Fórmula 1 GP da Bélgica

F1: Mercedes tem 'choque de realidade' e admite que diferença para Verstappen e Ferrari é "extravagante"

Lewis Hamilton e George Russell não encontraram facilidades no primeiro dia de atividades em pista na Bélgica

Lewis Hamilton, Mercedes W13

Com a esperança de aproveitar o impulso ganhado nas corridas recentes, que incluem uma pole position de George Russell no GP da Hungria de Fórmula 1, a Mercedes sentiu que o evento deste fim de semana em Spa-Francorchamps poderia oferecer a equipe algumas boas oportunidades. No entanto, Lewis Hamilton e Russell lutaram para manter o ritmo nas frias e úmidas sessões de treino livre nesta sexta-feira.

Leia também:

Hamilton terminou a sessão da tarde em sexto lugar, a mais de 1.3s da Red Bull de Max Verstappen, que ditava o ritmo. Seu companheiro de equipe, Russell, ficou duas posições para trás, mais dois décimos atrás.

Refletindo sobre suas sessões, Hamilton disse que a Mercedes "simplesmente não era muito rápida" e estava lutando por uma resposta sobre o porquê.

"Vamos sair e dar tudo que temos", disse. "Pode ter sido os pneus, a temperatura dos pneus, o nível da asa. Pode ter sido muitas coisas."

"Não é um desastre lá, porém, estamos muito longe. Mas, muitas vezes encontramos essas situações na sexta-feira e as coisas acabam mudando um pouco no sábado. Espero que esse seja o caso."

Hamilton e Russell não precisam ser lembrados sobre o quão rápido as coisas podem mudar depois de uma sexta difícil, já que a dupla conquistou seu grande resultado em Budapeste depois de um dia de abertura do fim de semana problemático.

Foi essa sensação que deixou ambos pilotos com a impressão de algo pode ser recuperado do resto do fim de semana na Bélgica.

George Russell, Mercedes W13

George Russell, Mercedes W13

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

Russell disse: "Estamos bastante acostumados a ter sextas ruins. Então, vamos ver se podemos dar a volta por cima, mas não acredito há garantias de que podemos encontrar o passo de desempenho que encontramos na última corrida, vamos dizer."

Hamilton acrescentou: "Vamos trabalhar duro esta noite para analisar os dados e averiguar onde podemos chegar com esse carro."

"Não parece o mesmo que na última pista como no tempo de classificação, mas sexta e sábado de manhã, parece um pouco parecido agora. Me dá esperança de que podemos mudar isso."

Russell, em particular, sentiu que, se a Mercedes pudesse colocar seus pneus na janela operacional correta, uma grande parte do desempenho poderia ser encontrada.

"Acho que é algo com o qual estamos lutando muito nesta temporada, para obter a temperatura dos pneus", explicou ele. "Lutei bastante hoje com isso em todos os compostos que usamos. Então, nessas condições, é definitivamente algo em que precisamos trabalhar.

"Mas é algo que eu sei que você pode encontrar uma enorme quantidade de desempenho quando você entra na janela certa. Portanto, há um pouco de otimismo. Mas com certeza, a diferença para Max e as Ferraris é bastante extravagante."

F1 AO VIVO: RBR x Ferrari, Verstappen e Leclerc PUNIDOS, Alfa-Sauber e PROVOCAÇÃO da Audi à Mercedes

Podcast #192 – Sequência de corridas decidirá campeonato da F1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: “Não sou treinador de pilotos”, diz Norris sobre situação de Ricciardo
Próximo artigo F1 AO VIVO: Acompanhe o terceiro treino livre para o GP da Bélgica em Tempo Real

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil