F1 - Pérez: "Adaptação lenta" à Red Bull se deu pela falta de tempo de pista

Vindo da Racing Point, Pérez teve apenas um dia e meio na pré-temporada, além da redução no tempo dos treinos livres

F1 - Pérez: "Adaptação lenta" à Red Bull se deu pela falta de tempo de pista
Carregar reprodutor de áudio

Sergio Pérez acredita que as oportunidades limitadas de testes, além dos treinos livres reduzidos, contribuíram para sua "adaptação lenta" ao carro da Red Bull na temporada 2021 da Fórmula 1, devido ao fato do RB16B ter "uma filosofia muito diferente" dos modelos que havia guiado anteriormente.

O mexicano se juntou à Red Bull neste ano vindo da Racing Point, sendo o quarto companheiro de Max Verstappen desde sua chegada à equipe em 2016. No começo, ele sofreu para se acostumar com o RB16B, um carro que é conhecido por exigir um estilo de pilotagem muito agressiva, mas triunfou no GP do Azerbaijão.

Leia também:

Após momentos de altos e baixos, ele terminou a temporada em boa forma, com pódios na Turquia, Estados Unidos e México, além de ter um papel fundamental para garantir o título de Verstappen, ao segurar Lewis Hamilton em Abu Dhabi.

Refletindo sobre seu primeiro ano com a Red Bull, Pérez explicou como que uma filosofia de carro muito diferente e a redução da pré-temporada para apenas três dias no ano passado dificultaram sua adaptação.

"Temos que considerar o fato de que eu vim para um carro que tinha uma filosofia muito diferente do que havia pilotado minha carreira toda. Então acho que nesse aspecto foi uma adaptação lenta. Mas sim, é um carro muito diferente, com motor diferente, várias coisas novas para aprender com a equipe e basicamente sem nenhum teste".

"Antes da primeira corrida, havia feito apenas um dia e meio [de testes]. Mas um desses dias foi apenas com questões de aerodinâmica. Então não havia feito basicamente nada antes da primeira corrida. Então há muitos aspectos que precisamos considerar mas, no geral, acho que foi uma temporada promissora. Obviamente esperava mais, mas sim, foi assim".

"Tenho que seguir melhorando. Tivemos alguns dias positivos, outros negativos. Mas vamos apenas nos fortalecer como equipe quanto mais estivermos juntos".

Sergio Perez, Red Bull Racing RB16B

Sergio Perez, Red Bull Racing RB16B

Photo by: Zak Mauger / Motorsport Images

Pérez foi recompensado pela sua performance com a renovação do contrato para 2022, que foi confirmada em agosto, garantindo a continuidade com a equipe para a próxima temporada. Desta vez, o paddock terá mais tempo de pré-temporada, com seis dias, sendo três em Barcelona e três no Bahrein, como forma de se ajustarem à revolução técnica.

Com isso, Pérez terá mais tempo para se acostumar com a Red Bull de 2022, podendo superar o desafio que foi ter 60 minutos a menos de treinos livres por final de semana em 2021.

"Pode parecer estranho, mas faltou tempo. Acho que os testes limitados, a redução nos treinos com o carro tiveram um impacto, porque cada circuito é diferente. Então por ser um carro tão diferente provavelmente tornou tudo mais difícil. Não estou sozinho nessa. Acho que vimos outros bons pilotos sofrendo com seus carros".

MARI BECKER fala de PRAZER, REALIZAÇÃO e SUCESSO com F1 NA BAND: "Apresentei o esporte DE VERDADE"

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #155 - Piores da F1 2021: Quais pilotos/equipes decepcionaram? Masi é consenso?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
No aniversário de 37 anos de Hamilton, relembre todos os carros do heptacampeão na F1
Artigo anterior

No aniversário de 37 anos de Hamilton, relembre todos os carros do heptacampeão na F1

Próximo artigo

F1: Marko revela que motor da Red Bull de 2022 ainda não está no nível do de 2021

F1: Marko revela que motor da Red Bull de 2022 ainda não está no nível do de 2021
Carregar comentários