memórias especiais do meu tempo com esta equipe dedicada. Eu sei que nenhum de nós vai parar de se esforçar até o final da temporada.”

Nicholas Latifi, Williams FW44

Nicholas Latifi, Williams FW44

Photo by: Alessio Morgese

Latifi não conseguiu marcar nenhum ponto em sua primeira temporada completa na Williams, já que a equipe lutou na parte de trás do grid. Sua primeira pontuação na categoria aconteceu na Hungria no ano passado, quando terminou em sétimo, ajudando o time a marcar seus primeiros pontos em mais de dois anos.

Mas após seu acidente no final da temporada de Abu Dhabi no ano passado e o impacto do safety car subsequente no campeonato, Latifi foi sujeito a ameaças de morte e abusos online significativos, impactando-o mentalmente.

Latifi não conseguiu terminar uma corrida acima do 12º até agora nesta temporada, enquanto Albon e Nyck de Vries - que substituiu Albon em Monza - conseguiram marcar pontos para a Williams.

 

O chefe da Williams na F1, Jost Capito, prestou homenagem a Latifi como “um grande jogador de equipe que tem uma ótima atitude em relação a seus colegas e trabalho e é muito querido e respeitado em todo o negócio”.

“Nosso tempo juntos está chegando ao fim, mas sei que ele vai se esforçar ao máximo para maximizar o que podemos fazer no restante desta temporada”, disse Capito.

“Desejamos a ele toda a sorte para o seu futuro, tanto dentro como fora do cockpit.”

Latifi disse em Zandvoort que não consideraria nenhuma outra opção de corrida para 2023 até que seu futuro com a Williams fosse definido, mas as chances de permanecer no grid da F1 parecem remotas.

Sabe-se que a Williams está considerando de Vries para uma vaga em tempo integral em 2023, mas a equipe enfrenta concorrência da Alpine e da AlphaTauri pela assinatura do holandês. Outra opção para a Williams é um de seus pilotos da academia, Logan Sargeant, que atualmente corre na Fórmula 2 e precisa terminar entre os cinco primeiros para garantir uma superlicença.

VÍDEO: O rumor sobre da Matta comandar a Audi na F1

Podcast #196 - Após recorde, qual Alonso ficará para a história da F1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Veja como está o mercado de pilotos para 2023 após anúncios de Tsunoda e Latifi
Próximo artigo ANÁLISE: Por que carreira de Latifi na F1 merecia se tornar mais do que um 'meme' da internet

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil