F1: Leclerc fica frustrado após mudança "muito agressiva" na asa da Ferrari não dar resultado

Piloto teve bons resultados nos treinos de sexta-feira, mas isso não se repetiu no TL3 de sábado e, na classificação, ele teve dificuldades com os pneus dianteiros

Charles Leclerc, Ferrari SF-24

Sam Bloxham / Motorsport Images

Charles Leclerc ficou apenas em quinto lugar na classificação do GP da Austrália de Fórmula 1. Depois de o monegasco ficar em quarto lugar no Q1 e em segundo no Q2, Ferrari trocou a asa dianteira na última corrida do Q3, na tentativa de obter mais desempenho.

No entanto, não deu certo e ele teve que se contentar com o quinto lugar.

Leia também:

"Para ser honesto, acho que o problema começou bem antes no fim de semana", disse ele quando perguntado pela Autosport sobre suas dificuldades na Q3.

"Já no TL3, senti que ele estava se afastando um pouco de mim, mas eu estava confiante de que voltaria a me sentir bem na classificação, como normalmente acontece. Sempre que temos uma sensação estranha no TL3, colocamos os pneus novos na classificação, com pouco combustível, e tudo volta a funcionar.", explicou.

"Hoje não foi o caso. Tive muita dificuldade com os pneus dianteiros, até a última corrida no Q3, quando fui muito agressivo com a asa dianteira para tentar alguma coisa, e acabei indo para o outro lado.", lamentou.

Charles Leclerc, Scuderia Ferrari, waves to fans after Qualifying

Charles Leclerc, Scuderia Ferrari, acena para os fãs após a classificação

Foto de: Glenn Dunbar / Motorsport Images

"Mas, no geral, não foi um dia limpo para mim, não pilotei tão bem quanto ontem. Mas amanhã a corrida será longa e tentarei maximizar tudo."

Leclerc citou sua própria preparação de pneus como uma das razões para suas dificuldades.

"A sensação não estava boa. A partir do TL3, ficou muito mais difícil fazer uma volta limpa. Ontem [sexta], todas as voltas que eu fazia eram limpas, todas boas. E hoje havia um ou outro eixo que não funcionava, o que se deve principalmente à preparação dos pneus."

"E acho que não fiz um bom trabalho com relação a isso hoje. Então, isso é um efeito bola de neve para o resto da volta. É por isso que acho que fiz besteira.", concluiu.

Leclerc admitiu que o TL3 também abriu seus olhos para o desempenho da Red Bull.

"Vi que a Red Bull começou a colocar o motor na potência máxima. E da curva 7 à curva 9, acho que já estávamos perdendo três décimos esta manhã. Então, isso foi muito importante.", analisou.

Charles Leclerc, Ferrari SF-24

Charles Leclerc, Ferrari SF-24

Foto de: Glenn Dunbar / Motorsport Images

"E, a partir daquele momento, senti que a pole position teria sido difícil. Mas no Q3 estávamos muito fortes, então pensei: 'Tudo bem, talvez'. No final, não foi. Acho que, realisticamente, vai ser difícil almejar a vitória porque Max [Verstappen] vai estar muito forte. Checo [Perez] pode ser um alvo.", avaliou Leclerc.

"Mas eles parecem fortes mais uma vez, porque têm novamente mais margem do que pensávamos que tinham ontem. No geral, minha meta é obviamente tentar voltar e estar no pódio. E se isso for vencer o Checo, então tentaremos fazer isso.", finalizou.

Verstappen faz a POLE na AUSTRÁLIA. Mas FERRARI preocupa RED BULL para o GP de F1?

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube

Podcast: Verstappen fora da Red Bull? Drugo tem chances em 2025?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Pérez é punido com posições no grid após atrapalhar Hulkenberg na classificação
Próximo artigo F1 - Tsunoda espera conseguir uma vaga na Red Bull: "Quero mostrar meu valor como piloto"

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil