F1 planeja entrar com mais força no mercado dos Estados Unidos em 2021

CEO da categoria máxima do automobilismo fala em ter duas corridas no país norte-americano

F1 planeja entrar com mais força no mercado dos Estados Unidos em 2021

A Fórmula 1 planeja um grande avanço no sentido de impulsionar interesse nos Estados Unidos em 2021. A categoria, aliás, continua a avaliar a possibilidade de realizar uma segunda corrida no país.

Grupo dono da F1, a Liberty Media tem, desde que adquiriu a categoria em 2016, a ambição de ampliar sua atuação nos Estados Unidos, tendo impulsionado planos para a realização de uma corrida em Miami.

O editor recomenda:

No começo de 2021, a elite do esporte a motor mundial mudou de CEO: saiu o norte-americano Chase Carey e entrou o italiano Stefano Domenicali, ex-chefe da Ferrari. De todo modo, o novo comandante também quer maior presença nos Estados Unidos.

Em entrevista a veículos de presença incluindo o Motorsport.com, Domenicali disse que a F1 está estudando a melhor maneira de acomodar uma segunda corrida nos Estados Unidos, além da já tradicional prova em Austin, no Circuito das Américas, Texas.

"[O projeto de] Miami está mais avançando em termos de discussão, mas há outras conversas em outras áreas nos Estados Unidos", explicou Domenicali. "Porém, ainda não estão no nível de eu poder confirmar ou antecipar algo."

"Acho que, nos próximos meses, nós vamos decidir o que acontecerá em termos de discussões possíveis com relação ao país, seja um eventual rodízio ou uma estabilização com dois [GPs] fixos. Então, é um trabalho em andamento."

Miami

Miami

Photo by: Hard Rock Stadium

De todo modo, o que Domenicali já afirmou que acontecerá é uma maior dedicação da F1 a aumentar sua base de fãs nos Estados Unidos. Segundo ele, a categoria precisa fazer mais para ficar nos holofotes durante todo o ano, não apenas antes da corrida no país.

"Posso garantir que há um grande interesse da F1 nos Estados Unidos. Precisamos que os Estados Unidos sejam alimentados com notícias sobre a F1 todos os dias", destacou o dirigente, que chefiou a Ferrari entre 2008 e 2014.

"O que é errado é dar um grande impulsionamento ao interesse [na F1] uma semana antes da corrida de Austin e depois haver um silêncio. Temos um plano de comunicação muito forte nos Estados Unidos".

"O que precisamos é 'martelar' as informações nos canais certos de forma contínua. Demandará tempo em termos de investimento, mas o retorno será enorme. Então, isso é parte de nossa estratégia global para esse ano".

ENTENDA por que motores são o CAMPO DE GUERRA da F1 para 2021 e 2022

PODCAST: Bottas reagirá na Mercedes? Como compará-lo a Barrichello, Webber e cia?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

compartilhar
comentários
F1 cogita corridas aos sábados já em 2021; grid invertido é descartado

Artigo anterior

F1 cogita corridas aos sábados já em 2021; grid invertido é descartado

Próximo artigo

Globo desiste de negociações para manter transmissões da F1 em 2021; Band entra na jogada

Globo desiste de negociações para manter transmissões da F1 em 2021; Band entra na jogada
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Jonathan Noble