F1: McLaren destaca principal problema do regulamento de 2022; entenda

Enquanto isso, pilotos e categoria destacam o sucesso das novas regras em meio ao surgimento de uma nova cultura dentro do esporte

F1: McLaren destaca principal problema do regulamento de 2022; entenda
Carregar reprodutor de áudio

Os novos carros da Fórmula 1 podem ter ajudado a entregar uma ação espetacular no GP da Grã-Bretanha, mas para a McLaren ainda há uma área com espaço para melhorar no futuro.

O retorno do efeito solo permitiu que os carros sigam uns aos outros com maior proximidade, abrindo a possibilidade de mais ultrapassagens, mas algumas batalhas do pelotão do meio acabam sendo afetadas pelo trem do DRS.

Leia também:

Se o carro da frente do pelotão tem velocidade suficiente em certos pontos para segurar quem vem atrás, isso pode criar um trem, com vários carros ficando presos atrás, sem ter o que fazer. O problema do DRS já foi discutido entre equipes, e o chefe da McLaren, Andreas Seidl, acredita que é preciso fazer algo.

"Acho que é um tópico que tocamos em algumas discussões. E provavelmente isso é algo que precisamos olhar novamente entre equipes, FIA e F1. Com o regulamento deste ano, já vimos que os carros estão brigando entre si, está melhor agora para seguir de perto sem matar o pneu de cara".

"O problema é que, do passado, ainda ficou a questão dos trens de DRS. Dependendo de como esse pelotão é formado e qual carro está na frente, se for um que consegue segurar os demais, isso pode criar cenários chatos. Acho que é algo que precisamos ver o que pode ser feito".

Sergio Perez, Red Bull Racing RB18, Lando Norris, McLaren MCL36, Lewis Hamilton, Mercedes W13

Sergio Perez, Red Bull Racing RB18, Lando Norris, McLaren MCL36, Lewis Hamilton, Mercedes W13

Photo by: Andy Hone / Motorsport Images

Apesar de ter espaço para melhorar, os pilotos rasgaram elogios à competitividade do carro no último fim de semana em Silverstone.

Lewis Hamilton disse: "Isso me lembrou dos dias de kart. E sinto que isso é a F1 em seu melhor. O fato de que podemos seguir e disputar assim, volta após volta, é um testamento da direção que estamos agora".

"Acho que foi um grande passo adiante da F1 e hoje provou isso", disse Carlos Sainz, vencedor do GP. "Sinto que esses carros melhoraram as disputas em curvas de alta, e Silverstone provou como está mais fácil de seguir".

Em seus últimos dias como diretor esportivo da F1, Ross Brawn acha que o sucesso do regulamento deste ano é o resultado de projetar normas que visavam permitir perseguições mais próximas.

"O que estamos vendo agora é uma nova cultura sobre criação de regulamentos", escreveu Brawn no site oficial da F1. "Quando o regulamento é modificado ou desenvolvido, os fatores levados em consideração não são apenas tempo de volta ou custos, mas também competitividade".

"A introdução disso será significativa para a F1 no futuro. Se há um legado dessa era, é que a competitividade será agora um fator a ser considerado quando projetamos novos carros para a F1. Nunca vimos isso antes".

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #185 - Ainda há quem resista ao halo após mais duas vidas salvas?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
ANÁLISE F1: Schumacher começa 'volta por cima'? Ainda tem chance na Ferrari?
Artigo anterior

ANÁLISE F1: Schumacher começa 'volta por cima'? Ainda tem chance na Ferrari?

Próximo artigo

F1: Wolff se diz “chocado” com possibilidade de assoalhos flexíveis

F1: Wolff se diz “chocado” com possibilidade de assoalhos flexíveis